COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

CONFIRA COMIGO NO REPLAY…

Aconteceu um fato bizarro no futebol, na semana passada. Não, não estou falando da palhaçada na segunda divisão no Maranhão, em que uma explosão ofensiva produziu nove gols em nove minutos. Falo do lance que ficou conhecido mundialmente como o “gol do balão”, num jogo do Campeonato Inglês.

Para quem não viu: Sunderland e Liverpool empatavam em 0 x 0, quando uma grande bola vermelha, dessas usadas em promoções, apareceu na área do time da terra dos Beatles. Num ataque do Sunderland, a bola (do jogo) foi cruzada da direita, desviou e sobrou para o atacante Darren Bent bater. Ao tentar cortar o chute, o lateral Glen Johnson esticou a perna direita e deu um bico no balão. Quase no mesmo instante, o chute de Bent desviou naquele “corpo estranho” e enganou o goleiro do Liverpool. O balão passou à direita de Pepe Reina e saiu pela linha de fundo. A bola passou à esquerda e só parou na rede. Gol do Sunderland, único do jogo, confirmado pelo árbitro Mike Jones, apesar do que diz a regra do futebol.

No dia seguinte, a Liga Inglesa puniu Jones com um convite a apitar jogos da segunda divisão pelo futuro próximo. Ele não paralisou um lance que sofreu interferência de um objeto estranho ao jogo.

É impossível descobrir o que se passou no cérebro do referido apitador. De acordo com os jornais ingleses, ele teria declarado que a bola não desviou no balão. O argumento não colou por dois motivos: 1) desviou, sim senhor; e 2) isso é o equivalente ao motorista, detido por dirigir embriagado, dizer ao policial que não atropelou ninguém.

O fato é que o jogo terminou com um resultado ilegal, o Sunderland somou três pontos que não deveria somar. Está feito, não tem volta. E não estamos tratando aqui de um jogo da segunda divisão do… (não completarei para não ser acusado de regionalismo), e sim da Premier League, a mais rica e glamurosa Liga nacional do mundo. Ridículo, não?

Mas isso não é o pior. O pior é saber que essa piada poderia ter sido evitada. O que é verdadeiramente bizarro nesse caso é que, no momento em que o gol aconteceu, a única pessoa no planeta Terra (o Campeonato Inglês é visto em 202 países) que não percebeu o absurdo foi a única que deveria, o senhor Mike Jones. Em questão de segundos, o replay da televisão mostrou a história do futebol se desenrolando diante de nossos olhos. A maioria dos telespectadores deve ter se perguntado: o cara vai validar esse gol? Sério? Pois validou.

E não há nada que se possa fazer para corrigir tamanha barbaridade. Ou melhor, claro que há. É só usar a tecnologia que existe atualmente, capaz de dissecar e esclarecer a gigantesca (deixe-me repetir: GIGANTESCA) maioria dos lances de um jogo de futebol.

Sei que estou pregando no deserto. Não viveremos para ver esse dia. Enquanto se fala no tal chip na bola (que não será aprovado por questões de confiabilidade e custo) não se pensa, por exemplo, na simples revisão das jogadas de gol. Pela TV, durante a comemoração, o jogo nem seria paralisado.

Não, o legal é o gol do balão.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo