SUPER CAMAROTE



Depois que a Seleção Brasileira foi eliminada da Copa de 2006, meus chefes me enviaram para cobrir a Itália. Sorte minha, pois os italianos não só foram à final, como ganharam a final.

Mas o jogo que eu sempre vou lembrar é a semifinal contra a Alemanha, em Dortmund.

É das experiências mais marcantes que tive num estádio de futebol, mas essa é outra história.

Uma das lembranças legais desse jogo é que meu ingresso me permitiu ver os dois gols da Itália com absoluta clareza, pois eu estava sentado na terceira fila de cadeiras (de baixo para cima, portanto bem próximo do campo), e exatamente na linha da risca da grande área.

Os gols de Fabio Grosso e Alessandro Del Piero saíram na minha frente.

Tudo isso para dizer que, ontem, a sorte me presenteou de novo.

Santonio Holmes, wide receiver do Pittsburgh Steelers, fez a recepção que decidiu o Super Bowl XLIII a cinco metros de onde eu estava.

O pessoal do NFL Films, que coordena a presença de repórteres e cinegrafistas dentro de campo, agrupou todas as equipes de TV estrangeiras no mesmo local do gramado, durante o último quarto do jogo.

Era uma medida para organizar o acesso à cerimônia de entrega do troféu.

Eles poderiam ter escolhido qualquer lugar, mas preferiram a lateral da end zone onde o touchdown aconteceu.

Só não deu para ver se Holmes tinha pisado dentro do limite (acho que ninguém viu, tanto que a jogada foi para revisão), mas foi incrível acompanhar toda o lance, num “camarote” dentro do campo.

Esse é um dos momentos que eu vou levar para casa, junto com Bruce Springsteen fechando o mini-show com “Glory Days”, e, claro, a transmissão que fizemos na ESPN.

O SB XLIII foi um baita de um jogo.

No final das contas, é isso que vale.



  • Carlos D

    Parabens Andre, por conta desse jogo estou destruido hj no serviço, mas valeu a pena!rsrs Cara como voce tem sorte!rsrs mas lembre-se que nesses casos a sorte é consequencia da competencia, sem ela sua sorte não viria!! Parabens novamente. e ve se depois posta algumas fotos ai do jogo ou da viagem!

  • Willian Ifanger

    …e eu fui dormir no começo de quarto período porque estava 20×7 pros Steelers…tsc-tsc-tsc.

  • Bruno Zani

    O jogo foi demais….aquele final me deu uma emoção que eu que nunca havia sentido vendo Football….
    Confesso que não sou admirador do esporte, mas vira e mexe assisto uma partida ou outra e sempre assisto a final pelo tamanho e impacto do evento…e aqueles 5 ou 6 minutos finais foram demais, emoção soh comparada a jogos de finais do meu time por aki…
    Fiquei lembrando dos seus comentários aqui no blog e pensando no seu prazer em estar por ali.
    Parabéns a vc e toda equipe, foi tudo perfeito!

    abs

  • André,
    Gostaria de escrever uma tese neste espaço, mas infelizmente (ou felizmente…) não tenho como.
    Só posso definir ontem como um dia muito diferente, pois até uns 3 anos atrás, só em ouvir as palavras “futebol americano” eu já ficava com raiva, dizia ser um esporte idiota, que não tinha graça nenhuma, que era coisa desses americanos prepotentes, etc …
    Tenho 28 anos hoje e apesar de não saber sobre a história da maioria dos jogadores,(Montana, Marino, etc … são mais fáceis de saber ) recordes, todos os times de cor eu sei alguma coisa sobre as regras, táticas, termos em inglês e aprendi a entender e assistir esse jogo magnífico que não dá brecha para “corpo mole” que tanto vemos no “nosso futebol”, e principalmente para o azar.
    Ontem, quando o Holmes pegou aquela bola por trás de 3 defensores do Cardinals eu não acreditei na campanha que o Steelers fizeram.
    Eu juro que depois do TD do Fitzgerald o título era da equipe vermelha.
    Enfim, parabéns pelos mais de 10mil comentários no post de ontem.
    Não tenho micro em casa (estou escrevendo do trabalho), e queria mandar muito uma mensagem de agradecimento a você, ao Everaldo, ao Paulo, ao cinegrafista e a ESPN Brasil por essa primeira oportunidade de uma equipe de TV Brasileira ao vivo desse maior evento do esporte anual.
    Parabéns mesmo !

  • murilo sc

    Ola Andre, parabens pelo seu trabalho, Paulo e ao Everaldo tbm. Andre nunca imaginei que assistiria a uma partida de futebol americano,pois nao conheço regras nao intendo nada. pois ontem fiquei por duas horas e meia vendo um espetaculo, aprendi muito, achei que sabia tanto que o ultimo quarto nao assisti, como o arizona nao estava conseguindo marcar pontos e a vantagem dos Steelers era consideravel, fui dormir. Hoje depois de ler o final do jogo, parece que perdi o jogo inteiro. E pra mim o que esta me incomodando um pouco eh que eu gostei demais. Obrigado a vcs tres por terem me apresentado mais um esporte, parabens e sucesso.

    AK: Bem-vindo ao clube! Um abraço.

  • PH Peixoto

    Pô, qual é a outra história da semifinal de 2006, entre Itália x Alemanha?

    AK: Nada demais. Coisas que fizeram daquele jogo uma experiência legal, e que não tinham a ver com o post. Um abraço.

  • Jovaneli

    André, embora meu time seja o Saints, na final da temporada passada escolhi um time para torcer…contra: queria que o Patriots perdesse. E não é que o Giants conseguiu, no fim, com muita emoção, vencer o favorito. Emoção que também senti ao ver o Cardinals, para quem torcia nesta final, fazer dois touchdowns quase no fim e virar para cima dos Steelers. Pois é, quase no fim, porque o jogo só acaba quando termina, né? Aliás, eu mesmo sabia disso pela experiência do ano passado. Touchdown Steelers, Holmes, at home, and bye bye Cardinals.
    Mas valeu. E muito. A ESPN deu um show de transmissão. Parabéns e até setembro com a temporada 2009/2010. Abraço!

    AK: Obrigado pela companhia, e um abraço.

  • Massara

    André,

    Assisti “somente” ao segundo tempo do jogo. Não sou um fã de futebol americano. Nunca assisto. Estava sem sono. Mas acabei testemunhando uma destas coisas que, para quem gosta de esporte, mesmo quem não entende muito bem as regras daquele jogo específico, sabe que está presenciando um momento histórico e difícil de se repetir. Duas viradas em espaços de tempo muito curtos. Sendo que o último touchdown nasceu de um lançamento espetacular, que só pôde ser pego com um pulo monumental, seguido da inteligência do jogador de apoiar seus pés dentro da “end zone” na queda. Fantástico.

    Só fiquei impressionado com a ausência de punições às agressões ao longo do jogo. Vi vários socos e tentativas de agressão, testemunhadas pelos árbitros, torcedores e pela TV, sem que nada de mais fosse dito a respeito. Existe algum tipo de punição pós-jogo nestes casos na NFL (tipo um STJD), ou é normal e fica por isso mesmo?

    Abraço.

    AK: A própria Liga revisa os lances e aplica as punições devidas. Mas existe uma preocupação muito maior com a integridade dos atletas (choques ilegais, desnecessários ou tardios são punidos severamente) do que com entreveros que são normais num jogo em que os caras se batem o tempo todo. Um abraço.

  • Anna

    André,você tem muita sorte e é merecedor de tudo isso! O trabalho de todos vocês foi espetacular! Grande abraço e parabéns,Anna

    AK: Obrigado, em nome de toda a equipe. Um abraço.

  • Marcelo

    Aquele último touchdown teve roteiro, só pode. Foi digno de filme, sensacional.

    AK: Incrível, né? Para um quarterback, só há uma coisa melhor do que ganhar um SB: ganhar um SB conduzindo seu time a uma virada nos últimos dois minutos. Um abraço.

  • Marcel Souza

    Oi André,

    Realmente foi um jogaço e um espetáculo, como sempre!! Pra mim a fatura já estava encerrada como TD dos Cardinals, mas a última campanha dos Steelers foi sensacional mesmo, coisa de campeão. Só fiquei chateado pelo Kurt Warner, o cara jogou muito nessa final e se o time dele não tivesse cometido tantas faltas, o resultado seria outro.

    Parabéns pela transmissão André, foi tudo muito bem feito!

    AK: Obrigado! Um abraço.

  • Fala sério!!! Vc estava naquela ‘quininha’, naquele cantinho? Que, no final da partida, foi o MELHOR LUGAR DE TODO O ESTÁDIO???

    Deve ter sido impressionante ‘ao vivo’. Da TV já foi um absurdo ver o lance em ‘slow motion’, a bola passando sorrateira pelo MURO do Arizona (3 caras) e indo aterrisar nas mãos do Holmes (no fundo, acho que nem ele mesmo acreditou…).

    E eu que não esperava mais coisa alguma do jogo, depois da impagável devoluçao do número 92 dos Steelers – nao lembro o nome dele, acho que era Harrison, é isso? – de 100 (intermináveis) jardas. Até eu bloqueei os caras do Arizona com o pensamento… he he!

    O ‘quarto quarto’ foi simplesmente ESPETACULAR!

    Grande abraço e bom retorno!
    Joao Luis Amaral

    AK: Pois é, eu estava por ali. Muita sorte. Obrigado e um abraço.

  • Victor Lobo

    Foi um baita jogo. Como vários outros Superbowls, este tem lugar na memória.

    Poxa, dá muita inveja das coisas que você precisa fazer para “trabalhar”. Muitos parabéns a voces que fizeram parte da primeira transmissão ao vivo a partir do local da partida. Juro que nem imaginava que um dia isso aconteceria.

    AK: Nem eu… obrigado e um abraço.

  • felipe

    descreve ai a emocao do cidadao santonio holmes ao perceber q tinah feito o TD da vitoria …. tem como ?

    AK: Acho que não… um abraço.

  • Desculpe André,
    Entendo que você seja um entusiasta por esportes, mas o futebol americano é mesmo muito chato. As finais do superbowl são, em geral, ainda mais chatas do que os jogos do playoff e, sustento ainda, outros três pontos:
    1) Os comerciais e o show do intervalo são, em geral, maiores atrações do que o jogo em si.
    2) Como o basebol, embora as cartas não sejam marcadas, os resultados são, em geral, extremamente previsíveis: numa final como essa que aconteceu, nem em 1000 anos os Cardinals “conseguiriam” ganhar uma dos Steelers
    3) Os últimos 2 minutos de jogo levaram mais de 20 minutos para acontecer. É muito blablabla para pouco tempo de “bola rolando”. Se você juntar a partida toda provavelmente dá, ESTOURANDO, uns 10 minutos de actual gameplay.
    O único jogo legal mesmo criado por aqui mesmo é o basquete, criado por um canadense, no caso.
    Abraço!

    AK: Será que estamos falando do mesmo jogo?

    1) Discordo. São aspectos diferentes de um mesmo evento.

    2) O quê?! No ano passado, o New England Patriots estava invicto e perdeu para os Giants no SB. E os Cardinals só perderam o jogo numa recepção fantástica nos últimos segundos.

    3) Realmente há muitas interrupções, assim como no basquete. Se você gosta de um, não tem por que não gostar do outro…

    Um abraço

  • Paulo Scopacasa

    André, sensacional o show que a equipe da ESPN deu ontem no Super Bowl. Assisto Super Bowls desde os tempos de Luciano do Valle na Bandeirantes e posso dizer que nunca me senti tão próximo e tão “presente” ao evento como dessa vez. Provavelmente o fato de ter sido o melhor SB da história tenha ajudado, mas com certeza existe uma grande parcela sua, do Everaldo, do Paulo e do pessoal da produção da ESPN. Grande transmissão! Foi com certeza um “Glory Day” pra todos que gostam de futebol americano, acompanham vocês no “The Book…” (aliás, o que mais além das 12 mil mensagens precisamos pra ele ganhar mais meia hora?) ou nas outras transmissões de “esportes americanos”. Parabéns e, principalmente, obrigado!

    PS: O próximo desafio é acompanhar uma World Series “in loco”… ;o)

    AK: Quem agradece somos nós. Um abraço.

  • Carlos Futino Barreto

    Oi, André.

    Baita jogo esse que vc pode assitir de perto, não?

    Agora, já que vc tava lá, será que podia me ajudar com uma dúvida que minha esposa levantou durante a transmissão (e eu nunca tinha me tocado)?
    Como é que os caras fazem para liberar o gramado depois do Half-Time Show? Pelo que eu vi, no show do Springsteen tinha um monte de gente no gramado, fora o palco.

    Obrigado

    AK: Planejamento e organização. Todo mundo que entrou para o show, saiu em ordem. Um abraço.

  • Não acredito que voce estava lá bem no momento do TD.
    Não sou muito fã do esporte não mais quem assistiu a final de ontem, concerteza passou a ser, foi um grande jogo.
    Dá uma passada no meu blog André: blog.coisasdofutebol.com.br

    Abraço

    AK: Jogão, né? Um abraço.

  • João Neroni

    André, o jogo foi estupendo. Emoção e técnica do início ao fim. A cobertura e a transmissão da ESPN foi perfeita. Parabéns a você, ao Everaldo e ao Paulo por todo trabalho e um abraço a todos da produção que, tenho certeza, muito fizeram para o resultado final.

    Abraços

    AK: Obrigado! Um abraço.

  • Rodrigo

    Andre,
    Acompanhei o jogaco de ontem a noite pela ESPN. Infelizmente, nao pela Brasil, mas pela americana, ja que nao moro nas terras nacionais.
    Posso imaginar bem pouquinho de tudo o que vc vivenciou, afinal, sao coisas que só estando la para saber realmente como é. Mas, escutar o Big Boss ao vivo, mandando Born to Run e depois Glory Days, deve ser mais emocionante do que uma virada faltando menos de 2 minutos.
    Grande abraco!

    AK: Foi realmente espetacular. Obrigado e um abraço.

  • Christiano Ramos

    André, parabéns pela cobertura do Super Bowl. Foi muito bom!
    E o show do Bruce do Springsteen foi demais!
    Excelente narração (o Everaldo Marques merecia essa transmissão ao vivo), o Paulo Antunes comentando e você dando as informações.
    Demais! Agora só falta finais da NBA e World Series in loco!

    Abraços a todos!

    AK: Deus te ouça… obrigado e um abraço.

  • Daniel Gondim

    André, parabéns a você, ao Everaldo, ao Paulo e a toda a equipe da ESPN que esteve em Tampa. A transmissão de vocês foi o Super Bowl das transmissões esportivas. Parabéns mesmo!!!

    AK: Obrigado pela companhia e pelo elogio. Um abraço.

  • Leandro Thomé

    Lendo os comentários da glra parece que a transmissão da ESPN foi show de bola msm… aqui pela NBC foi o já conhecido John Madden msm, sem falar no hype que fizeram dos comerciais em 3D que quase não deu pra sentir nada de diferente.

    Enfim, mais um baita jogo… vc tem que colocar no seu calendário um tempo pra cobrir o Final Four, esse sim sempre em uns jogos bem legais tb.

    Abraço

  • Giuliano – Cianorte/PR

    André parabéns pela cobertura da ESPN, foi sensacional assim como o jogo, único problema é que fiquei meio zumbi no dia seguinte, mas valeu a pena.
    E que camarote, hein? Eu teria um ataque se assistisse de tão perto assim.
    Abraços

  • Estevan

    è verdade andré , eu fui olhar o video e consegui ver você no fundo, atrás de uns camera de colete vermelho

    tá aqui: http://www.nfl.com/videos?videoId=09000d5d80e86d72
    mais ou menos aos 7:10 do video

  • Ah André,

    Esqueci de citar o seguinte: seu blog é ótimo, bem como suas reportagens. Lamento não poder ver mais seu material, porque aqui no Canadá é só ESPN football / basebal / basketball / hockey.

    Ainda discordo de ti, as interrupções no basquete ainda são bem mais curtas que no football (referee challenge, coach challenge, aí o outro coach challenge, e por aí vai, hehe). Mas espero ver outra cobertura de qualidade ao final dos playoffs da NBA.

    Ah, Patriots x Giants vai dar sempre Giants…

    AK: Obrigado, e seja sempre bem-vindo. Um abraço.

  • Crema

    Olá André, parabéns pelo blog, muito bacana!
    Acho muito legal a ESPN fazer a cobertura do Super Bowl. Moro nos EUA há 6 anos e assim que cheguei aqui achava o Futebol Americano um esporte muito estranho, era um dos muitos brasileiros que não viam sentido algum naquela “pancadaria”. Vão jogar futebol de verdade, gringos malucos!”, dizia eu. Hoje tenho vergonha de confessar isso. Depois que você passa entender como a coisa funciona não tem como não virar fã do esporte, hoje em dia não perco um jogo dos Patriots (escolhi bem time…) e sob hipótese nenhuma deixo de assistir ao Super Bowl. Parabéns pelo trabalho. Keep up with the good work!!

  • Lucas Cugler Costa SP/SP

    Sei que parece coisa de fã revoltado (fã do Charges aqui), mas o passe do Big Ben para o Holmes foi incompleto.

    euaehuahea, mas o fato é que eu não conseguir ver direito os dois pés dele tocando o chão, vi apenas a ponta do pé esquerdo dele tocando o chão, quanto o pé direito apenas encosta no pé esquerdo quando ele atirado pra fora do campo.

    e o time da mostarda deveria se contentar com um Field Goal e levar o jogo para a extra time.

    eauehauea

    Era sonho demais o Cards ganhar

  • Lucas Cugler Costa SP/SP

    Antes que eu me esqueça

    Vocês vão passar o Pro Bowl ao vivo no próximo domingo?

    e sobre o All-Star weekend, a espn vai transmitir alguma coisa, ou apenas o All Star game?

  • Gustavo Soares

    Vi o final do jogo por não estar com sono (como a transmissão começou as 20 horas, quando liguei a TV quase uma da manhã esperava ver outra coisa… rs), e quis comparar o Futebol Americano com o Rugby. Prefiro o esporte inglês, é mais dinâmico e emocionante, mas o final desse Superbowl foi eletrizante (claro que como já foi dito poderia rolar mais jogo e menos paradas).

    Bom já tive a experiência de assistir jogos de basquete da NBA e creio que a visão deles para esporte é muito diferente da nossa. Os jogos ão mais entretenimento, e carece de uma torcida mais entusiasmada. (Assisti jogos entre Bulls e Celtics e Knicks x Raptors). Lógico que devemos aprender a organizar eventos com eles, mas não creio que o modelo americano é o mais adaptável para nós. Prefiro o modelo europeu (já assisti a jogos do Italiano, Alemão (inclusive jogo de título) e da última copa) que parece estar mais conectado a maneira como nós nos relacionamos com o esporte.

    sds

MaisRecentes

Indecifrado



Continue Lendo

Equação



Continue Lendo

A opção pelo erro 



Continue Lendo