COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

VOLANTES QUE FAZEM FALTA (no bom sentido)

Uma das commodities mais valorizadas no mercado do futebol é o jogador de meio-campo que sabe atuar nas duas dimensões do jogo.

O exemplo mais bem acabado desse tipo de jogador é o imortal Paulo Roberto Falcão, modelo com o qual todos os (bons) volantes serão comparados. E que estará sempre alguns patamares acima deles, até dos melhores.

Muitos times não têm nenhum jogador assim, e povoam o meio do gramado com indivíduos especializados na recuperação da bola. Em alguns casos, custe o que custar.

É só metade da equação. A outra metade, e o verdadeiro problema, aparecem no momento em que é preciso saber o que fazer com ela. Fazer bem, e rápido. Observação: tocar de lado não é uma das opções válidas.

Alguns times têm um jogador que corre, marca, passa e chuta. O impacto da presença desse jogador é evidente até para quem não presta atenção. Outros times, privilegiados, têm dois. Não por coincidência, são os mais bem-sucedidos.

O Corinthians tinha dois, até o final da tarde de segunda-feira, quando foi anunciada a transferência de Cristian (e do lateral-esquerdo André Santos, que precisa de reposição imediata) para o Fenerbahçe. A dupla Cristian e Elias foi uma das principais razões dos títulos recentes.

Por causa da proteção que ela oferecia, a defesa do Corinthians foi tão sólida no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil. Isso não é nenhum demérito para os zagueiros William e Chicão, que jamais perderam um jogo juntos. Só para lembrar: o título estadual foi conquistado sem nenhuma derrota, e o nacional, com uma clínica de como jogar mata-matas – sem levar nenhum gol em casa (e fazendo gols em todos os jogos fora).

E por causa da qualidade dos dois, com a bola, o ataque (e, talvez até mais importante, o contra-ataque) foi tão eficiente.

No jogo que, de fato, deu o título paulista ao Corinthians (primeira semifinal contra o São Paulo, no Pacaembu), os gols foram marcados por Elias e Cristian. O primeiro, numa jogada de atacante, limpando o caminho e entrando na área. O segundo, numa bola que ele mesmo roubou, carregou pela diagonal e mandou para a rede, nos acréscimos.

É só um jogo, mas um bom exemplo.

Ao perder Cristian, compreendidas as necessidades do clube e o significado da oportunidade para o jogador, o Corinthians desfez um encaixe que não é fácil de encontrar. Se fosse, todos os times o teriam. Essa é a maneira pessimista de olhar para a questão.

A otimista passa pelo nome de quem criou a dupla, Brother Meneses (sugestão da coluna para a internacionalização da marca). Elias já era muito bom quando jogava na Ponte Preta, no Paulista-08. Provavelmente, até quando estava na várzea, três anos atrás. Sua transformação num jogador onipresente era provável. Mas Cristian? Cristian foi uma surpresa gratíssima para o corintiano. Claro que agora não aparecerá nenhum dizendo que, no início, não gostou da ideia. Só que, pai dela, só há um.

É o técnico que terá de reconstruir um setor vital de seu time. A aposta, aqui, é que ele conseguirá.



  • luLa_dodói

    Se tem um romario (que da as costas pra bola quando ela esta com o adversário) precisa de um dunga, certo? kkk

    Em 94 tinham dois, o capitão e o mauro silva. Ver um jogo daquela seleção era triste. Do lateral esquerdo pro zagueiro, pro outro zagueiro, pro lateral direito que devolvia pro mesmo zagueiro e assim por diante.

    Lembrava muito a seleção atual pra sair a bola. Os volantes “siscondiam”. rs Pelo menos isso melhorou um pouco na copa das confederações.

    Enfim…acho que o futuro é esse, sei lá…todos os jogadores marcando e atacando…Nenhum brucutu, e nenhum vagabundo. Como em qualquer esporte coletivo.

    Se tivesse sido sempre assim, as seleções e clubes brasileiros teriam ganho quase tudo, como já disse o Joel Bafana-Bafana.

    t+

  • Luiz Fernando Paes

    “No jogo que, de fato, deu o título paulista ao Corinthians (primeira semifinal contra o São Paulo, no Pacaembu)”
    de fato? ué, a final então foi só uma mera formalidade?
    está seguindo o caminho do pai, desprezando o Santos FC, que tanto o machucou ..

    mandou muito mal!

    AK: Quer discordar, fique à vontade. Mas guarde seu complexo de inferioridade para você. Um abraço.

  • thiago

    andre,
    o maior publico da temporada brasileira de 2009 ainda são os 72.000 de Botafogo x Resende ?

    forte abraço
    thiago sant’anna da silva

  • Eu não sei como o Flamengo conseguiu perder um jogador como Cristian, fiquei com dor no coração quando foi negociado com o timão,eu sempre gostei da maneira dele se comportar em campo,realmente vai ser dificil do mano meneses encontrar uma solução ali,ele fazia uma boa parceria com o Elias,mais ou menos como Dunga e Mauro Silva na campanha do Tetra.

  • BASILIO77

    Embora gostasse mais do Cristian, A.Santos fará mais falta.

    “Brother” Meneses…tú não tem mais o que fazer não?
    “Big” Chico foi muito mal ontem.
    Abraço.

  • Ao pé da letra seria “Bro Meneses”.

  • Paulo

    O futebol e seus craques vivem de rótulos. Ronaldo por exemplo é “fenomenal” (tem até alambrado que foi destruído com este nome) e Obina “apanha” da bola! Será que não falta um pouco de humildade pro Bando de Loucos do Todo Poderoso Timão do PAC do Presidente Lula? O time ainda possui jogadores “de segunda divisão” e mesmo com eles, foi campeão da Copa do Brasil (Internacional, Vasco da Gama e Atlético – PR garantem que foram prejudicados por “erros de arbitragem”, mas tudo acabou banalizado no final) e conquistou um Paulistinha. Dizem que foi a força da estrutura de marketing que trouxe o artilheiro Ronaldo atuando nos bastidores do jogo. Neste domingo em Presidente Prudente, o mesmo Ronaldo, “aquele do caso com o travesti que morreu estranhamente”, abriu o pulso e machucou o braço. NÃO JOGOU NADA! Obina, sempre massacrado e ridicularizado, correu muito, jogou como poucos, fez cinco, mas teve dois gols anulados pela falta de pedigree. Força do PAC? Se fosse o Ronaldo, nem o penalti voltava! De toda forma, entrou para história e foi simplesmente FENOMENAL! Chora Corinthians! Reclama da arbitragem e mostra a tua verdadeira cara: a da INVEJA! O tal do Jorge Henrique e o Alessandro, dando entradas desleais no segundo tempo, enquanto a torcida do Palmeiras gritava olé, pareciam batedores de carteiras, maloqueiros mesmo, atuando no centro da cidade!
    Divertidíssimo… Só resta por a culpa pela falta de garra e competência no mesmo Gaciba, que durante a disputa da Copa do Brasil “errou” a favor do time da torcida que não tem nem estádio! Joga “de favor” no da Prefeitura de São Paulo. Já são três anos sem ganhar do Palmeiras! Coisa que não acontecia há muito tempo…

  • Quanta lenga-lenga em cima do Corinthians… Ainda mais em cima de Cristian, um jogador comum.

  • neto

    Legal falar dos meias atuais Andre. Gosto do futebol dos jogadores indicados para melhores do mundo, como C. Ronalndo e Messi, mas honestamente, se pudesse contratar apenas um jogar no mundo (seja qual for), ele seria S. Gerrard do Liverpool.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo