COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

FALHAS NO ROTEIRO

Forrest Gump é marketing.

O maior contador de histórias de todos os tempos é um cara chamado Verbal Kint.

Kint é o personagem de Kevin Spacey, em “Os Suspeitos”. É ele que passa o filme inteiro enganando um investigador de polícia, dentro da delegacia, com uma fábula sobre uma quadrilha de bandidos que seria vítima da vingança de um criminoso cruel e lendário, o terrível Keyser Soze.

A trama é tão complicada e cheia de contornos, que prende a atenção do espectador aos mínimos detalhes, do primeiro ao último minuto do depoimento, quando o investigador percebe que alguns nomes mencionados por Kint estão presentes em vários objetos espalhados pela sala de interrogatório.

Se você não viu o filme (Oscar de melhor roteiro e melhor ator coadjuvante, para Spacey), desculpe contar o final. Mas, na boa, deveria ter visto.

E se você está se perguntando por que lê sobre cinema, numa coluna de um diário esportivo, é porque tem gente tentando ser Verbal Kint no futebol de São Paulo. Só que a história está pessimamente mal contada.

Falo do suposto suborno do zagueiro Jean, da Ponte Preta, e do circo que se fez em torno de um caso em que ninguém – repito, ninguém – tem certeza do que está falando. Vejamos:

O presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa, não tem certeza. Foi procurado por duas pessoas que ouviram uma frase suspeita de alguém que teria ligações com o representante do jogador. Foi à imprensa antes mesmo de ouvir tudo que precisava ouvir.

As duas “testemunhas” (que fique claro: não acho que agiram de má fé) não têm certeza. Ouviram a frase suspeita, viram o jogo, ligaram os pontos e resolveram contar o que sabiam. Agora estão expostos.

O procurador de jogadores que teria dito o que não devia, também não tem certeza do que fala. Prova disso é que sua versão é que a tal frase foi uma brincadeira mal-interpretada. A própria frase é suspeita, em todos os sentidos: “para o Santos se classificar, só pagando 20 mil, 40 mil, 60 mil ou 80 mil”.

Sério, você já viu alguém se expressar dessa forma? É a mesma coisa que dizer “para saciar minha forme, só comendo uma, ou duas, ou três, ou quatro pizzas”. Ou, “para não pegar trânsito na estrada no feriado, só saindo às seis, ou às sete, ou às oito, ou às nove da manhã”.

E até quem diz que “um jogador que ganha R$ 25 mil reais não se venderia por 20 mil”, erra. Por que não? Há uma tabela para subornos no futebol? Quem se vende, se vende. Recebe a proposta e aceita, a não ser que se sinta ofendido (pilantras também têm sentimentos). E não dá para imaginar que 20 mil reais sejam motivo de ofensa.

Melhor seria dizer que Jean é uma pessoa correta, digna, e jamais aceitaria uma oferta de suborno, nem de 200 reais, nem de 20 mil, nem de 2 milhões. Eu nunca falei com ele, mas foi exatamente isso que ouvi de quem o conhece, gente que poderia ter se recusado a pôr a mão no fogo.

No futebol, não duvido de nada. Mas preciso de um mínimo de consistência.

Deve ser horrível se sentir como o policial que interrrogou Verbal Kint.



  • Crema

    Beleza André,

    Muita boa a sua analogia usuando o Verbal Kint, de “Os Suspeitos”, deu até vontade de ver o filme outra vez. Sou obrigado a concordar com você que esse “diz que me disse”, numa acusação séria como esta é, no mímino irresponsável e leviano. Por vezes acho que o pessoal esquece uma regra básica da Justiça, a de que todo são inocentes até prova em contrário. O que faz um sujeito ir a imprenssa e levantar uma suspeita dessas sem absolutamente nenhuma prova é álem da minha compreensão. Um grande e gordo desperdício de nosso tempo essa história toda, ao que parece mais uma mancha desnecessária no já tão encardido futebol brasileiro, uma pena…

  • Marília

    Oi Oi OIOIOI!!!! tem tempo que não apareço, nem sei pq, logo eu que religiosamente passava por aqui, pois bem, voltei e pra variar amei a coluninha! é isso aí mesmo, tudo muito confuso e o jogo já aconteceu. aí já viu? históris pra vida toda do futebol!

    ah as referencias cinematográficas! adoro!

    Bom, voltarei a passar por aqui frequentemente!!!!

    tanta coisa acontecendo no futebol…, mas a espn não largo nunca, então tô sempre de olho no seu trabalho!!!!

    um abraço!!!!

  • BASILIO77

    Não seria o caso de rever o “tape” do jogo e focar na atuação do Jean naquele jogo? Será que ninguém fez isso???
    Será que não houve OUTRAS TANTAS oportunidades do zagueiro beneficiar o SFC durante os 90 minutos e não deixar “o serviço” para o final da partida?
    E se o zagueiro salvou um gol do peixe debaixo do gol??? Não sei não ví o jogo…mas penso que se poderia tirar algumas conclusões assitindo novamente ao jogo prestando atenção no jogador em questão.
    Quanto ao circo formado pela imprensa, como Corinthiano já estou acostumado com isso, não conformado.
    Não é o primeiro caso e nem será o último, infelizmente.
    Em 2005, POR MUITO MENOS, se colocou em duvida o carater do goleiro do Cianorte. Questionou-se levianamente sua atuação contra o SCCP na Copa do Brasil.
    Abraço.

  • Willian Ifanger

    Acredite ou não, ainda não assisti ao filme….tsc-tsc-tsc. E isso que ele está guardadinho pra assistir. Vamos ver se ajusto isso.

    Nada a ver com a coluna, mas eu estava vendo os lances de Botafogo e Vasco agorinha. E notei a presença de mais dois auxiliares perto do gol, possivelmente para verificar se a bola entrou ou não.

    Isso é alguma novidade? Porque não me lembro de ninguém ter comentado isso.

  • Leandro Thomé

    Oi André,

    Assunto nada a ver com a coluna, mas relacionado com um jogo de hoje. No Fla-Flu de hoje, tinha um “juiz” perto de cada gol… qual a finalidade daquele auxiliar extra, e isso é uma iniciativa do Camp. Carioca apenas, ou algo que está sendo testado a nível nacional?

    Abraço

  • JOMAR FÁBIO SILVA DE CARVALHO

    Do árbitro não se exige apenas HONESTIDADE. Ele tb deve ter COMPETÊNCIA e PERSONALIDADE.

    Ao Sr. SÁLVIO SPÍNOLA faltam, pelo menos, duas das qualidades acima.

    Ele foi COVARDE, ao deixar de punir a entrada desleal de RONALDO em ANDRÉ DIAS com cartão vermelho, pq TREMEU diante do nome do agressor.

    E errou ao expulsar o segundo, em razão de falta que NÃO EXISTIU, segundo a opinião UNÂNIME da crônica esportiva, que considerou o lance normal.

    DESONESTIDADE OU INCOMPETÊNCIA?

    O fato é que a expulsão influiu decisivamente no resultado.

    Parabéns à torcida corintiana, que terá uma semana para comemorar antecipadamente a classificação, assim como fez nas finais da Copa do Brasil, em 2008.

    EM TEMPO: será que a FPF, sempre tão zelosa, a ponto de provocar a mudança do árbitro na final do Brasileirão 2008, em razão de uma “suposição” do seu presidente, adotará alguma providência em relação ao gesto grotesto e provocativo de Cristian, que poderia incitar a violência?

  • Nao vi esse filme… ainda… mas a analogia foi perfeita. Adoro Kevin Spacey. Vide Beleza Americana em que ganhou o Oscar(nesse Os Suspeitos ganhou de coadjuvante) e A corrente do bem que é um filme fofo, sensível. Feliz Páscoa! Anna

  • Ricardo Medeiros

    Já que o assunto adentrou o tema cinema, aqui vai uma dica: não sei se vc curte séries americanas, mas se curtir assista Prison Break, o único problema é que vc vai ficar viciado. Abraços.

  • Leonardo atleticano

    André, o problema é que no caso de cartolas do futebol, e dos nossos valorosos políticos, todos são suspeitos, e são tão podres esses meios, que tudo faz sentido, vc joga qualquer tipo de m no ventilador e a coisa pega, pois ninguem duvida de nada. O que era notícia séria, hj virou fofoca, vc escuta, a coisa não tem andamento e vc já escuta outra bomba, e segue adiante, nada é provado ou esclarecido e uma lama encobre a outra. Dureza meu caro.

  • capu

    André, lembro que na campanha publicitária deste filme, inclusive, dizia-se : “não perca o começo do filme”

  • Decio Limongi Filho

    Esse tipo de afirmação que se faz: “quem ganha 25 mil por mês não se venderia por 20 mil…” é o que chamamos de “gol contra” nos fóruns da vida… É a defesa que piora a situação do réu… rsrsrsrs

  • Coitado do Jean…e o pior é que nem penalti eu achei que foi. Eu marcaria primeiro uam falta do Rodrigo Souto nele.

  • Thiago Ferreira Coelho

    “Os Suspeitos” é um grande filme. Mas contar o final é complicado: sempre tem alguém que não viu, e você estragou a diversão dessa pessoa. heheh

  • CHARLES

    Onde ha fumaça ha fogo…

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo