NOTINHAS PÓS-RODADAS (e a África do Sul é logo ali)



Finalmente! Todos os times têm 23 jogos.

A maior mexida na tabela, para qualquer direção, foi do Avaí: dois degraus para baixo.

As notas:

* Na volta de Vágner Love, o Palmeiras (2 x 1 no Grêmio Barueri: Diego Souza, Vágner Love e Leandro Castan – 23.357 pagantes no Palestra Itália) fez um segundo tempo muito melhor do que o primeiro.

* Não houve o pênalti marcado em Obina.

* A invencibilidade de quase um ano do Grêmio (1 x 1 com o Vitória: Neto Berola e Jonas – 20.901 pagantes no Olímpico) correu risco, mas foi salva pelo gol de empate, aos 41 do segundo tempo.

* Com 9 vitórias e 3 empates, o Grêmio segue como o melhor mandante do BR-09.

* Com dois gols num intervalo de dois minutos (4 e 6 do primeiro tempo), o Sport venceu (2 x 1 no Botafogo: Fabiano, Wilson e Juninho – 23.601 pagantes na Ilha do Retiro) o jogo dos ameaçados.

* O Botafogo não ganha há oito rodadas.

* Golaço de bicicleta (100%) do argentino Ariel, no empate entre Goiás e Coritiba (2 x 2: Ariel-2, Felipe e Léo Lima – 5.212 pagantes no Serra Dourada).

* O gol de falta de Felipe também foi lindo.

* Com dois gols do banco de reservas (em duas falhas do goleiro Fábio), o São Paulo conseguiu (2 x 1 no Cruzeiro: Diego Renan, Marlos e Borges – 27.953 pagantes no Mineirão) mais uma vitória fora de casa, num jogo que parecia complicado.

* A invencibilidade de seis rodadas do Cruzeiro acabou, e o time só pode reclamar dos próprios erros.

* Pouquíssimo a dizer sobre o 0 x 0 entre Atlético Paranaense e Flamengo (16.970 pagantes na Arena da Baixada), em que o momento de maior emoção foi a expulsão de Antonio Lopes.

* Cuca estreou e nada mudou na sina do Fluminense (1 x 1 com o Náutico: Conca e Carlinhos Bala – 20.887 pagantes no Maracanã), que só não cai mais na tabla porque não dá.

* O empate, combinado com a derrota do Santo André, tirou o Náutico do calabouço.

* Gols aos 42 e 47 minutos do segundo fizeram o Atlético Mineiro (2 x 1 no Santo André: Wanderley, Éder Luís e Diego Tardelli – público ND no Bruno José Daniel) vencedor, após seis rodadas.

* Tardelli não marcava um gol desde o dia 02/08, contra o Coritiba.

* Esplêndido segundo tempo do Internacional (2 x 0 no Avaí: Fabiano Eller e Magrão – 15.257 presentes na Ressacada), que, mesmo inferiorizado em campo, dominou o Avaí.

* O Inter chegou a ficar com dois a menos, e parecia que tinha cinco a mais.

______

* No jogão dos líderes da Série B, o Vasco (2 x 2 com o Atlético Goianiense: Jairo, Juninho, Carlos Alberto e Elton – 18.989 pagantes no Serra Dourada) teve a virada nos pés de Carlos Alberto, que perdeu um pênalti e foi (injustamente?) expulso.

* A vantagem do Vasco para o quinto colocado é de confortáveis 7 pontos.

______

A Seleção Brasileira (3 x 1 na Argentina: Luisão, Luís Fabiano-2 e Dátolo – vaga assegurada na Copa do Mundo de 2010) teve outra atuação madura num jogo importante – marca registrada do atual time – e ministrou uma clínica de como vencer fora de casa.

Só precisou de um contra-ataque (Kaká para Luís Fabiano, no 3 x 1), porque fez dois gols em jogadas de bola parada no primeiro tempo, que afundaram todos os planos da Argentina.

A Seleção é um time que não se pressiona, não se impressiona, não ouve, não vê, não se deixa atrapalhar por nada que venha de fora do campo, por isso esfriou um caldeirão onde é difícil jogar, e mais ainda, vencer.

Poderia ser um time mais brilhante? Em tese, sim. Na prática, é cada vez mais difícil, e desnecessário, criticar o grupo que Dunga vem montando desde a Copa América de 2007.

O técnico desenvolveu o saudável hábito de ver tudo acontecer como ele gostaria, nos jogos de maior repercussão. Ótimo sinal.

Em Rosario, Luisão (subsituto do indiscutível Juan) foi seguro e fez um gol. André Santos nem ligou para Messi. Luís Fabiano foi, outra vez, tudo o que se pede de um camisa nove.

E Kaká foi letal. Num jogo em que, obviamente, a bola não ficaria em seus pés pelo tempo costumeiro, ele fez o máximo de cada oportunidade. Provocou a expulsão de Mascherano (mais sobre ele em instantes), que só não aconteceu porque o árbitro Oscar Ruiz não deu ao “Jefito” o primeiro amarelo, por puxão na camisa.

Para completar, um minuto depois do gol de Dátolo (único momento psicológico pró-Argentina em todo o jogo), o passe de Kaká para LF teve a precisão – de tempo e espaço – que só os craques são capazes de gerar.

Sobre Mascherano, talvez seja exagero meu, não consigo entender seu status. Jogador destruidor, muitas vezes violento ao extremo, superestimado em todos os níveis.

Não é ruim, é comum. E deveria estar a quilômetros de distância da faixa de capitão da seleção argentina, principalmente num jogo em que Verón está em campo.

Mas talvez seja o capitão apropriado para o atual time de Maradona.



  • M. Silva

    Tenho a impressão de que, costumeiramente, os jogadores argentinos – assim como os ingleses – são extremamente supervalorizados pelas imprensas de seus países. E nós, brasileiros, costumamos comprar esse peixe muito barato. O próprio Tévez joga muito menos do que o cartaz que ele tem por aqui faz crer – o que também se explica pela boa passagem que ele teve pelo Corinthians. Mas que não se confirma pelo que ele vem mostrando desde que foi para a Inglaterra.

    AK: Discordo. Tévez jogaria no ataque de qualquer time do mundo, menos o Barcelona. Ganhou títulos com todas as camisas que vestiu, menos a da seleção principal da Argentina. Um abraço.

  • Paulo

    Devagar com o patriotismo de chuteiras. Existe uma considerável diferença entre se classificar para disputar uma Copa e ganhar a Copa! Muita gente forte e poderosa internacionalmente almeja isso… E lida melhor do que nós com uma derrota em partida final ou uma classificação em quarto, quinto ou sexto lugar… Ganhar da Argentina é sempre bom (principalmente em função das bravatas de Maradona e seus comandados), mas infelizmente não é tudo! É por causa do nosso constante ôba-ôba que somos considerados “macaquitos” pelos hermanos… De qualquer maneira, seja qual for o resultado, estamos sempre pulando, quando na realidade ainda não conquistamos nada… A pátria de chuteiras é pentacampeã. Que bom! Já o resto… É um resto mesmo!

  • Paul

    O Sao Paulo não jogou bem, estava com um burraco na zaga… se kleber tivesse em campo não ganharia… e se Fábio não voltasse a sua fase de falha tb não (isso pode ser fruto das poucas defesas no jogo).

    Masssss, se Ricardo Gomes fosse mais inteligente tinha colocado Marlos para jogar desde o inicio e não passaria o “sufoco”. E trocado o Washington por Borges antes, a final a bola não chegava alem da grande area e assim o caneludo Coração valente não tem serventia. O são paulo foi ajudado por um “time de reservas” cruzeirense mas não esqueçamos que o cruzeiro tb foi pela escalação errada de RG e pelas ausencias de Jorge Wagner, Miranda e Hernanes. Todos em momento espetacular: JW com vontade há tempos perdida, Miranda em excelencia e Hernanes voltando a ditar o ritmo do meio campo. Mas covenhamos que perder Miranda e ter Rodrigo é muito melhor que perder Thiago Heleno e ter Eli Carlos! 🙂

  • Miguel Salek Jr

    André Kfouri,
    Não posso deixar de reconhecer o mérito do Dunga na resposta que foi dada a você. Infelizmente, a imprensa esportiva brasileira como um todo ressalta as falhas da Argentina (que são óbvias – ainda mais com Sebá, Otamendi e Tevez como titulares e jogadores como Burdisso ficam no banco). Contudo, o que realmente merece ser ressaltado é a fantastica partida realizada pela seleção brasileira. Com muita humildade, objetividade, onde 10 titulares tornaram o Gigante de Arroyito uma caixa de fósforo, vimos a segunda exibição de gala da nossa seleção em menos de 4 meses.
    Dunga merece, mais do que nunca, todos os méritos por disciplinar, unir e dar padrão tático a um grupo quase sempre desacreditado pela imprensa e a grande maioria da torcida.
    Por isso André Kfouri, você deveria repensar algumas vezes as perguntas que são feitas. Os vencedores tem seus méritos sim e esses devem ser ressaltados nas perguntas, ao invés de mencionar os erros do adversario como chave para a vitória

    AK: Resposta dada a mim? Do que você está falando? Um abraço.

  • Miguel Salek Jr

    Vale lembrar que o Tevez sempre tem se escondido nos momentos em que seus times mais precisam. Desde o Man Utd, é assim. Na seleção argentina, esse sumiço dele é constante.

  • felipe

    andre o jogo do minerao foi coisa mais bizarra q eu jah vi …nem eu, sao paulino, acreditava no q eu via qd o borges saiu comemorando o segundo gol…

    agora o mascherano …. a diferenca dele pro eduardo costa(ex- sao paulo, em exemplo) eh soh u nome e a nacionalidade. pq os dois sao ruims demais… sim na minha opiniao sao ruins(assim como gilberto silva, menos violento). ele sao “eficientes” na destruicao. mas sao lentos, sem qualidade, e nem um pouco inteligentes, sem contar que com eles cada machada eh uma minhoca neh .

    acho q o mascherano tem o nome q tem pq jogava em um dos melhores meio de campos do mundo com xabi alonso gerrard e benayon(eh assim q escreve?) e desculpa mais jogar com xabi alonso e gerrard eh muitoooooooooooooooooooooooo facil, mesma coisa de jogar com pirlo e kaka. o proprio xabi alonso eh mtoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo mehor q o mascherano, mais por um acaso do destino nao tem a “consagracao” q o argentino tem.
    o teves tambem tem mais nome do q joga de futebol. isso eh “meio comum” com os argentinos.

  • Anna

    Os subtítulos são muito bons: A Turquia e a África do Sul são logo ali… Brasil no futebol e no basquete arrebentaram. O primeiro numa exibição irretocavel com destaque para Kaka, Luis fabiano e Luisao, o segundo num jogo eletrizante até o último instante. Dava até para enfartar…

  • Ricardo Pires

    André, concordo com o post do São Paulino Felipe. O jogo no Mineirão foi bizarro. Resultado de um time que é a cara de seu treinador: burocrático e sem estrela – no sentido de sorte, não de jogador.

    T.Ribeiro no ataque é pedir para armar contra-ataque, só que do adversário. O cara não é ruim não… é sofrível. Wellington Paulista idem. Soares nem se fala. Fábio, pra variar, falha quando o time mais precisa dele.

    2009 acabou para o Cruzeiro. Enquanto o Adílson estiver no comando, não ganharemos nada que não seja Mineiro.

    O que você acha do Prof. Adílson Pardal Batista, André?

    Abraço

    p.s. concordo com você sobre o Mascherano e Tevez. Quem me dera ter o Carlitos no meu time!

  • Jovaneli

    André, você matou a pau sobre Mascherano. Minha recordação dele no futebol brasileiro é de um jogo entre Corinthians e São Caetano, em junho de 2005. Acho que foi o jogo de sua estréia dele com a camisa corintiana.
    Edilson (aquele que foi campeão pela seleção em 2002) disse antes do jogo que iria meter uma bola entre as pernas do volante argentino. Pois o que ele fez. Aliás, Edilson desmoralizou o badalado Mascherano com os seus dribles. Tanto que o então técnico Márcio Bittencourt o substituiu no intervalo de partida.
    Naquele jogo, o São Caetano venceu o Corinthians por 2 a 0 em pleno Pacaembu. Mascherano, que havia chegado com muita pompa ao alvinegro de Pq.São Jorge, foi engolido pelo capetinha Edilson.

  • M. Silva

    André,

    em primeiro lugar, agradeço a resposta. Note apenas que não disse que o Tévez é mau jogador, ou que sua carreira na Europa é um fracasso – ele é, inclusive, querido pela torcida do Manchester United. Mas, se ele foi um craque incontestável nos títulos que conquistou pelo Boca e pelo Corinthians, nos que ganhou no Manchester United (desconsiderarei, assim como você, a passagem dele pelo West Ham) sua participação não me parece ter sido tão efetiva. Tenho a impressão, pois, de que o Tévez ainda não joga na Europa no nível que poderíamos esperar a partir das atuações que teve na América do Sul; mas que, quando se fala dele, a imagem que usualmente é evocada é a do Tévez do Boca e do Corinthians.

  • Anna

    Eu gosto do Mascherano. Concordo que ele seja agressivo e violento algumas vezes, erra a mão(ou o pé) e reclama muito, sem necessidade às vezes.. Mas gostaria de te-lo no meu time, ou numa seleção sulamericana.

  • Roberto Carlos

    Andre
    Não é pequena a possibilidade da proxima Copa não ter o portugues C. Ronaldo e o argentino Messi os dois melhores do mundo nos anos anteriores ao mundial, se isso de fato ocorrer como voce encara esta situação vendo a Copa pelo seu lado profissional de reporter, quais impactos terão na divulgação do evento por parte da midia?

    Abraços
    Roberto Carlos

  • Ricardo

    Minha opinião sobre jogadores argentinos em geral

    São ótimos, tem técnica apurada e equilíbrio emocional até superior aos nossos, mas tem algo que pra mim os faz darem um tiro no pé.

    Eles se julgam superiores do que verdadeiramente são.

    Tevez, por exemplo

    No Boca, surgiu como um talento raro e sempre foi endeusado pela fanática torcida xeneize.

    Veio para o Corinthians e continuou sendo endeusado, por sua incrível raça e sua identificaçào com a Fiel, por ter vindo do meio do “povo”, as periferias de B.A. Além, lógico, do enorme futebol que jogou.

    Só que na Europa a história e outra….e isso vale para talentos do nível de Adriano Imperador e Robinho.

    Mais vale um jogador participativo, parte de uma engrenagem do que alguém que quer brilhar sozinho.

    Alguém imaginava que o limitadissimo, porém super participativo Rodrigo Taddei fosse ser titular da Roma ?

    Mesmo o Diego (grande jogador), agora na Juventus (acredito ter desenvolvido isso na Alemanha), é um jogador coletivo, que cria, marca e finaliza. Joga como um sul-americano, mas pensa como um europeu.

    Futebol é um esporte coletivo e ainda existem treinadores e jogadores que não entenderam isso.

    PS: Apenas uma obs. Tevez fala espanhol, portugues e ingles ?

    AK: Só espanhol. Um abraço.

  • BASILIO77

    Concordo inteiramente sobre o Mascherano.
    Mas não resisto à uma cornetada no Dunga:
    Josué não é volante de seleção.
    Não é bom na bola alta. Não chuta em gol a meia distancia. Não é um grande marcador. Não lança. Nem violento ele é.
    Mas tá sempre na lista.
    Abraço.

  • Klaus

    André, uma pergunta um tanto boba, mas coisas da nossa lingua que eu não compreendo: em um mundo pretensamente politicamente correto, em que termos enraizados mudaram passando de “perigo de vida” para “perigo de morte”, “morte subita” para “gol de ouro”, entre outros, não seria mais coerente chamarmos as “eliminatórias” de “classificatórias” para a Copa do Mundo, como seria em inglês. Concordo que parece um termo português bem de Portugal, mas já que estamos nessa onda! ;p
    Abraço!

    AK: Realmente, faz mais sentido. Um abraço.

  • Ricardo Medeiros

    Parabéns André! Finalmente alguém que não se engana com o Mascherano! O cara não joga nada… só faz bater… no Brasil, ele não seria nem reserva!!!

  • Eu estava com meu cunhado na sala e, na hora que o Kaká deu o passe (antes do gol!), eu já bradei: “Fantástico!”

    A conclusão, depois, eu nem comemorei. Não teve mais graça…

    E sobre a Argentina, eu diria mais: talvez o Mascherano seja sim o capitão ideal para o time de Maradona… porque se o técnico fosse outro, o capitão ideal seria o Veron… hehehe

    Abraço!

  • Leandro Thome

    Andre,

    Mudando um pouco o assunto aqui… a NFL comeca na Quinta, vc vai fazer um post com os palpites da temporada??

    Tipo vencedores das divisoes e o eventual confronto no Super Bowl.

    Abraco

  • Alex

    Finalmente alguém crítica o Mascherano!!!!
    Jogador grosso, extremamente violento, para quem acha que não tentem achar o jogo Banfiled x River Plate pela Libertadores de 2005, passa mal e não ataca!!!
    Até hoje o melhor momento dele foram os 3 penaltis cometidos em cima do Ronaldo nas Eliminatórias para 2006!!!
    Ah, fez um bom jogo contra o Palmeiras qdo jogou pelo Corinthians!!!
    Antes que alguns falem, sou corinthiano!!!
    Quanto a seleção argentina, não tem goleiro há uns 20 anos!!! Sem laterais Heinze é ridículo e cavalo, Zanetti se fosse brasileiro nós estaríamos esculachando pela idade e mediocridade!! Dos zagueiros não vou falar são reservas, mas os outros Coloccini, Milito e mais um cavalo o DeMichelis são fracos, Samuel é razoável e Burdisso quase nunca vi jogar não posso falar!! No meio o cansado Verón (absoluta falta de opção) e o mais que normal Cambiasso e o jogador de 1 Copa Maxi Rodrigues, seria equivalente ao nosso Kleberson!!!
    Na frente o craque Messi!!!
    Tévez ótimo em todos os clubes que passou e o regular Diego Milito, como a Inter de Milão vai sentir falta do Ibra!!!!!!

  • Ricardo

    Já que classificamos para a Copa da A.Sul (brilhantemente), uma cornetada de quem eu acho que Dunga (que valoriza a lealdade) levará….(não quem eu gostaria)

    Julio Cesar, Gomes e Victor
    Maicon, Daniel Alves, André Santos e Marcelo
    Juan, Lúcio, Luisão, Thiago Silva
    Gilberto Silva, Felipe Melo, Hernanes e Anderson
    Kaká, Diego, Elano
    Adriano, Luis Fabiano, Robinho e Alexandre Pato

  • ADSON CARVALHO

    A cigana que falou que Maradona é técnico de futebol está presa na penitenciária de tremembé… O pseudo-treinador, fez pouco caso de Kaká e o craque arrebentou com o jogo!!! O Veron, totalmente perdido em campo, levou um chapéu humilhante e não fez nada. Restou a Don Diego roer unhas e ouvir o famoso Olé… Diante do desastre segue um conselho a Dieguito:
    “Toda arrogância será castigada…”
    Ps. AK, a própria imprensa enaltece os “gringos” de uma maneira superfaturada!!! Imagine se o resultado do jogo fosse ao contrário??? A Argentina já era campeã do mundo…O lançamento do KaKá, se fosse efetuado pelo Veron,seria o maior lançamento de todos os tempos… Sem falar da conclusão do Luíz Fabiano… Imagine se o gol fosse do Messi, teriam que trocar seu nome para Maradona 2…

  • Sobre a língua que fala o Tevez: não fala nenhum dos três idiomas citados… ele “murmura” “argentino” (venhamos e convenhamos: argentino não fala espanhol nem aqui, nem na Argentina, e muito menos na Espanha!)

    Abraço!

  • Luiz

    Podem tacar pedras em mim, mas lá vai a minha opinião. Sobre Mascherano e Verón. Discordo de vc sobre ele. Acho que o Mascherano faz por merecer os elogios que recebe, tanto que disputando vaga com Lucas, Xabi Alonso e Gerrard (a principio era volante) e antes disso com Sissoko que sabe jogar bola, ele sempre foi titular indiscutível. A ponto de Rafa Benítez, que treina com ele todos os dias, dizer que acha ele um dos melhores marcadores do mundo. Eu também acho, apesar de achar que ele é de uma raça fadada à extinção. Mas é um senhor marcador, que corre muito no jogo e demostra muita raça, uma espécie de Pierre, que aqui recebe tantos elogios, mas com mais habilidade (apesar de não ter muita, pelo contrário) e com bom arremate de fora da área, por isso que recebe mais elogios que o Pierre. Só que ele foi escolhido para ser o capitão por causa de sua atitude em campo, coisa que ao meu ver não foi certa, tanto que o próprio discordou, mas acabou convencido pelo Maradona, esse sim responsável por esta bobagem. Sobre o Verón, acho que o tempo dele já passou, apesar de ser um baita jogador, ao meu ver o Lucho González poderia fazer a mesma função, talvez sem o mesmo brilhantismo, mas com mais dinâmica, ajudaria muito mais na marcação, e a função do brilhantismo ficaria a cargo de outro jogador mais com essa característica, ao invés do Dátolo, que, esse sim, pra mim é só um bom jogador, cadê o Pablo Aimar nesse time? Verón já fez o que podia por sua seleção, hora de passar o cetro. Para mim o capitão desse time deveria ser o Zanetti. Mas Mascherano é essencial nesse meio de campo, é ele que faz o trabalho que o Makelelê fazia naquele Real Madrid que conquistou o mundo, a ponto de Zidane dizer que ele era o jogador mais importante do time. Com tanta gente pra jogar do meio pra frente, só falta organização tática e mais compromisso desses jogadores, porque atrás o “Jefito”, para mim, garante, apesar de em certos momentos ser violento além da conta.

  • Anna

    Fiz uma cabeça pra aula de Redação e Edição em TV e usei o seu “A África do Sul é logo ali”,ok?

  • Fred Ferreira

    André, Por favor, você que é da imprensa, seja porta-voz de um botafoguense, revoltado e sem força de comunicação. Ninguém aguenta mais o Juninho de zagueiro. O cara é um bom jogador, mas não pode ser zagueiro em time nenhum do planeta…Não ganha uma jogada no alto, nem pula, não ganha bola dividida, é lento, não transmite vibração e nem confiança. Parece um cara apático e conformado….O pior é que fica intocável no time….O Botafogo vai ser rebaixado por causa dessa zaga ridícula!!!

  • Jacques SPFC

    Em 2005 no jogo entre River e São Paulo pela libertadores eu vi o mascherano fazer o jogo mais covarde e violento que já vi na vida, no mínimo 4 entradas para vermelho e pelo menos mais 4 passíveis de cartão. Jogadorzinho comum e que sobrevive no futebol devido a extrema complacência da arbitragem mundial atual com a violência.

  • Coringão Z/L

    Ótimo post, André!

    Apenas duas observações:

    1. A “sina” Argentina continua:

    Quando o jogo é entre clubes, os argentinos “engolem” os brasileiros.

    Mas quando é entre seleções…

    2. Concordo com você em relação ao Mascherano.

    É apenas um jogador comum.

    Abs.

  • Rodolfo Bauer

    É, queria saber pq os jogadores argentinos, mais cultos e preparados emocionalmente como vc disse após a derrota do Cruzeiro pro Estudiantes, perderam? Lá se foi esta teoria absurda e eivada de complexo de vira-latas.

    AK: Se eu pudesse escolher, preferiria ter complexo de vira-latas a não saber ler. O texto ao qual você se refere, trata, também, dos confrontos entre seleções. Vou quebrar seu galho e copiar o link:

    http://blogs.lancenet.com.br/andrekfouri/2009/07/19/coluna-dominical-30/

    A parte que te interessa está no final. Espero que consiga encontrá-la. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    ATÉ QUE ENFIM!!!!!!
    Depos de 3 rodadas,abro seu blog e vejo,enfim,algo sobre o Vasco!O time ganhou do Brasiliense fora,o Aloísio quase morreu em campo,e tu…nada!Depois teve sua invencibilidade em casa perdida,com méritos para o adversário,pelo Ceará,e vc…nem uma letra!Já não era sem tempo!
    Sobre o Mascherano,acho o seguinte(e sei que posso ser apenas eu a achar isso):
    O jogador argentino ideal seria uma mistura de técnica,como Riquelme,Verón,Dieguito e outros,e raça,combatividade,como o Mascherano,por exemplo.Já disse no seu blog,certa feita,que há de se diferenciar combatividade com deslealdade.Mas parece que o dito jogador conquistou a simpatia de sabe Deus quem pela forma(excessivamente)viril de jogar.Técnica,quase nenhuma.Mas esbanja saúde.Os que o aplaudem são fãs do futebol ríspido,das entradas firmes e,pq não dizer,das jogadas desleais.
    Ressalva:Os números dizem tudo,mas continuo achando que o Dunga não é o treinador ideal pra Seleção Brasileira.Parabéns a ele por conseguir,com um grupo todo reformulado,a classificação para a copa.mas continuo não gostando dele como treinador.

  • Carlos Margoto

    Olá André Kfouri, meu nome é Carlos Margoto, Capixaba de Colatina, compus a música em homenagem a Seleção Brasileira de futebol para Copa do Mundo de 2010 rumo ao hexa chamada GOL DA SELEÇÃO. Está liberada a veiculação da Letra e música. (Passe e-mail para falecommargoto@hotmail.com que envio com maior prazer para todos apaixonados pela nossa seleção, e vamos lá Brasil rumo ao hexa.
    Um abraço.

    Autor e intérprete: Carlos Margoto

    Música: Gol da Seleção

    O Brasil entra em campo

    a torcida aplaude e grita

    os craques vem aí

    O estádio está lotado

    A torcida veio ver

    O Brasil vencer, vencer

    Todo mundo apaixonado pela nossa seleção

    é bola na rede, que lindo que emoção

    a torcida se levanta

    Solta o grito da garganta

    É gol da Seleção

    A camisa amarela, o orgulho da nação

    Os craques consagrados,

    salve a seleção

    A torcida se levanta

    Solta o grito da garganta

    É gol da seleção

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo