NOTINHAS PÓS-RODADAS



Começando com o Grêmio, na Bolívia:

* Jogo típico de Libertadores em Cochabamba, em que o time pior acha que, deixando de jogar futebol, vencerá o time melhor. Às vezes dá certo.

* Mas ontem, o goleiro Dulcich não fez a parte dele, e levou um frangaço no chute de Tcheco.

* O Grêmio (2 x 1 no Aurora: Jonas, Paredes e Tcheco) lidera seu grupo e tem tudo para se classificar em ótima posição.

* Só gols bonitos na vitória (3 x 0 no Santo André: Madson, Triguinho e Neymar) que mateve as chances de classificação do Santos.

* Incrível o que Madson fez para alcançar a bola no lance do terceiro gol.

* Após três visitas sem vitória, o São Paulo ganhou (2 x 1 no Noroeste: Washington, Jorge Wagner e Marcelinho) fora do Morumbi, e caminha para as semifinais.

* No gol do Noroeste, ficou claro que a bola entrou.

* A Portuguesa, mesmo não vencendo o Mirassol (2 x 2: Junior Maranhão, Athirson, Luis Ricardo e Maurício) no Canindé, continua no G-4 e na briga.

* Estranhou o nome do autor do segundo gol da Lusa? É o ex-levantador da seleção brasileira de vôlei, especialista em “largadinhas de segunda”. Foi o que Fabrício Carvalho fez, não foi?

* A noite da primeira atuação integral de Ronaldo, e com dois gols, não foi completa. Porque o Corinthians falhou na defesa e só empatou (2 x 2: Leandrinho, Ronaldo-2 e Gum) com a Ponte Preta.

* Dizem que William está lento. Mas quando ele não joga, a defesa do Corinthians não pensa (primeiro gol), e sofre pelo alto (segundo).

* Erick Flores e Josiel recuperaram o Flamengo (4 x 2 no Madureira: Josiel-3, Bruno, Alex Alves e Juan) na Taça Rio.

* O primeiro justificou a confiança de Cuca. O segundo chegou aos 9 gols no Estadual.

* O lateral Paulo Sérgio disse que o Vasco (2 x 1 no Mesquita: Éderson Silva, Léo Lima e Jéferson) achou que ganharia fácil, por isso sofreu tanto.

* E o técnico Dorival Júnior chamou a vitória de “resultado enganoso”. Mas o fato é que o Vasco continua 100%.

* O Botafogo falhou (2 x 2 com o Americano: Victor Simões, Ernani, Reinaldo e Kieza) em casa, mas não falhou tanto quanto o árbitro.

* Simplesmente não há como André Luís Paes Ramos não ter visto o pênalti de Fahel em Kieza, no segundo tempo.

* Outra noite de Kléber (desta vez, só por bons motivos) no Mineirão: três gols na goleada (7 x 0 no Democrata: Gérson Magrão, Bernardo, Ramires e Wanderley marcaram os outros) que deveria ter reconduzido o Cruzeiro à ponta da tabela.

* O “deveria” fica por conta dos dois gols (aos 46 e 49 do segundo tempo) que deram ao Atlético Mineiro (2 x 1: Paulinho Pedalada, Júnior e Kléber) a virada contra o Ituiutaba.

* Era a noite da comemoração dos 101 anos do Atlético, que ficou muito mais agradável com a manutenção da liderança.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo