NOTINHAS PÓS-RODADAS (com um diálogo parisiense)



O Inter continua 100%.

A rodada foi boa para o São Paulo, que saltou 7 posições.

E ruim para Corinthians e Grêmio, que caíram cinco.

As notas:

* Um minuto depois do primeiro gol do São Paulo (3 x 0 no Cruzeiro: Washington, Borges e Dagoberto – 51.800 pagantes no Morumbi), Gerson Magrão mandou uma bola na trave. Quatro minutos depois do segundo gol, Ramires tentou uma letra na cara de Dênis. O terceiro saiu no contra-ataque, quando o Cruzeiro ficava com a bola mas não sabia direito o que fazer.

* O São Paulo soube, e venceu a primeira no BR-09. Marlos estreou bem.

* O Santos venceu (3 x 1: Paulo Henrique-2, Renato e Madson – 10.666 pagantes na Vila Belmiro) os reservas do Corinthians e chegou ao G-4.

* No gol de Madson, o jogador que pediu impedimento foi justamente o que cruzou a linha de fundo e deu condição ao santista. Bastava ter permanecido fora do campo. (não bastava, não. Ver atualização abaixo)

* Gol de Adriano, que jogou o tempo todo, na vitória do Flamengo (2 x 1: Antonio Carlos-contra, Adriano e Rafael Moura – 68.217 pagantes no Maracanã) sobre o Atlético Paranaense.

* Se um gol no Maracanã lotado não lhe proporcionar genuína felicidade…

* Leandro Domingues fez, aos 48′ do segundo tempo, o belo gol que levou o Vitória (1 x 0 no Grêmio – 14.526 pagantes no Barradão) à vice-liderança.

* Mas a bola desviou num zagueiro gremista.

* Também nos acréscimos, com um gol de pênalti, o Náutico empatou com o Fluminense (1 x 1: Fred e Gilmar – 17.781 pagantes nos Aflitos).

* No lance do pênalti, Anderson Lessa contou com inestimável colaboração de Alan e Maicon.

* No empate entre Grêmio Barueri e Palmeiras (2 x 2: Obina, Keirrison e Pedrão-2 – público ND na Arena Barueri), Obina fez seu primeiro gol em 2009.

* Pedrão marcou um gol sentado para o Barueri, e é um dos três vice-artilheiros do campeonato.

* O líder do Campeonato Brasileiro jogou com apenas dois titulares e mesmo assim venceu (2 x 1: Talles Cunha, Alecsandro e Lima – 14.471 pagantes no Beira-Rio) o Avaí.

* O gol de Lima, de pênalti duvidosíssimo, foi o primeiro sofrido pelo Inter no BR-09.

* Boa vitória do Goiás (3 x 1 no Coritiba: Felipe-2, Iarley e Marcelinho Paraíba – 8.642 pagantes no Couto Pereira), fora de casa.

* Foi a terceira derrota do Coritba (a segunda em casa), lanterna do campeonato.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 entre Atlético Mineiro e Santo André (23.673 pagantes no Mineirão), fora o fato de o Atlético ter jogado com um a mais – Marcelinho Carioca foi expulso – desde os 7′ do segundo tempo.

* Após o empate no Engenhão, Botafogo e Sport (2 x 2: Wilson, Weldon, Tony e Fahel – 8.555 pagantes) permaneceram no calabouço da tabela.

* Os dois times ainda não venceram.

______

* No sábado, o Vasco perdeu (3 x 1 para o Paraná Clube: Edgar, Alex Afonso, Marcelo Toscano e Dinélson – 8.289 pagantes na Vila Capanema) a primeira na Série B.

* O Vasco jogou sem vários titulares, por causa da Copa do Brasil.

______

Você provavelmente sabe que o sueco Robin Soderling impôs a primeira derrota – 3 sets a 1: 6/2, 6/7 (2/7), 6/4 e 7/6 (7/2) – de Rafael Nadal em Roland Garros, pelas oitavas-de-final.

Mas talvez não saiba como foi o diálogo entre Soderling e Magnus Norman, seu técnico, antes do jogo.

Norman percebeu que Soderling estava tenso (no último encontro com Nadal, em Roma no início de maio, o espanhol passeou: 6/1, 6/0), e tentou lhe dizer que achava que ele tinha todas as chances de vencer.

O jogador respondeu com uma pergunta: “mas e se eu não ganhar nenhum game?”.

______

ATUALIZAÇÃO, 13h45 – O consultor informal de arbitragem deste blog é o ex-árbitro Renato Marsiglia, comentarista da TV Globo.

Falei com Marsiglia hoje de manhã, por telefone, sobre o terceiro gol do Santos e a questão envolvendo um defensor dentro ou fora do campo.

O que escrevi nas notinhas está desatualizado, portanto, errado.

Uma alteração na regra para esse tipo de lance está em vigor desde a última Eurocopa. Para efeito de impedimento, um jogador que sai do campo sem a autorização do árbitro, é considerado sobre a linha de fundo, ou seja, dentro do campo.

No lance de Santos x Corinthians, mesmo se o jogador corintiano estivesse além da linha, ele daria condições a Madson.

Ocorre (e isso não tem nada a ver com o meu erro) que havia um problema de interpretação da regra, pois uma coisa é o jogador que intencionalmente sai do campo para deixar um adversário em impedimento, e outra é o jogador que sai do campo numa jogada normal, e não retorna.

Para esclarecer a questão, na última reunião do International Board, em 12 de maio, o texto foi reformulado.

Meu compromisso é com a informação correta.

Obrigado a todos que alertaram para o erro, e ao Marsiglia, pela gentileza da explicação.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo