NOTINHAS PÓS-RODADAS



Começando pela estreia do Grêmio:

* Placar moral do jogo (0 x 0 com a U. de Chile): 4 x 0, no mínimo.

* Dois pênaltis não marcados. Um em Souza, no primeiro tempo, outro em Jonas, no segundo.

* Minha leitura do incrível lance aos 7 minutos do segundo tempo: gol do Grêmio. O árbitro deu falta no goleiro (reflexo em dia) Miguel Pinto, numa disputa no chão em que o jogador gremista tocou só na bola.

* Faz tempo que eu não via um jogo em que o placar teve tão pouco a ver com o que aconteceu em campo.

* No Equador, dá para afirmar com o nível de certeza que o futebol permite, que o Cruzeiro (1 x 1 com o Deportivo Quito: Ramires e Caicedo) teria vencido, se não tivesse deixado a temperatura mental subir tanto.

* Especialmente Wellington Paulista, expulso de forma inexplicável, no final do primeiro tempo.

* O empate fora de casa, descontadas as circunstâncias, não é ruim. Mesmo porque o Cruzeiro deve destroçar esse adversário no Mineirão.

* Mas dois pontos, praticamente ganhos, ficaram em Quito.

* Bonito jogo no Maracanã, clássico que levou o Botafogo (1 x 0 no Fluminense: Fahel) à decisão da Taça Guanabara.

* Justa classificação do time que mostrou mais bola no Rio de Janeiro até agora.

* Nada contra as maneiras que jogadores de futebol usam para se motivar, seja antes ou durante a partida. Cada um na sua.

* Mas goleiro que fica vibrando quando faz defesa importante (como FH, após espalmar o chute de Reinaldo, logo antes do gol), me passa uma sensação de nervosismo, e não de confiança.

* Pelo Campeonato Paulista, o Corinthians teve mais dificuldades do que deveria para vencer o Noroeste (2 x 0: Douglas e Otacílio Neto).

* E deveria ter saído atrás no placar, porque o Noroeste fez um gol mal anulado por impedimento.

* E antes que alguém escreva “e o pênalti no Jorge Henrique?!” : na hora, achei que ele se jogou. No último replay, do outro lado, deu para ver o toque. Deveria ter sido marcado.

* No melhor jogo da noite (tirando as coisas inacreditáveis que aconteceram no Olímpico), o Palmeiras entrou em campo dormindo, acordou, tomou um energético e virou o jogo (4 x 3: Luan, Marcelo Batatais, Keirrison-2, Edmílson, Diego Souza e Vandinho) contra o São Caetano.

* Bela partida de Diego Souza e Keirrison, especialmente do primeiro.

* Mais uma prova de que o K-9 nasceu para fazer gols (já tem 12 no ano, em 9 jogos): no lance do primeiro do Palmeiras, seu chute bateu no peito de um jogador do SC, na cabeça de outro que vinha acompanhando a jogada, e, claro, entrou.



MaisRecentes

Vitória com bônus



Continue Lendo

Anormal



Continue Lendo

Saída



Continue Lendo