NOTINHAS PÓS-RODADAS



Começando com o clássico carioca:

* Eu (sempre) posso estar enganado, mas Carlos Alberto não só fez ontem sua melhor partida pelo Vasco (4 x 1 no Botafogo: Elton-2, Thiaguinho, Léo Lima e Carlos Alberto), como sua melhor partida em muitos anos.

* Atuação decisiva no jogo que devolveu os nove clássicos seguidos sem vitória sobre o Botafogo, com juros.

* Eu acho engraçado quando um jogador usa a paradinha na hora de cobrar um pênalti (como LL fez). Mas acho mais ainda quando dá errado.

* Ney Franco disse que o Botafogo “perdeu no momento certo”. Mas não há “momento certo” para levar quatro de um rival.

* No Morumbi, noite de Washington na goleada do São Paulo (5 x 0 no Mirassol: Borges, Washington-3 e Jorge Wagner), com o time titular.

* Mais de 5 mil pessoas foram ver o jogo, que começou às 21h50. Um despropósito.

* O empate (1 x 1 com o Paulista: Zé Carlos e Roni) em casa custou ao Santos um lugar entre os quatro primeiros.

* Não quero me meter no trabalho de ninguém, mas, pelo que vimos nos últimos dois jogos, não dá para deixar o garoto Neymar no banco.

______

Será uma longa sexta-feira, com coluna para o jornal e muita coisa para fazer na TV.

Mas prometo me esforçar para voltar aqui, e contar a história da foto que não tive coragem de pedir.



  • André, vi o segundo tempo do jogo do Santos e achei um time promissor. Gostei muito do Germano (volante canhoto é um belo diferencial) e não entendo como se reclama tanto do Roni! O cara luta o tempo todo, cria chances, ganha de cabeça de zagueiros 20 cm mais altos…

    Concordo quanto ao Neymar. Se o Mancini conseguir implantar o 4-5-1, vai ficar interessante: FCosta; Pará, Fabão, FEller e Leo; RSouto, Germano, Neymar, Molina e Madson; KPereira. Mesmo que não vingue no Paulista, para o Brasileiro é promissor.

  • Marcel Souza

    Estarei aguardando, ehehe… Essa história deve ser bem legal.

  • Gustavo

    Supondo que o Eric Clapton não frequente qualquer “bandeijão”, devemos concluir que fizeste uma bela extravagância gastronômica em Paris, hein?!
    Brincadeira à parte, deve ser difícil não cumprimentar um personagem cultural tão importante estando no mesmo ambiente que ele.

    Abraço.

    AK: Não há “bandeijões” em Paris. Um abraço.

  • Rodrigo

    André, a desculpa para esses horários esdrúxulos me parece que é a grade do Premiere Futebol Clube. Mas tem duas coisas estranhas: primeiro que quase nenhum jogo começa em horário decente (algo entre 20 e 21hs). São jogos quase sempre começando às 19:30 ou 21:50hs. Segundo: se o problema é a grade, por que jogos em dias menos movimentados continuam com horários toscos? O jogo do Botafogo/RP na terça, isolado na tabela, começou 21:50hs! O do São Paulo ontem, idem. Isso é ruim pra quem vai no campo e também pra quem assiste pela TV. Até que ponto esses horários fazem bem ao futebol, mesmo que comercialmente? Inté!

  • Marcel Souza

    Esses horários dos jogos não fazem nenhum bem pro futebol, e ponto.

    André, me lembrei, depois queria a sua opinião sobre o “cadastramento obrigatório” para os torcedores irem pro estádio. Pra mim é mais uma medida estúpida… Mais burocracia, mais corrupção, e não vai resolver nada…

  • pablo torquato

    Foi o melhor jogo em tempos do Carlos Alberto mesmo…mas o que ele apanhou no jogo ontem hein??

  • Leonardo Pires

    Que eu saiba não há “bandeijões” em lugar nenhum do mundo… Mas em Paris tudo deve mesmo ser mais elegante, até as ‘bandejas’, que devem ser de prata…

    AK: Você está certo. Mas perceba as aspas. Nem assim pode? Um abraço.

  • Renan Soares

    Esperava cerca de 2mil pagantes no Morumbi.
    Que surpresa!
    Que horário horrível. Um insulto!
    Quem precisa de dois ônibus para voltar, como faz?

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo