BELLUZZO NA ÁREA, E OUTRAS COISAS…



Cinco toques, na “estreia oficial” do blog em 2009:

* É verdadeiramente chocante que um cara como Luiz Gonzaga Belluzzo tenha vencido a eleição no Palmeiras por 22 votos. Isso significa que 123 pessoas (145 a favor, e 6 em branco) votaram contra o candidato que o clube deveria aclamar como presidente. Sim, aclamar. A coisa tinha de ser assim: a partir do momento em que Belluzzo aceitou a candidatura, a eleição deveria ser uma formalidade, simbólica. Como foi simbólica a aparição dos dois adversários no pleito, com a bandeira do Palmeiras nas mãos, depois do anúncio do resultado. Com Belluzzo no comando, o Palmeiras salta para a vanguarda da administração de futebol no Brasil, um túnel longo e escuro, com pouquíssimos focos de luz. Se ele falhar, não será por defeito de capacidade ou (o que é virtude em nosso país) de caráter.

* A primeira medida do novo presidente palmeirense bem que poderia ser um telefonema para seu colega são-paulino, Juvenal Juvêncio. Para saber se JJ estava falando sério quando recuperou o discurso sobre a criação de uma liga de clubes. Perguntar se a conversa não era apenas uma alfinetada na Federação Paulista de Futebol, que não desfruta – no momento – de boas relações com o Morumbi. E dizer que, se for para valer, o Palmeiras está dentro. Já imaginou? Que os clubes brasileiros precisam se libertar das amarras das federações (e da Confederação, também) e organizar suas competições, é conversa velha e óbvia. O problema é que a cartolagem não quer. Isso também é velho e óbvio.

* Por falar em cartolagem, de olho na reforma da Lei Pelé. O deputado federal José Rocha (PR-BA) propôs o fim da responsabilização dos dirigentes de futebol pelas dívidas por eles contraídas, em seu texto de alteração já enviado ao Ministério do Esporte. O mecanismo foi um dos principais avanços da Lei, ao equiparar os clubes às outras atividades econômicas. Por ele (parágrafo 11, artigo 27, Lei 9615, de março de 1988), um dirigente que faz uma gestão catastrófica (escolha um, entre tantos) e enterra o clube em dívidas, pode responder com seu patrimônio pessoal pela “incompetência”. Se o sumiço do parágrafo for aprovado na Câmara e no Senado, os dirigentes voltarão aos tempos do faço-o-que-eu-bem-entendo-porque-o-problema-não-é-meu. O nobre deputado foi presidente do Vitória entre 1983 e 85, e já recebeu R$ 150 mil em doações da CBF em suas campanhas políticas. É um legítimo membro da “Bancada da Bola” no Congresso Nacional. Perguntado pelo Diário Lance!, na semana passada, se a mudança não significa um retrocesso, José Rocha disse o seguinte: “Se a retirada do parágrafo estiver salvando os dirigentes, vou retificá-la. A minha posição é de que os dirigentes devem arcar com seus bens. Vou manter a responsabilidade”. Tic-tac-tic-tac…

* O amistoso Brasil x Itália (ou seria melhor chamar o jogo de “Troféu Cesare Battisti”, em homenagem ao incidente diplomático entre dois países amigos?) é o tipo de jogo que a gente para para (não é fantástica a nossa reforma ortográfica?) ver. Adversário à altura, clássico mundial. Que não seja uma exceção no calendário da Seleção em 2009. Mas acho que é pedir muito.

* Thiago Neves não vem mais para o Fluminense. O torcedor – o que enxerga e ouve, não o que gosta de ser iludido – já deve estar vacinado. Mas essa, justiça seja feita, não foi uma obra da diretoria.



  • Marcel Souza

    Olá André! então finalmente o blog está de volta? Ainda bem!

    E aí, a viagem pro Superbowl? Está tudo certo?

    Bem vindo de volta!

  • David Pimentel

    Fala André, começou 2009 com tudo heim?
    Seu blog faz muita falta pra gente.
    Bem-vindo!!!

  • Ótimo texto. Para ficar impecável: a Federação não desfruta. “Disfruta” está dando aflição. Acontece, mas era legal corrigir.

    AK: Aflição? Imagine em mim. Obrigado e um abraço.

  • Jovaneli

    André, é quase utopia imaginar os nossos clubes dando um bico nas federações – e até na confederação brasileira de futebol – e formando uma poderosa liga, com organização, ideias inteligentes, respeito ao torcedor (consumidor), estádios cheios e limpos etc. Ao mesmo tempo, me dou o direito de ver nesse esboço de rebeldia são-paulina um início do que pode ser a mais feliz e positiva revolução de nosso futebol. Enfim, sonhar não custa nada. Apenas não vejo como algo do gênero, ainda mais em época de acertos pela Copa de 2014.
    Com relação ao Thiago Neves, realmente foi surpresa para mim o Fluminense não ter enganado seu torcedor, dessa vez. Fantástico. Até cheguei a imaginar o Pinóquio ganhando credibilidade…
    Já sobre o amistoso, leio no Estado que o amistoso pode até não acontecer…Político italiano quer cancelar amistoso contra o Brasil (http://www.estadao.com.br/esportes/not_esp313759,0.htm).
    Abraço!

  • Cesar Reis

    Bem, não creio que a retirada do parágrafo responsabilizando o dirigente do clube vai mudar muita coisa, desde que o estabelecido mais recentemente nos dispositivos legais e obrigatórios sejam obedecidos. Por exemplo: publicar balanços periódicos da gestão.

    De olho nas finanças e nos gastos do clube e através dos balanços (não fraudados), a oposição pode aceitar, buscar impugnar ou enquadrar o perdulário da grana alheia.

    Entretanto, no futebol brasileiro tudo vira folclore. Somente lembro de um presidente de clube grande ser deposto por impeachment e cujas dívidas contraídas não foram maiores do que de tantos outros a quem nadinha aconteceu. Se conseguiu provar inocência não sabemos.

    Mesmo depois da Lei Pelé algum presidente ou dirigente de clube grande foi responsabilizado perante a lei por má gestão financeira? Desconheço.

    AK: Já há casos, os primeiros, de responsabilização surgindo na Justiça. Esse é um ponto. O outro, tão importante quanto, é que o dirigente que sabe que pode responder com seu patrimônio pensa um pouco mais. Um abraço.

  • Rodrigo Costa

    André,
    Que bom está de volta,,

    Esse amistoso do Brasil está ameaçado de ser cancelado, o q achas?
    Em relação ao TN, mais uma bola fora da diretoria. Culpa dela sim, o Flu parece não saber negociar em segredo, qual será a próxima “bomba” ???
    A primeira “bomba” de verdade, aconteceu domingo passado, na derrota contra o Cabofriense. Mas, com os animadores 30 minutos do 1 tempo, acho q com o tempo, o time vai dar caldo.
    Tomara que no final deste ano, surja um “Beluzzo” no Flu para substituir o inacreditável presidente do Flu.
    Abcs

  • Carlos D

    até que enfim voltou!rsrs
    André so lembrando que o Beluzzo e o João Paulo de Jesus Lopes já se reuniram no passado para aproximar as duas diretorias, o que só fortalece a sua idéia. seria otimo os clubes criarem uma liga como nos paises europeus e deixar a CBF cuidando apenas da seleção e olhe lá. e durante o superbowl? voce vai atualizar o blog lá de tampa contando o q acontece lá?não quero nem imaginar os chiliques do Paulo Antunes dentro do estádio gritando “cheeega”!rssrrs
    e parabés pela entrevista ao SPNET, mais uma vez vc mostra pq é um dos melhores da sua geração.
    AK: O plano é tocar o blog lá de Tampa, sim. Obrigado e um abraço.

  • Diego braun

    André, a liga dos clubes seria fantastico, chega de os times serem subornidados por essas federações fajutas…
    Sò q a gente sabe que o buraco é mais embaixo…
    Mas com a eleição do Beluzzo, acredito num reaproximação do SP e palmeiras, q antes eram inimigos declarados…
    O futebol brasileiro q é celeiro dos maiores craques mundiais, os dirigentes tem q lutarem mais pelo interesses dos clubes, e não pelos seus interesses, como q quase sempre acontece…

    Muito legal a sua entrevista no blog do zanquetta, vi la, ficou muito boa e interessante, quem quiser ver la:

    zanquetta.wordpress.com

    abs André, parabens pelo grande trabalho, feito sempre com seriedade e profissionalismo..

  • Guilherme

    Seguindo a “onda beluzzo”, bem que o Arminio Fraga poderia se candidatar a presidência do Flu,para substituir o fanfarrão-mor.O que vocês acham?

  • Vagner Luis

    André, como não sei exatamente sua posição, pergunto aqui para que fique claro: Como seria a idéia desta tal Liga de Clubes? Isto não cheira a virada de mesa? Ou vc acha que, se formada, colocarão o Vasco na Segunda Divisão? Lembro-me que, no ano passado, quando o Atlético-PR estava na iminência de cair para a Segundona, o time quis “reatar” com o São Paulo e outros times para que desse início a esta Liga e, agora, que o time não caiu, não se falou mais no assunto lá pela Arena. Se for para criarem uma nova Copa União, que rebaixou times como o meu Guarani (vice do ano anterior). Como sei que é utopia imaginar criarem a Liga e manter os rebaixados onde estão, sou totalmente contra, mesmo que o meu Guarani seja escolhido para figurar nesta Liga na Primeira. Abraço

    AK: Eu apenas sou a favor de campeonatos organizados pelos seus participantes. E que a CBF deveria cuidar só da Seleção Brasileira. Um abraço.

  • Gustavo Soares

    Difícil parar para ver um amistoso da seleção londrina da CBF… um monte de jogador que saiu jovem do Brasil e que não tem grandes ligações afetivas com a maior parte da torcida. Prefiro assistir um jogo do Paulistão ou da primeira fase (ou seria fase zero???) da libertadores.

  • Alexandre

    Esse “para para” fica realmente muito estranho…

  • Odair

    Sobre essa história de liga, não consigo entender o porque de tanto entusiasmo, se os clubes não são exemplos de administração, já imaginaram a união deles???

    Abraços.

    AK: O entusiasmo (que talvez não seja a palavra certa…) vem da minha opinião de que são os clubes que devem organizar os campeonatos. É um conceito, apenas. Um abraço.

  • Rafael

    André,

    discordo quando você diz que o Prof. Beluzzo deveria ser aclamado como presidente do Palmeiras.
    Não discuto a história dele (não seria bobo para isso), mas eleição é isso, muita gente poderia achar (como achava) o outro candidato mais preparado, gosto é gosto.

    Na verdade acho muito bom existir uma oposição ao Beluzzo, o JJ, Andrés Sanches, Marcelo Teixeira, etc. Não podemos um dia reclamar que não há uma oposição e em outro pedir a aclamação de alguém, mesmo sendo alguém da história do Prof. Beluzzo.

    Discordo da sua opinão, mas respeito seu ponto de vista.

    abraços

    AK: O que você diz é verdade, em tese. Também acho que oposição é necessária e benéfica, e que o “pensamento único” não leva a nada. Só que, neste caso, desculpe, não dá para entender uma vitória tão apertada. Um abraço.

  • Renato

    Serra ironiza título do Corinthians
    Janeiro 28, 2009 by blogdosilvinho

    http://terratv.terra.com.br/templates/channelContents.aspx?channel=2666&contentid=221666

    Amigos, em decorrência do vídeo que acabamos de assistir, enviei este e-mail à Secretaria de Comunicação do Governador José Serra:

    Excelentíssimo Governador José Serra,

    Serei curto e grosso:

    Talvez não seja do seu conhecimento, mas o presidente da FIFA, Joseph Blatter, esteve aqui no Brasil em 2000, no Rio de Janeiro, acompanhando a realização do Primeiro Campeonato Mundial de Clubes, vencido pelo glorioso S C Corinthians Paulista.

    Na oportunidade ele entregou a taça de Campeão Mundial ao nosso capitão, Rincón.

    Peço apenas a Vossa Excelência que cuide melhor do nosso estado, principalmente de algumas cidades do interior que não são governadas por prefeitos do seu partido e aliados e nos poupe do seu humor londrino, totalmente sem graça.

    Cordiais Saudações,

    Silvio Romoaldo Junior

    Alguém que nunca votou e jamais votará em V. Exa.

    _______________________________________________________

    DESRESPEITOU O CLUBE DA MAIOR E MAIS APAIXONADA TORCIDA DO ESTADO QUE GOVERNA.

    TRAIU TODOS OS PAULISTAS, AO ENTREGAR DE MÃO BEIJADA A FINAL DA COPA DE 2014 PARA O RIO.

    E QUER SER PRESIDENTE DA REPÚBLICA…

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo