COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

O DESRESPEITO VOLTOU

X é um jogador de futebol, profissional.

Como tantos outros, foi revelado por um clube do interior. Como tantos outros, o talento e a ambição o levaram à cidade e ao clube grande. Foi neste momento que seu nome tornou-se mais conhecido, por causa da disputa de dois times rivais por seu futebol. Nesse aspecto, também, o roteiro copiou o que já aconteceu com outros jogadores que tinham qualidade para sobreviver no topo da pirâmide futebolística.

X tem. E muitas. Seu início em um dos principais clubes brasileiros foi como um meia de boa chegada no ataque. A bola não perdia velocidade quando passava por ele, os passes eram precisos e inteligentes. O saudável hábito de procurar o gol fazia dele uma presença perigosa perto da área, mas foi outra habilidade que lhe garantiu um lugar no time, durante a segunda temporada: a marcação.

Meias que sabem marcar são tão importantes quanto volantes que sabem jogar. É difícil dizer em qual das duas categorias X se encontra. Mais difícil ainda era ser adversário do time dele durante o Campeonato Brasileiro daquele ano. Um time que tomou pouquíssimos gols e ganhou o título com larga vantagem.

No ano seguinte, nova demonstração de utilidade coletiva. X passou a ser escalado como lateral-esquerdo, posição que claramente não era sua predileta. E mesmo sem repetir atuações do mesmo nível das que fazia no meio-de-campo, chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. Eventualmente, perdeu a vaga entre os titulares, mas não a noção de que o futebol é “nós”, não “eu”. O que contribuiu para que voltasse ao time, ora na lateral, ora de novo no meio. E para que estivesse em campo no jogo que significou o terceiro título seguido.

Mas a presente temporada não começou bem. A combinação entre o desgaste natural e a queda no aproveitamento levou a uma troca no comando e, consequentemente, uma nova fase. No momento em que o time mostra um encaixe diferente, e interessante, X é um dos principais motivos. De volta à posição em que sente melhor, joga com intensidade e entrega. Talvez seja isso que se convencionou chamar de “atitude”.

A contribuição de X não passou despercebida por uma parte da torcida, que lhe dedica uma música personalizada. Mas no lugar de idolatria e orgulho, a “letra” composta pelos intelectuais prefere a grosseria, a mesquinhez, a intolerância.

Quem a canta nunca reclamou por X ser um jogador de baixo nível. A agressão gratuita é puramente pessoal. X é ofendido por parecer diferente, mesmo que ninguém saiba se é. Mesmo que ninguém deva se importar se é.

A agressão também é ignorada por uma estrutura que gosta de se fazer de “engajada”, preocupada com outras ofensas igualmente enojantes, como o racismo. Nem o clube, que se diz moderno, se posiciona.

X diz que não ouve. Mas ouve. Diz que não liga, mas liga. Sua postura é admirável. Por muito menos, houve gente que pediu para sair.

Eis uma ótima oportunidade perdida, por todos, para fazer o que é certo.



  • Anna

    André, depois dessa coluna perfeita não é necessário escrever mais nada! Bom domingo, Anna

  • Bruno Giordano

    Caro André.
    Sou são-paulino, e admiro muito o jogador chamado de X por você mas que poderia muito bem ter sido chamado de R =)
    A cobrança que faço ou que fiz a esse jogador sempre se refere ao seu desempenho no gramado, pois não importa qual é a preferência sexual de um jogador, pois essa não entra em campo, e sim o profissional. Pena que uma parte de ignorantes torcedores não entenda dessa maneira e insista em ofender um jogador que não tira a perna de uma dividida e que sempre brigou, e se sujeitou a jogar em várias diferentes posições, pelo meu querido São Paulo
    Abraços

  • Rogério Martins

    Detesto a torcida organizada desse mesmo time. Joga muita bola esse jogador. É essencial que a diretoria desse time se manifeste em favor de seu atleta.
    Obs. sou são paulino

  • Fernando alves

    A parte desta torcida que fala mal do jogador x é ridícula, com certeza. Mas também são ridículas as outras torcidas que sempre, em todos os jogos do tal time, xingam o jogador x das mesmas coisas, até pior. SEMPRE que ele pega a bola. E só a parte da torcida do time do jogador x que é ridícula? Não vamos nos esquecer, aliás, que as outras torcidas, as que não são hipócritas, as progressistas, as que não são preconceituosas, claro, adoram “xingar” os torcedores do time do jogador x. Vamos parar de hipocrisia, que tal?

    AK: Que tal, primeiro, descobrir o que é hipocrisia? Realmente seria ótimo se as pessoas fossem ao estádio apenas para torcer. A coluna é sobre a perseguição precoceituosa a um jogador do próprio time. Acho que está claro. Um abraço.

  • Lucas

    André, lamentável a postura da dita organizada e também a do SPFC, omissa e covardemente conivente com a situação, contrariando a postura de clube vanguardista e “europeizado” que julga ter. Mas, depois da sentença infame prolatada no processo referente a este jogador, o que esperar da massa ignorante?? enfim, lamentável, mas tristemente normal todo esse absurdo preconceito. Abs.

  • Jovaneli

    Eis um trechinho de uma entrevista que o X me deu no segundo semestre do ano passado para uma revista especializada em futebol:

    A “torcida” organizada não grita o seu nome. Isso o incomoda?
    Não. Se eles não gritam, a maior parte da torcida grita. Lógico, tenho que agradar ao torcedor do…, mas primeiro tenho que agradar ao presidente do clube, ao treinador e aos meus companheiros.

    Você conversou com o treinador sobre esses problemas?
    Não. Em nenhum momento o treinador, o presidente ou meus companheiros tocaram no assunto.

    Você acha que as dificuldades pelas quais você passou o obrigam a correr em dobro?
    De maneira nenhuma. Minha obrigação é fazer o que o treinador manda e ajuda os companheiros naquilo que posso. Não tenho obrigação maior que a de ninguém.

    *Obs.1: para mim, X é um profissional exemplar e de muita personalidade. Não à toa os treinadores o adoram. É uma pessoa muito tímida, fala de cabeça baixa, não olha muito nos olhos do entrevistador, mas é muito firme e decidido.
    *Obs.2: antes da entrevista, acompanhei todo o treinamento. Enquanto outros atletas do time dele erravam passes, domínios de bola e chutes a gol (alguns, mandavam a bola no outro campo do centro de treinamento), X era quase perfeito nesses fundamentos básicos. E ainda demonstrava muita categoria. Virava o jogo de um lado para o outro com extrema facilidade e competência, fora a disposição e entrega.

  • Willian Ifanger

    Perfeito André……assim como perfeita está uma coluna que seu pai postou de um garoto de 13 anos.

    Eu sempre critiquei o jogador X pelo futebol que apresentava. Até injustiça minha pelo fato de não estar jogando onde se sente melhor. Mas, enfim, como torcedor, eu tinha esse direito.

    Agora esse preconceito absurdo tem que sumir dos estádios de futebol (até porque não é do interesse de ninguém, saber das preferências pessoais dos outros). A torcida são paulina (a verdadeira torcida) deveria rebater a imbecilidade dos marginais da Independente. Uma boa hora da diretoria se pronunciar.

    Ah sim, sou são paulino.

  • Marcel

    Falou tudo!!! o X vai superar tudo isso… tomara que a torcida faça a sua parte

  • Marcel Souza

    Realmente é uma sacanagem isso que fazem com o Richarlyson. Ano passado ele jogou muito no jogo do título e é o símbolo da recuperação do São Paulo.

  • Para variar, mais um texto perfeito. Sou seu fã! Abraço!

  • Fernando alves

    Acho que só nos preocuparmos com o assunto quando ele estoura, quando uma parte da torcida do jogador x o xinga, sendo que ele vem sendo xingado há muito tempo por muito mais gente é, sim, sinal de hipocrisia. Não estou me excluindo da proposta de parar com a hipocrisia. |Tanto é que falei “vamos”, usei o plural. Enfim, se a discussão for séria e justa, muito mais gente tem que entrar na história, incluindo todas as outras torcidas. Do jeito que está, parece que só o clube do x e sua torcida é ruim, é malvada, quando o problema é geral. É só ler os comentários que deixaram aqui, culpando exclusivamente a organizada do time x e, aliás, o PRÓPRIO time x. Antes fosse só uma parte da torcida do time do jogador x que o xingasse, não é mesmo? O problema seria resolvido rapidamente.

    AK: Torcida ofender jogador adversário, com maior ou menor nível de grosseria, é quase tão antigo quanto o futebol. Torcida perseguir jogador do próprio time, por puro preconceito, é uma outra conversa. E sobre o papel de todos, é só ler o último parágrafo. Um abraço.

  • Paulo Roberto Pereira da Silva

    Bem o q acontece com X, é mais q imbecilidade, e eu concordo com vc, torcedores de outros times xingarem é uma coisa, já nós como são paulinos deveriamos apoiar o jogador…
    Q tal a torcida, não a organizada q já xingou K(um dos maiores jogadores da atualidade, se não o melhor…), R10(antes de R 01 o maior idolo da história recente do clube e um dos maiores de todos os tempos…), R01( o idolo maximo),F9(um dos top 10 em artilharia do clube), LF(hoje titular da seleção e na época e na minha opinião ainda hoje, um idolo) entre outros, começar a gritar o nome de X como uma forma de compensar a imbecilidade de alguns…
    X 20(virou moda colocar o n°) continue jogando assim e os verdadeiros torcedores reconhecerão( é assim q escreve?) seu trabalho, eu reconheço…

  • ronan

    Teve uma torcida Y que já cantou: “A violência voltou”… e ninguém, nem blogueiros falaram a respeito. Seguinte, vamos mostrar em outros clubes, na sociedade, nos jornalistas, como é que se combate o preconceito, ok!? Apontar 1 culpado, não é justo. É hipocrisia. É tentar achar defeitos naquele que tem menos em relação ao resto. Será que um jogador desse duraria tanto tempo numa outra equipe da capital paulista ou logo seria vendido? Vamos refletir… E não acusar injustamente.

  • ronan

    Jogador X recebe em dia. Tem um ambiente que o respeita. Tem a proteção e a blindagem contra agressões físicas que outros clubes não tem em seus CT’s. (E ainda dizem que é assim mesmo que deve ser, incentivam as ameaças). O “X” é livre para falar e reivindicar com a imprensa. Mas a própria imprensa também o trata com ironia, com deboche, com interesses além campo. O “X” pensa no clube que trabalha porque ele quer ficar nele, pois sabe que talvez nenhum outro rival lhe dê oportunidade de trabalho como tem atualmente. O “X” luta contra a ignrância mundial, não regional. E acusar apenas um grupo é um erro grave. É tampar o sol com a peneira, é dizer que o preconceito é um coisa fácil de derrotar… Bastando atacar um clube que é um rival.

  • ronan

    Entreviste o Dinei, ex-ídolo do corinthians, André. Pergunte o que ele acha da situação……….. Vamos aguardar até onde vai a seriedade do protesto.

  • ronan

    Acredito que não vai aprovar meus comentários. Pois o texto que vc e tantos outros escreveram é para atacar o SPFC e sua organizada. Eu lamento que veja as coisas de uma forma tão superficial e oportunista.

    AK: E eu lamento que você, em cinco (!) comentários, não apresente nenhum argumento que seja útil à conversa. E veja “ataques” onde eles não existem. Mas isso é típico. Um abraço.

  • BASILIO77

    X é bom jogador.
    Não deve ter suas qualidades aumentadas ou diminuidas por outros aspectos que não os de dentro do gramado.
    Seleção pra ele foi exagero, bom que se diga.

    Mas questão é delicada, entendo o clube.
    A diretoria se manifestar poderia dar ao fato mais importância do que ele merece. Afinal, não é a maioria da torcida que não o aceita.
    Como já foi discutido por aqui, estádio de futebol é uma espécie de “zona livre” em termos de educação e comportamento. Não deveria ser, mas é.

    O negócio é se conformar e esperar por um perfil de torcedor mais educado em TODOS os sentidos e que não veja o futebol como uma questão de vida ou morte.
    Utopia, eu acho.

    Abraço e valeu pela tentativa de melhorar as coisas.

  • kaio

    mas que o richarlyson é cheio que querer se auto-afirmar masculo com violencia no campo, ah isso é.

  • Ah, vc aprovou meus comentários tardiamente… Obrigado. Mas eu só acho injusto e precipitado este texto. Porque ao invés de generalizar uma torcida, não generaliza o preconceito entre as pessoas. Seria bem mais justo. O Corinthians e sua torcida é um clube exemplar contra o preconceito? O Palmeiras? O Santos? Entendeu porque é injusto criticar um clube que é atacado por todos os outros justamente por ter um jogador vítima deste mesmo intolerantes? Pense bem.

    AK: Injusto é você não querer entender do que se trata o texto, porque só pensa em (dis)torcer. Um abraço.

  • Ricardo

    Muito bom o texto, pra variar.

    Eu acho que quem deve ser cobrado é o clube onde o X joga.

    Torcedores são torcedores em todo lugar

  • Adan

    Lindo texto André. Chama atenção para um problema muito sério. Parabéns.

  • Muchacho

    Perfeito o texto André. Só não entendo pq vc se surpreende com a insensatez desses torcedores babacas de uniformizadas (óbvio, não são todos).

  • Ricardo Pires

    Brilhante e corajosa a coluna, André. Parabéns.

    O que me causa maior indignação são os posts de torcedores acusando seu texto de hipócrita simplesmente por relatar um caso de preconceito e ferimento dos direitos humanos. Claro que xingar faz parte do futebol, mas nesse caso perseguem um jogador de talento, dedicado, sério e que foi multi-campeão pelo clube que defende. Nossa sociedade ainda é predominantemente ignorante e muitas vezes apresenta resquícios de fascismo. Apologia à violência também é serio, claro, mas perseguir um ser humano trabalhador em função de sua suposta preferência sexual é sórdido.

    Muitas vezes me pego refletindo sobre o benefício disso tudo… do futebol… de tamanha paixão que leva ao exagero e ao destempero. Mas é justamente essa irracionalidade inerente que cativa, quando utilizada de maneira positiva. Quando negativa, como tudo na vida, sofre-se as consequências.

    Cabe aqui mais uma vez a frase do Einstein citada por você outro dia.

    Abraço

  • Eduardo

    A torcida do SPFC é uma das que menos colabora com time…Quando ele está em baixa não o apoia. Inclusive foge do estádio. E tem o péssimo hábito de perseguir jogadores. Lembram do jogador K ? aquele que foi corrido do Morumbi. É triste né!!

  • Rafael Melo

    Ótimo texto AK. É impressionante perceber como as pessoas (inclusive as da imprensa) se acostumaram e passaram a tratar como “normais” os gestos preconceituosos de diversas torcidas. É claro que estou falando da regra, felizmente há exceções, como você.

    O que me espanta não é a estupidez da minoria que pratica o ato, mas a passividade de quem o contempla.

    O Brasil é um país muito engraçado, já reparou que as ofensar raciais são tratadas como crime enquanto outros tipos de preconceito são tratados como piada? Não consigo entender qual a diferença entre ofender um jogador como X e aparecer no campo com uma penca de bananas, imitanto um macaco. No fundo é o mesmo gesto.

  • Nozaki

    Bom dia André, ótima coluna. Acho só que poderia colocar os nomes em questão, para ficar bem claro de quem se trata.

    Uma coisa que seria importante, é a imprensa “pressionar” a diretoria Tricolor para saber e entender a situação. Além de “cobrar” sobre uma atitude da TTi (“organizada” tricolor).

    Saudações.

  • leonardo atleticano

    André, me ajude aqui, quem foi pego em um motel com outros travestis, foi o X ? Ou foi o R09 ? Mas o R09 tem blindagem, tanto do clube quanto da mídia, aliás a mídia esportiva nem devia mais ser chamada de mídia, deveria ser chamada de média esportiva, 95% da mídia hj ou é torcedor fanático travestido de jornalista ou é empresário com interesses paralelos, fica complicado analisar notícia hj em dia. Só para ficar claro, te considero parte integrante dos 5% éticos. Quanto a torcida organizada, nem vale a pena comentar, .

  • felipe

    eh andre c os rapazes da organizada tivessem 1/10 da sua inteligencia , parariam de cantar essas atrocidades.

    eu infelizmente jah nao compareco aos estadios, por falta de vontade e de dinhero. e a falta de vontade comeca por ter que encontrar essas figuras q dizem q torcem para o time, mais na verdade, torcem para a torcida, se eh q vc me entende. e sao essa mesma figuras q vc encontra naquele tragico video do pacaembu daquele jogo de ASPIRANTES !!!

    e depois vem a policia falar q com a mascara do jason eles seriam irreconheciveis, ate serao, mais c a policia realmente usa-se imagens para punir infratores, os estadio hj estariam repletos de crianças e familias, nao de bandidos disfarcados de torcedores que vao ao jogo com 2 intencoes, brigar e roubar.

  • Roberto

    Perfeita a sua coluna. Eu só acho que a Torcida do São Paulo não pode ser incluída na ignorância dos ditos organizados. É preciso deixar claro o nome das organizadas que ofendem o jogador. Afinal de contas, a Torcida do São Paulo, como os posts indicam, de forma geral, só avalia o jogador pelo futebol em campo. Diga-se de passagem, ele foi ótimo em 2007, deixou a desejar em 2008 e voltou a arrebentar em 2009. Critique sempre o preconceito, mas nesse caso o preconceito da Independente, não da Torcida do Sao Paulo. Abraço.

    AK: Está escrito, e claro: “parte” da torcida. Obrigado e um abraço.

  • Felicio

    André, torço muito para que esta postura que a imprensa esportiva (e boa parte da não esportiva também) vem adotando se torne uma cruzada mesmo contra a intolerância, o preconceito, a hipocrisia. Uma cruzada com tamanha força que seja capaz de banir atitudes assim, e que também obrigue os dirigentes esportivos a fazer uma limpeza dos estádios de marginais travestidos de torcedores.
    Quem pensa, não age assim. Então, que esses jumentos vão pastar bem longe da torcida que realmente quer torcer.

  • Marcos Vinícius

    AK,Lembra do Lilico?Jogava vôlei,chegou a seleção,acho que era meio de rede.Passou por problema idêntico.Mas,por ser jogador de vôlei,um esporte que no Brasil não é tão difundido,não atinge tanta a massa,não se falou muito sobre o assunto.O Lilico teve a coragem de vir a pública falar que estava sendo discriminado por sua orientação sexual,que até mesmo na seleção,quando foi convocado,era tratado com preconceito.Hoje,o Lilico não está mais entre nós,e ninguém mais fala do que houve,mas acho que o seu caso foi até mais sério que o do Richarlyson,embora o que vc esteja dizendo é sobre perseguição da própria torcida.Hoje ninguém mais fala do Lilico,e daqui a algum tempo ninguém mais falará do Richarlyson.Infelizmente,não se muda a cultura de uma nação sobre certos paradigmas de um dia para o outro.Tanto no futebol quanto em outros esportes,há vários Lilicos e Richarlysons,que não se declaram publicamente por medo de perder espaço em seus times,pois sabem que preconceito que sofrem se torna ainda maior quando se tem mais exposição na mídia.Ficou a lição(será?)do caso do Lilico,e o richarlyson conseguiu,ainda,sobreviver,mas esses não foram os primeiros e não serão os últimos casos.

  • leonardo atleticano

    André, outra coisa, se é fato público e notório que existem atos agressivos, preconceituosos e racistas nas arquibancadas do Morumbi, não caberia punição?? O tribunal não pode tomar uma atitude??? Vc, indignado que está, apoiaria perda de mando de campo para o São Paulo pelos atos hostis de sua torcida???

  • Érico

    olá andré,

    A coluna está perfeita!
    Gostaria de saber se o jogar X falasse em um coletiva que um país que pensa em organizar uma copa aceita em seus estádios tais atos preconceituosos?
    Acho que está na hora da imprensa tratar ente assunto com a seriedade devia.
    Grande abraço!!

  • Sei não, acho a postura do Richarlyson tão preconceituosa quanto a da uniformizada. Ele ameaçou processar (ou processou) o dirigente do Palmeiras que insinuou que ele era homossexual – e isso, pra mim, é até mais discriminatório do que chamar um hetero de homo.

    O que a torcida organizada do SPFC faz com ele é tão ridículo e nocivo ao clube quanto o que fez com Edmilson, Bordon, Julio Batista, Fabio Simplicio, Kaká e Luis Fabiano. Não é pior por chamar de homo o cara que se diz hetero. É bom ver que o Richarlyson não está sentindo a pressão como os outros – e que a diretoria do SPFC também não está reagindo como nas outras vezes, em que vendeu o jogador na primeira oportunidade que teve. Mas acho que a história não passa disso – um jogador perseguido por uma torcida organizada. Pode ser bastante inconveniente pra ele, mas não vejo (e pelas entrevistas, ele também não) como caso para tanto.

    Em tempo: não estou te chamando de hipócrita, André, longe disso, só discordo da sua opinião. Acho que qualquer manifestação do clube vai dar uma dimensão muito maior que o assunto merece. E pior, vai dar à torcida organizada a impressão que ela tem algum peso nas decisões, pondo em risco o único diferencial de verdade que a diretoria do SPFC tem.

  • Gilson

    André boa tarde!
    Sou torcedor do São Paulo e concordo plenamente que é uma “imbecialidade” o que “parte” da torcida do São Paulo(aliás eu nem considero essa torcida organizada como verdadeiros torcedores do São Paulo) vem fazendo com o jogador X.
    Só que não podemos esquecer( e o Lucas já lembrou um pouco disso em seu comentário) que isso tudo teve inicio por causa de uma declaração infeliz de um “imbecil” dirigente do palmeiras(que não me recordo o nome) e de um “mais imbecil ainda” representante do Legislativo que arquivou o processo que o jogador X estava movendo contra o dirigente, sobre a alegação que futebol é coisa para “homem”.
    O que se pode esperar de uma torcida (des)organizada que na maioria das vezes é constituida de pessoas de pouca instrução, se quem deveria dar o exemplo acaba contruibuindo para aumentar ainda mais o preconceito.
    Isso é coisa de uma pequena parte da torcida do São Paulo, pois tenho certeza de que, a grande maioria dos verdadeiros torcedores São Paulinos tem muito orgulho do Jogador X ser um atleta do São Paulo.

    Um Abraço

    Gilson

  • Blackbird

    André, assino embaixo. Porém, e sem querer colocar “gasolina” na fogueira, vc não acha q o comportamento do jogador contribui para esta atitude? O que ele faz na intimidade dele, é problema dele.

    Mas o que ele faz como representante de uma instituição maior é algo que foge do foro íntimo. Assim como um presidente deve estar apresentável e sóbrio perante os outros para representar seu País, o mesmo deve ocorrer com os jogadores, em ocasiões profissionais. Infelizmente o “X” adora escandalizar os outros para chamar a atenção, com roupas, poses e comportamentos que alavancam este tipo de reação por parte da torcida. Se ele ficasse na dele e não provocasse, isto não ocorreria, assim como não ocorreu com tantos outros jogadores supostamente homossexuais que fizeram parte de outros clubes.

  • Edouard Dardenne

    André, eu não sei como é o ambiente nas coletivas que os treinadores dão após alguns treinos, ou como são as coisas nestas mesmas coletivas, mas após os jogos. Mas por que ninguém pergunta “Ricardo, o que você pensa a respeito do comportamento da torcida em relação ao Richarlysson?”? Ou “O São Paulo pretende tomar alguma medida para proteger seu atleta destes atos de preconceito praticados pela torcida? Quais?”.
    Quando um torcedor grita para um árbitro qualquer coisa como “seu viado!”, ele não está de fato pretendendo ofender o juiz com insinuações sobre sua orientação sexual. O preconceito é intrínseco à conduta, mas a ofensa não é fruto do comportamento do ofendido na vida privada, e sim de uma marcação de jogo. O caso do jogador do SPFC é mais sério e grave, como você bem apontou. A ofensa existe simplesmente porque se especula que o jogador seja homosexual. SE o jogador for mesmo homossexual (isso não interessa a ninguém exceto a ele e seus pares), ele reage come reage porque está habituado aos atos de intolerância.
    No mais, existia uma outra corrente de pensamento, no início e meados do Século XX, que entendia ser possível definir o caráter de uma pessoa pelo local de nascimento, pela ascendência ou por sua orientação sexual…
    Um abraço.

  • Fernando Paraguassú

    Pois também considero admirável a postura de X,
    Claro que ouve os insultos, mas está jogando aquela bola fina de antes. Também fico perplexo com o que ouvi de alguns torcedores nas arquibancadas. Pouco deveria importar se o jogador é hetero, homo, metrossexual, acho que torcida tem mais é que apoiar.
    E aos rivais que se dirigem aos São-Paulinos como bambis (homos), a resposta sempre foi dada em campo, desde a época de Leônidas, Sastre, Serginho Chulapa. Vai saber o tipo de título que o SPFC estará comemorando na época de seu centenário.

  • 1984

    Ronan…

    Acusar injustamente?! vc só pode estar de brincadeira…

    Se vc quiser ampliar a análise e discutir esse preconceito (idiota) num nível macro, no qual há outras manifestações de igual teor (inclusive a imprensa que explora o mesmo “caso”, como vc disse) vá lá…mas daí a um erro anular o outro, vai uma distância tremenda, não acha?

    O jogador trabalha e é dedicado ao clube. Dar estrutura para que ele desenvolva esse trabalho não faz do clube um “exemplo”: faz dele um dos únicos a apresentar essas condições, que na verdade são primárias em qualquer lugar do mundo onde o futebol é tratado com profissionalismo.

    Idiotas existem em toda parte, preconceituosos idem…em uns lugares mais que em outros, e na torcidas “organizadas” (facistas com louvor) mais que na maioria.

    Abraço a todos.

  • cabecinhadeouro

    o X já está na história desse time, como um dos jogadores raçudos e de maior entrega que ajudaram a construir o INÉDITO TRICAMPEONATO NACIONAL.

    já a torcidinha que tem essa atitude condenável, há tempos que age de maneira “independente” do clube para o qual diz torcer.. há tempos que nao canta em apoio ao time mas só para vangloriar a si própria e seus atos de violência descabida
    há tempos que mais atrapalha que ajuda!

    viva o X.. toda força a ele!
    a verdadeira torcida do time está com ele!
    quanto à torcidinha em questão… creio que isso seja algo como os últimos gritos desesperados de uma entidade em vias de extinção!

  • cabecinhadeouro

    Eduardo Mion disse:
    17.ago.2009 às 13:19

    “Sei não, acho a postura do X tão preconceituosa quanto a da uniformizada. Ele ameaçou processar (ou processou) o dirigente do Palmeiras que insinuou que ele era homossexual – e isso, pra mim, é até mais discriminatório do que chamar um hetero de homo.”

    cuma????
    ainda temos de ler coisas assim…

    Eduardo.. não viaja, não!
    Esse “preconceito” eu também tenho!
    “Preconceito contra preconceituoso”!!!
    tenho esse “preconceito” e o alimento dia a dia!

  • Cabecinhadeouro,
    ao processar quem o chama de homossexual, o Richarlyson está dizendo que se sentiu diminuído ao ser comparado com eles (os homossexuais). Isso é preconceito. Lembro inclusive que na época uma organização GLS fez um protesto contra o Richarlyson por isso.

  • Marcos Vinícius

    Engraçado…acaba de me ocorrer um fato passado.

    Lembram do Dinei?Aquele que foi bi campeão brasileiro pelo Corinthians,que pintava o cabelo de louro?

    Pois é.Todo mundo sabia que o Dinei é gay,mas ele NUNCA,REPITO,NUNCA foi perseguido ou discriminado por isso.Dizem,até,que havia uma espécie de pacto de silêncio entre os jogadores do Corinthians quando o assunto era esse.A torcida do Corinthians é melhor que a do São Paulo(sem querer generalizar,claro),ou era o jogador que dava menor margem para que assuntos pessoai viessem à tona?

  • O melhor apoio e respeito que o clube pode ter com o jogador “X” é tê-lo na equipe por 3 anos com todas as ofensas de dirigentes, jornalistas, e torcedores…

  • Paul

    Eduardo, uma torcidinha organizada do Sao Paulo nao apoia e já xingou jogadores que a torcida do Sao Paulo idolatrava. Não coloque a organizada no mesmo saco de todos os sao paulinos. O Sao Paulo passou o primeiro turno todo apanhando e nem por isso os torcedores pararam de incentivar (ok, isso é mais recente mas está acontecendo… veja o Flu, no auge mô amor… nas derrotas ,vaias…

    Torcedores adversarios chamam os torcedores do sao paulo de bambis e estes, irracionais, ficam querendo se mostrar muito matchos! Na cabeça anencefala desses cidadãos (??) torcer para o X é atestado de baitolagem.
    O Sao Paulo se manifestar publicamente talvez traga mais holofotes para uma situação que nao merece. TEm que chamar a organizada (se as relações forem estreitas como em outros times) e exigir que pare de perseguir ou para de ganhar ingressos.

  • Ricardo

    Marcus Vinicius

    O problema do Richarlyson é que ele joga no time que Vampeta um dia popularizou chamando-os de “bambis”, citado aqui sem nenhum teor pejorativo. Como também disse “os porcos”….

    Se o Ricky (nome que carrega na camisa) assumir publicamente o que todo mundo imagina e sugere que ele seja ( e é problema dele!), só vai faltar vender camiseta de bambi na loja do Morumbi escrito Ricky….

    O marketing do SP já percebeu que está lidando com um barril de pólvora e não duvido nada que o admirável Ricky seja vendido logo logo.

  • Ricardo Pires

    Léo M, concordo com você que, fosse o Brasil um país sério, deveria haver punição e perda de mando de campo. No entanto, imagine se o STJD tivesse que aplicar o mesmo tipo de pena a cada ato de racismo, discriminação ou hostilidade exagerada praticados em nossos campos de futebol. Não haveria mais jogo com mandante. Isso não serve de desculpa, claro, mas explica bem o porque de tamanha inoperância e conivência.

  • FERNANDO MARADONA ALVES

    Po que legal, tem um homonimo meu com 2 posts nesse blog. Qual sua idade Fernando Alves? Seu nome é só Fernando Alves ou tem mais algum? Bacana e o mais incrivel é que o Andre respondeu aos comentarios dele. Abraço André.

  • Tibanu

    Brilhante, André.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo