O VASCAÍNO VOLTOU



O Vasco (1 x 0 no Campinense: Elton – público ND no Amigão) ainda não é campeão brasileiro da Série B.

O jogo do título pode ser o da próxima sexta-feira, contra o América-RN, em São Januário. Melhor, não?

Bem, eu já estava ficando preocupado com o “Vascaíno”, que prometeu mandar um relato sobre a festa do último sábado. Será que, em plena “tarde da volta”, alguma coisa aconteceu com ele?

Aconteceu. Mas só coisa boa.

O e-mail chegou hoje de manhã. O blog, uma vez mais, agradece.

______

Caro André,

Quem promete tem que pagar, né?

Viajei para o Rio no sábado de manhã. Chegando em Congonhas, vi algumas camisas do Vasco aqui e ali… logo pensei que o dia ia ser bom.

Na realidade, o dia TINHA que ser bom. Até que comentei com alguns amigos que faltava combinar com o Juventude, mas a confiança na volta era grande – era uma certeza. Mas tem algumas coisas na vida que só são certas MESMO quando não tem mais volta. Então, preferi aguardar o desfecho matemático da brincadeira para me manifestar.

E acabou sendo realmente um dia muito bom.

Maracanã cheio – batemos o recorde de público – estádio bonito, dia bonito e dia de sol. Tudo pronto para uma belíssima festa.

Eu tive a imensa alegria de ver, participar e ser ator em uma festa belíssima, de ver famílias (inclusive a minha) inteiras no estádio, de cantar, gritar, vibrar e me emocionar. Vi a torcida do Vasco ser, mais uma vez, a grande estrela da celebração realizada no Maracanã.

Uma celebração linda, embalada pela torcida que nunca deixou o time só.

Estive em São Januário no dia da queda, para “dar a mão e ajudar a
levantar”. Estive no Maracanã para ver a volta – e o Vasco nem precisou de um último empurrão para cima.

E acho que as suas palavras, André, traduzem bem o sentimento – me permito citar alguns trechos:

“… as feridas começam a cicatrizar e certos valores são recuperados.”

“Quem ama, fica, pois o coração não tem divisões.”

“Na verdade, tardes como a de sábado são saborosoas, inesquecíveis,
históricas.”

“O Vasco voltou mais Vasco.”

E a imensa torcida bem feliz está bem feliz e orgulhosa. Orgulhosa de seu time, orgulhosa de seu clube e orgulhosa de si mesma. Provou (relembrou) um fato há muito esquecido: a Torcida do Vasco é capaz de encher qualquer estádio. E provou isso enchendo o Maracanã em várias ocasiões durante este ano. Provou isso enchendo vários estádios acanhados espalhados pelo Brasil. Levou, sozinha, mais público ao Maracanã do que Flamengo e Fluminense juntos. E fez lindas festas durante este ano. Enquanto o time provava a sua força em campo, a Torcida provou sua força nas arquibancadas.

Agora, essa torcida tem o dever de tomar posse de seu clube. A campanha de captação de sócios tem um slogan muito feliz: “O Vasco é Meu”. Sim, é meu, é de cada vascaíno que lê este texto, é de todos os vascaínos. Se tomarmos posse de nosso clube, poderemos conduzir nossa caravela rumo a novas conquistas. Se não o fizermos, corremos o risco de precisar empurrá-lo de volta à série A de novo.

Por isso, é importante não nos contentarmos com pouco.

Não me arrisco a dizer que o Vasco está de volta “ao seu lugar”. Me perdoem os extremamente felizes, me perdoem os ufanistas de plantão. O lugar do Vasco não é simplesmente na primeira divisão. O lugar do Vasco é disputando títulos na primeira divisão. Já tem algum tempo em que ficamos sistematicamente ali na “zona da marola”, sem perspectivas maiores:

2003 – 17°
2004 – 16°
2005 – 12°
2006 – 6°
2007 – 10°
2008 – 18°

Agora temos que reforçar este time para que possamos sim, voltar ao nosso lugar, que é junto das grandes conquistas. Mesmo que elas não venham, temos que ser fortes para poder desejá-las.

Guardo na minha carteira o ingresso de 7/12/2008 – do jogo contra o Vitória. Poucos pedaços de plástico carregam um paradoxo tão grande: de um lado, uma foto do Expresso da Vitória e do outro, as informações “legais” do jogo trágico. Durante muito tempo, eu olhava só para o lado ruim.

Agora, posso olhar para o lado bom e sorrir.

Bem-vindo, Vasco. Obrigado. O sentimento nunca vai parar.

***

PS1: Aos talebãs de plantão: não quero dizer que a torcida do Vasco seja MELHOR ou MAIOR do que qualquer outra. Quero dizer só que ela fez uma campanha sensacional, empurrando o seu time rumo ao acesso.

PS2: Me parece fazer pouco sentido que a diretoria do Vasco fale em prêmios respeitáveis para os jogadores pelo acesso/título enquanto funcionários do Clube estão sem receber há tampo tempo.

PS3: Aos “outros” talebãs de plantão: não ouso dizer que a gestão Roberto Dinamite seja perfeita. Há erros e problemas, como fiz questão de indicar no PS2. Mas negar que existe uma comunhão entre time e torcida que não era vista há muito tempo é negar o óbvio. E não pensar nos motivos que afastavam esta torcida de sua paixão é burrice.

ATUALIZAÇÃO 15h05 – Apenas para evitar má compreensão: os PS’s são do autor do texto, não meus.



MaisRecentes

Porte



Continue Lendo

Segunda vez



Continue Lendo

Paralelos



Continue Lendo