NOTINHAS PÓS-RODADAS (edição do Oscar)



Em São Paulo, o G-4 já pode ser chamado de 4-G:

* Portuguesa e Palmeiras (2 x 2: Keirrison-2, Edno e Christian) foi o grande jogo do Campeonato Paulista, até agora.

* Mostrou a já conhecida capacidade ofensiva do Palmeiras, a capacidade de reação da Portuguesa, e, principalmente, a capacidade técnica de uma cara chamado Cleiton Xavier.

* O passe para o segundo gol do Palmeiras e a tabela com Fabinho Capixaba são lances que só saem dos pés de quem conhece.

* A única crítica ao clássico é que não houve um vencedor, conclusão que deve incomodar Fellype Gabriel até agora.

* Em tarde de Elias, o Corinthians já começou vencendo o jogo (3 x 1: Cristian, Nenê e Elias-2) contra o Guaratinguetá, com um gol antes dos dois minutos.

* E deveria ter ficado, também, em vantagem numérica. Pois se Jorge Henrique não foi derrubado em “situação iminente de gol” (é o que a regra diz), não dá para saber o que é isso.

* Outro detalhe incompreensível: Felipe armou a barreira protegendo o canto direito. Após o apito, pulou para a direita. Se você toma o gol por cima da barreira, é ruim, mas é mérito do cobrador. Se toma o gol no seu canto…

* No São Paulo (3 x 1 no Grêmio Barueri: Éverton, Borges-2 e Diego-contra), é quente a briga por posições em determinados setores.

* Mas sempre haverá lugar (seja onde for) para Jorge Wagner, jogador que faz sua presença em campo se refletir no placar, com impressionante regularidade.

* E Borges deixou mais dois…

* Os santistas paulistanos mais uma vez receberam bem (18.878 pagantes, 20.981 presentes) o time no Pacaembu, na vitória (1 x 0: Fabão) sobre o Botafogo.

* Deu a impressão de que Kléber Pereira tentou dominar a bola que entrou, o que pode ter atrapalhado (mas não é boa desculpa para a falha) o goleiro Paulo Musse.

* Léo disse que ele e Augusto Recife não mereceram ser expulsos, mas dá para ver claramente os dois pés mais altos, e os empurrões. Não há como criticar o árbitro.

* Talvez eu esteja sendo muito rigoroso, mas só há um caso em que dá para aceitar um dirigente do FLAMENGO culpar a arbitragem por uma derrota para o RESENDE (3 x 1: Bruno Meneghel-2, Hiroshi e Josiel), numa semifinal de Taça Guanabara.

* Se houver imagens que comprovem, sem contestação, que o homem de preto pegou três vezes a bola com as próprias mãos, e colocou dentro do gol rubro-negro.

* O árbitro Felipe Gomes da Silva não foi perfeito, mas ficou beeeeem longe de eliminar o Flamengo, como comprovam as declarações de Fábio Luciano e Cuca.

* Após o empate do Cruzeiro – escalação genérica – com o Uberaba (2 x 2: Jancarlos, Michel Cury, Gérson Magrão e Ivonaldo), não há mais nenhum clube da Série A com 100% de aproveitamento em 2009.

* Não creio que a torcida cruzeirense esteja passando um Carnaval tenso por causa disso.

* Belíssimo passe de Márcio Araújo (se é que a bola não desviou em Tardelli) no lance do primeiro gol da vitória do Atlético Mineiro (2 x 0: Carlos Alberto e Éder Luís) sobre o Rio Branco.

* O Atlético venceu com um a menos: perdeu Carlos Júnior (Leão disse que a expulsão foi justa), aos 42 minutos de jogo.

* Quando o goleiro Victor foi expulso, logo no início do jogo (2 x 0: Alex Mineiro-2) contra o Juventude, a torcida gremista achou que estava revivendo 2008.

* Além de Alex Mineiro, Ruy foi decisivo para a classificação do Grêmio às semifinais do Campeonato gaúcho.

* O jovem Taison (Internacional 2 x 1 Ulbra: Taison, Índio e Tatá) já é perigosíssimo quando bem marcado. Com a ajuda do adversário (como a “assistência” de Cuca, da Ulbra), então, é covardia.

* Mas a torcida do Inter bem que poderia ter sido poupada do sufoco no final.

______

Não me lembro de um ano em que tenha visto tão poucos filmes indicados ao Oscar. Com crianças pequenas em casa (e a questão que fazemos – no meu caso, quando dá – de ficar com elas até a hora de dormir), ir ao cinema passou a ser um luxo.

A boa notícia é que, um dia, tudo volta ao normal.

Não vi (mas pretendo) “Quem Quer Ser Um Milionário”, nem “Milk – A Voz da Igualdade”, e nem “O Leitor”.

Mas conferi “Cavaleiro das Trevas”, no cinema, e “Vicky Cristina Barcelona”, no avião, com as deliciosas interrupções da comissária (em inglês, português e japonês).

Portanto, não posso dizer muito sobre as estatuetas de Sean Penn (melhor ator) e Kate Winslet (melhor atriz), fora que tenho certeza de que eles merecem.

Meu principal interesse nesse ano era o que aconteceria com o Oscar de melhor ator coadjuvante, por causa da polêmica criada sobre a premiação de alguém que já faleceu.

Como entendo que o prêmio é para a atuação, mais do que para o intérprete, não conseguia ver razão para o debate.

Ótimo que Heath Ledger ganhou, como um Coringa lendário.

Chamá-lo de “coadjuvante” é quase um equívoco.



  • Renato Mello

    Fala, André.
    Só uma correçãozinha:
    O passe para o primeiro gol do GALO (do Carlos Alberto), foi do garoto Marcos Rocha – lateral direito – (mais uma assistência… pra gol dele, além do gol na Copa do Brasil… baita personalidade depois de vir da baser entrando numa “fria…), e não do Márcio Araújo, como escreveu.
    O blog continua excelente, como sempre.
    Abração,
    Renato Mello 😉

  • Cleverson

    Realmente o grande interesse da noite do Oscar, era a premiação de ator coadjuvante. Heath Ledger em uma das melhores atuações que vi, merecia ganhar, alias se o filme fosse centrado no Coringa ele teria ganho o premio de melhor ator. E concordo que a polemica de entregar ou não um premio postumo não tem muito sentido, já que o premio é parao melhor daquele ano.

  • Eduardo C. Nakashima

    Realmente, o Batman virou coadjuvante nesse Cavaleiro das Trevas… Oscar merecido!

  • Willian Ifanger

    André, o lance do penalti no primeiro gol do Palmeiras, não foi falta fora da área? Eu não vi o lance direito, mas me pareceu fora.

    Jogar fora de casa com a camisa 3, 4, 5 vá lá……mas em casa é dose……e o Santos está de azul.

    Quanto ao Oscar eu vi muito pouco da cerimônia……..mas os resultados foram meio que esperados. Ainda bem que não é sempre que atores como Sean Penn, Jack Nicholson, Al Pacino, Robert de Niro, etc…atuam pra ganhar o Oscar…..porque ficaria muito sem graça.

    Quanto ao melhor filme vou citar o que um dos críticos que mais leio escreveu sobre a premiação: “é por isso que não dá pra levar o Oscar muito a sério”.

    AK: As pernas estavam fora da área. Mas a falta foi com o braço, que estava dentro. Acertou o árbitro. Um abraço.

  • Mauricio

    * Talvez eu esteja sendo muito rigoroso, mas só há um caso em que dá para aceitar um dirigente do FLAMENGO culpar a arbitragem por uma derrota para o RESENDE (3 x 1: Bruno Meneghel-2, Hiroshi e Josiel), numa semifinal de Taça Guanabara.

    * Se houver imagens que comprovem, sem contestação, que o homem de preto pegou três vezes a bola com as próprias mãos, e colocou dentro do gol rubro-negro.

    Eu diria que nem assim, meu colunista, nem assim…
    Se o homem de preto (ou de laranja, de rosa, de amarelo…) fizer três gols com a mão contra o Mengão, é melhor dizermos que são erros humanos. Melhor do que tentar explicação para um suposto roubo do RESENDE!!!

    AK: Vindo de você, não tenho como discutir… Grande abraço.

  • Anna

    André,acho muito legal(e fofo) priorizar sua família,suas filhas. Quanto ao Oscar, é uma das festas do cinema que mais gosto mas que só vi flashes por causa do desfile das escolas de samba. Quando vi os melhores momentos,tornei a me emocionar com Heath Ledger e seu feito. E Kate Winslet merecia há muito tempo. Não vi O Leitor mas quero ver,assim como Slumdog Millionaire. Seu papel em Foi apenas um sonho,que ela nao concorria,é soberbo. Vicky Cristina Barcelona é um dos melhores filmes do ano,só perde para O curioso caso de Benjamin Button. Confesso que por causa do meu time,estou um pouco chateada com o futebol. Abraço,Anna

  • Allê Pipo

    Andrézão!!!

    Que orgulho eu tenho de você!

    Parabéns pela independência, embora, a dependência ou o 100% de influência de seu Pai não tiraria o brilho de sua carreira. O Brasil e não o Brazil precisa, necessita da continuidade da boa moral, da lisura, da inteligência, da ética e da competência prática.

    Simplesmente gostei e muito obrigado.

    Abração

    Alexandre Pipo

    AK: Quem agradece, aqui, sou eu. Obrigado pela visita e pelo comentário. Um abraço.

  • Alex

    Andre’, como palmeirense, concordo com vc (e havia mencionado a um amigo faz varias semanas): o CX sabe bater na bola, e’ um camisa 10 classico, da’ pra ver que sente tanto prazer em dar uma assistencia quanto em definir um lance no fundo do gol – isso hoje em dia e’ raro! E nao e’ um driblador, como o Valdivia. Portanto, e’ mais objetivo! Assisti a todos os jogos do Palmeiras em 2009, e sou da seguinte opiniao: (a) o time ainda esta’ se entrosando; (b) quando pega um adversario fechadinho, ainda nao sabe se desvencilhar da retranca (mas isto e’ natural, pois o mesmo acontece com a Selecao) – isto vai melhorar; (c) quando o adversario resolve se abrir, ai’ sim vem a orquestra comandada pelo CX10 e tendo como solista principal o K9, e’ uma beleza!; (d) eu jogaria com o DS7 mais recuado e o CX10 mais avancado, e nao vice-versa. (e) como toda a equipe do WL, tende a ser um pouco desbalanceada na hora de defender, e o problema e’ que, se nao marca 3, e tomar 2 como deve tomar frequentemente, ai’ complica. Portanto, o WL tem que saber fazer o time defender e fechar espacos quando esta’ vencendo. Omesmo aconteceu contra o Paulista (mas escapamos) e, de certa forma, tb contra a LDU (estavamos com dois empates e demos espacos). Mas, enfim, a coisa promete e, se o elenco ficar intacto, deve ir muito bem no Brasileiro….

  • Tatiana Bertolino

    Olá, André. Primeira vez que escrevo aqui. E várias coisas pra falar.
    Primeiro, o especial Diz que fui por aí foi lindo! Dizem que você sabe se um filme/programa é bom quando você se emociona junto, e foi isso que aconteceu. Me senti lá em Tampa, junto com vocês.
    Quanto ao Oscar, mesmo sem ver muitos dos filmes, acertei 6 em 6 chutes. Atriz, ator, ator coadjuvante, animação, filme e diretor. E olha que eu sou péssima de chutes. Foi o Oscar mais previsível de todos os tempos, e se continuar nessa toada, vai perder completamente toda a graça. A melhor coisa do Oscar ontem foi Hugh Jackman dançando no começo. Bom, já escrevi demais. Depois eu volto pra comentar mais.
    Parabéns pelo blog e pelo trabalho! Abraços!
    AK: Muito obrigado pelo elogio ao DQF. Um abraço.

  • Marcelo

    Opinião minha, mas não espere muito de “Quem Quer Ser Um Milionário”. Não chega a ser um filme ruim, mas qualquer filme da lista (ou até mesmo fora dela, como é o caso de “Dúvida”) é melhor que ele (sim, eu assisti a todos). Acredito que só ganhou para incentivar as novas produções a gastarem menos em tempos de crise mundial.

    Sem dúvida é o pior vencedor de óscar que já assisti.

    Pô, isso aqui é um blog de esporte e eu só ando comentando cinema. Mas se “política, religião e futebol não se discutem”, não há nada de mal em debater a sétima arte.

    AK: Claro que não há nada de mal. Obrigado pelo comentário e um abraço.

  • Alberto Arantes

    “Ótimo que Heath Ledger ganhou, como um Coringa lendário.

    Chamá-lo de “coadjuvante” é quase um equívoco.”
    perfeito, isso mesmo q pensei, mas acho q ele não ganharia do Sean Penn nessa categoria, mais pelo falecimento do que pela atuação. Para mim, nunca ninguém superará a atuação desse coringa, em qualquer personagem. O coringa morreu, ponto.

  • Othon

    Fala Andre

    Cara, com relação aos filmes, vi todos com excessão de A Duvida, gostei de Slumdog Milionaire, mas não ao ponto de ser merecedor do Oscar, eu daria para The Curious Case of Benjamin Button.

    Quarta meu time ( Cruzeiro ) carimba a classificação pra 2a fase da Libertadores, vamos jogar em Quito com um time que ate a pouco estava em greve por nao receber salários. ( Daqui a pouco são os jogadores do CRF que vão fazer greve )

    Grande abraço e o Blog continua cada dia melhor !

  • Jefferson Fernando

    Olá, bom dia, tudo bem! voce acha quue a atuação do Heath Ledger como coringa foi melhor que a atuação de Jack Nicholson como coringa em 1989. Eu não sei a sua opinião gostaria de saber, sou fã de Jack Nicholson e a sua atuação foi memorável.

    AK: Escrevi sobre isso quando vi o filme. Nicholson fez um Coringa divertido, irônico, sarcástico. Uma atuação inesquecível, a melhor que eu vi. Ledger foi um Coringa angustiado, problemático, deprimido. Algo totalmente diferente. Um abraço.

  • Jose

    Só quero lembrar que o Coringa que se aproxima dos quadrinhos (Sou colecionador fanático) é o do Ledger e não o do Nicholson ( que eu achei uma caricatura, bem ruim mesmo).
    Sds

    AK: Sei disso. Nunca li uma página dos quadrinhos de “Batman” (ou qualquer outro), mas convivo com quem gosta. Só vale lembrar, também, que se Nicholson fez um Coringa com espírito oposto ao dos quadrinhos, a “culpa” não é dele. Um abraço.

  • Leonardo

    André, felizmente, esse seu blog de esporte tb dá pano pra manga no quesito (época de Carnaval…) cinema.

    O Coringa interpretado pelo Nicholson é inigualável! Ainda sabendo, como notório, q os objetivos de Ledger e de Nicholson eram diferentes, é, a meu ver, incomparável a grandeza da atuação do segundo.

    Ledger nos apresentou um Coringa sombrio, mórbido e repleto de tiques (de onde ele tirou aquela língua solta?!). O Coringa q todos conhecemos, e mesmo que os quadrinhos digam o contrário, é uma personagem sarcástica, irônica, engraçadamente aterrorizante.

    Perdão a todos, mas não acho que Ledger merecia a estatueta. Penso q só a recebeu em vista da repercussão que sua morte, em plena filmagem, gerou.

  • Anna

    Leonardo,o Heath ja tinha filmado Batman qdo morreu. Ele estava em plena filmagem de outro filme Dr nao sei o que(nao lembro agora). Opiniao e opiniao mas o desempenho dele foi soberbo. O blog e muito bom mesmo,de assuntos variados e bem escrito. Adoro passar por aqui. Grande abraçoa todos,Anna

  • Leonardo

    Anna, obrigado pela correção. Vc tem razão. Mas, ainda assim, penso que foi a morte de Ledger que causou comoção suficiente para lhe garantir, ainda que postumamente, a estatueta.

  • Anna

    Leonardo,o filme do Heath que ele nao concluiu é The Imaginarium of Dr Parnassus. O desempenho é fabuloso mas pesou um pouco sim o fato de ele ter morrido em consequencia do carrossel de emocoes do personagem e ele ja ter sido indicado pelo Segredo de Brokeback Mountain e nao ter levado.

  • Àurea

    Discordo totalmente dos comentàrios que dizem que o Heath Ledger levou o oscar por causa de sua morte ou pela comoção provocada pela mesma.Isto è uma opinião mesquinha e injusta.Morte nunca foi prè-requisito para se ganhar oscar, vide o ator James Dean cuja morte causa comoção atè hoje e nunca levou oscar algum ,embora foi indicado duas vezes ,em 1955 e 1956 ao oscar pòstumo.Outro exemplo;o protagonista de “o carteiro e o poeta” tambèm indicado pós-mortem e não foi premiado, e por aì vai… O Heath Ledger levou porque ofereceu ao pùblico uma atuação visceral, perfeita de um psicòtico,esquzofrenico, piromanìaco, com tiques psicòticos perfeitos.Ve-se que o ator fez um trabalho de laboratòrio e pesquisa.Quanto ao comentario de :”onde ele tirou aquela lingua?”.Os pacientes psiquiátricos pricipalmente os confinados em hospitais psiquiátricos ingerem muitos medicamentos para aliviar os seus sintomas, isto provoca um ressecamento na boca e làbios,è necessario a ingestão de lìquidos frequentes e isso nem sempre ocorre.Por causa disso alguns pacientes molham os làbios com a lìngua com frequencia.Creio eu , que o ator possa ter captado esse tique em sua preparação para o papel.O Heath foi soberbo.Vamos ser justos!

MaisRecentes

Classificado



Continue Lendo

Jogo real



Continue Lendo

Errático 



Continue Lendo