NOTINHAS PÓS-RODADAS (com Seleção)



Sobre quatro jogos de ontem:

* O empate (1 x 1: Ademar e Maurício Ramos) em Itápolis impediu o Palmeiras de garantir a classificação para as semifinais em primeiro lugar.

* Não conheço nenhum palmeirense que esteja mais interessado nisso do que no jogo do dia 8, na Bombonilha.

* Ronaldo fez mais dois (só um valeu) na vitória que colocou o Corinthians (3 x 0 no Ituano: Jorge Henrique, Ronaldo e Cristian) na próxima fase do Campeonato Paulista.

* O gol de Cristian, de falta, foi um balaço que ele disparou praticamente sem tomar distância.

* O Flamengo (1 x 0 no Americano: Juan) só não jogará as semifinais da Taça Rio se o Bangu multiplicar seus gols, o que seria um acontecimento mundial.

* Bruno fez uma defesa importante no final, que garantiu o placar.

* O Vasco não jogou bem de novo, de acordo com Dorival Júnior. Mas o Vasco venceu (1 x 0 no Macaé: Rodrigo Pimpão) de novo.

* Frase de Dorival: “Não quero apenas um bom resultado, não quero apenas a vitória. Não gosto de vencer uma partida quando o meu time passa os 90 minutos correndo o risco de sofrer um gol”.

______

Enquanto isso, em Porto Alegre…

O rachão de ontem no tapete do Gigante da Beira-Rio (são impressionantes os gramados por aqui, parecem mesas de sinuca) não revelou nada sobre os planos de Dunga para escalar a Seleção.

Treino de dois toques, risadas para todo o lado.

Se parece óbvio que Kaká será titular, não dá para afirmar nada sobre Ronaldinho Gaúcho. Mas acho muito improvável que Dunga deixe o ex-melhor do mundo no banco, por questões geográficas.

Tirar Ronaldinho do time, na casa dele, seria o mesmo que dizer “acabou para você”.

Não vejo Dunga fazendo isso, a não ser que ele não queira mais convocá-lo.

O horário do jogo (22h10) é terrível, e o dia, irônico.

A manchete já está pronta, caso o Brasil não consiga vencer o Peru em primeiro de abril.

Daqui a pouco estarei no Gigante. Espero que a rede sem fio suporte o uso pesado de tantos laptops.

Até mais tarde.



  • Felipe colorado

    André,

    Há muito expectativa aqui sobre as manifestações da torcida se o Ronaldinho for escalado. Talvez o Dunga acabasse preservando se o deixasse no banco, pois, não se tu repareste nisso, a torcida “não colorada” ainda não superou a forma como ele saiu do time deles.
    Nós colorados, porém, estamos mais preocupados em saudar Pato e Lúcio, bem como todos todos os demais selecionáveis!

    BRASIL!!!!

  • AK, correu o papo aqui em POA que a banda podre da torcida gremista pretende aproveitar a retirada das grades do Gigante e tentar invadir o gramado, prejudicando a candidatura do estádio à sede da copa… espero que fique no boato

  • Jovaneli

    “Treino de dois toques, risadas para todo o lado”, você escreveu, André.
    Pois é, depois reclamam que não têm tempo para treinar. Se coletivo já não serve para muita coisa, pior é o tal “rachão”. Aliás, serve, sim. Serve para mostrar que a seleção não treina adequadamente.

  • Leandro Thomé

    André,

    Você ouviu alguma sobre isso aqui:

    http://www.ole.clarin.com/notas/2009/04/01/futbollocal/01889189.html

    É uma matéria no site do Olé, dizendo que o Riquelme tem interesse em defender a seleção dos EUA como vigança para o Maradona, e dizem até que ele já fez um pedido formal para a FIFA.

    Ele como ex-jogador da seleção Argentina (jogou nas seleções de base, principal e olímpica) ainda tem como vestir a camisa de uma outra seleção? Se souber de algo mais, por favor nos informe.

    Abraço

  • Leandro Thomé

    André… publica a nota com algum comentário seu e depois manda o 1o de Abril pra glra hehehe

    Abraço

  • Renan Soares

    Não entendo muito bem como funciona treinamento e preparação física, André, mas não seria mais produtivo um treino tático?
    Coisas simples, do tipo bola parada…

    Parece-me muito “populismo” Dunga fazer um rachão animado pra milhares de membros da sua ALDEIA.
    Acredito que o Brasil passe fácil pelo Peru (mérito exclusivo dos jogadores que não querem dor de cabeça), do contrário a torcida não poupará vaias. Até porque nem todo gaúcho é colorado e Scolari também é gaúcho (e desempregado). Ou seria aldeão?

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo