MERCADÃO – 6



Estaduais começando, jogadores chegando.

Hora de mais um carregamento:

QUEM: Zé Roberto (meia, ex-Schalke 04)

POR QUEM: Flamengo

SITUAÇÃO: Empréstimo de 1 ano

OPINIÃO DO BLOG: Zé Roberto teve passagem discreta (para usar um termo tanto quanto) pelo futebol alemão. No Brasil, mostrou talento e pouco apreço pelo profissionalismo, “pacote” comum no meio. Suas declarações na chegada ao Flamengo deixaram claro que ele está determinado, o que é evidentemente bom se (a) for verdade (não há motivo para duvidar), e (b) continuar assim (hmmmmm….). Só depende dele.

______

QUEM: Alecsandro (atacante, ex-Al Wahda)

POR QUEM: Internacional

SITUAÇÃO: Contrato de 3 anos

OPINIÃO DO BLOG: O Inter estava meio quieto, o que é compreensível. Quem tem fartura não precisa contratar só porque os outros estão contratando. Mas a necessidade de um homem de área era evidente. Alecsandro preenche o setor com técnica e faro de gol. Belo reforço para um time comprovadamente bom.

______

QUEM: Keirrison (atacante, ex-Coritiba) e Edmílson (zagueiro/volante, ex-Villarreal)

POR QUEM: Palmeiras

SITUAÇÃO: Keirrison tem contrato de 4 anos com o Desportivo Brasil (Traffic) e está emprestado. Edmílson tem contrato de 2 anos com o Palmeiras.

OPINIÃO DO BLOG: Ótimas contratações. Sobre o K-9 (excelente apelido), bastaria dizer que o cara foi um dos artilheiros do BR-08. Mas Keirrison traz mais: é jovem (20) e só tende a ficar melhor. Edmílson é um jogador de valiosa bagagem internacional, o que altera a atitude dos que jogam ao lado dele. Está em forma e é versátil. Com os dois, o Palmeiras fica mais experiente e mais perigoso.

ATUALIZAÇÃO, 20h05 – Aproveitando a confirmação da chegada de um zagueiro ao Cruzeiro, para também tratar da volta de um lateral ao Santos:

QUEM: Léo (lateral-esquerdo, ex-Benfica)

POR QUEM: Santos

SITUAÇÃO: Contrato de 2 anos

OPINIÃO DO BLOG: Léo tem bela história no Santos, escrita com títulos entre 2000 e 2005. Sim, ele agora tem 33 anos, mas afirma que a vitalidade não sofreu com o tempo. Se ele realmente for o mesmo lateral que a Vila Belmiro tinha como ídolo, o Santos fez um upgrade na posição.

______

QUEM: Anderson (zagueiro, ex-São Paulo)

POR QUEM: Cruzeiro

SITUAÇÃO: Empréstimo até 15 de julho de 2009.

OPINIÃO DO BLOG: Anderson praticamente não jogou no São Paulo, o que torna difícil avaliá-lo. Mas é um bom jogador. O período curto obviamente não é o ideal (o Cruzeiro queria um ano, mas o Lyon não topou), mas pelo menos reforça o time mineiro na Libertadores.



  • Gustavo Soares

    Onde esse Alecsandro jogava antes de ir para o Oriente? Não me lembro dele…

    AK: No Cruzeiro. Um abraço.

  • Jovaneli

    Keirrison é jovem (20) e só tende a ficar melhor. Concordo. Mas…como você mesmo escreveu: Keirrison tem contrato de 4 anos com o Desportivo Brasil (Traffic) e está emprestado. Então, não acho tão bom negócio, embora seja ótima contratação.
    Na melhor das hipóteses, deve jogar muito pelo Palmeiras, e o torcedor palmeirense vai ficar feliz.
    Mas é aí que mora o perido: exatamente pela qualidade do jogo que venha a demonstrar, pode atrair propostas e ser negociado pela empresa dona de seus direitos, no caso, a Traffic. Aliás, certamente será negociado.
    A Trafficv é uma empresa que utiliza os clubes parceiros (Palmeiras, Fluminense, entre outros) como vitrine (barriga de aluguel, se preferirem), com o objetivo de expor a sua “mercadoria” (jogadores) e obter lucro. Como? Vendendo para o exterior. Então, o Keirrison ou qualquer outro jogador posto no Palmeiras pela Traffic que venha a ter destaque não irá ficar muito tempo no clube. Eles ficarão expostos pelo tempo necessário para que chamem atenção de compradores.
    Com o Henrique, ex-zagueiro do Palmeiras, os compradores apareceram rápido. Deu negócio. Já com o Diego Souza, não deu em 2008, mas, não tenham dúvida, a idéia é que ele se destaque em 2009 para que dê lucro à Traffic. Como? Vendendo para o exterior.
    O detalhe é que enquanto os jogadores ficam no clube, “parceiro” da Traffic, têm os seus salários pagos pelos times. A Traffic não paga salário, só gasta na aquisição do jogador, que passa a ser…dela, oras bolas. Inteligente, não? Pois é, e, como dizem aqueles comerciais toscos da tv, “e não é só isso”: quando negocia os seus jogadores com o exterior, a Traffic recebe 80% do valor obtido com a venda.
    O Palmeiras e os outros clubes “parceiros” dela ganham 20%. Que beleza, né? Keirrison é bom reforço, e a Traffic vai achar lindo se ele render bem logo na vitrine Plameiras. Simples assim.
    Então, que ele consiga ajudar o Palmeiras a ganhar a Libertadores. É o único jeito de dizer que foi um bom negócio trazê-lo. Campeão do Paulistinha, de novo, e perder o jogador será um desastre, que pode, sim, ocorrer.

  • Carlos Magno Rezende

    As contratações são normalmente bem referendadas, mas as torcidas nuca têm paciência de aguardar a adaptação do jogador. Recém contratado tem mesmo é de dar sorte, mesmo jogando mal.

    O Souza, por exemplo, já foi um jogador comum, cresceu, mas a torcida do Flamengo implicou com ele porque não vinha fazendo um ou dois gols por jogo. Vi o Souza fazer ótimas partidas, trabalhar como pião e abridor de latas para os companheiros, mas jogando assim não podia mesmo fazer gols. Então expulsaram o jogador da Gávea. Tinham é de reclamar com o treinador. Somente vai acertar no Corinthians se o deixarem jogar o que sabe, ou seja, entrar na área e arrematar.

    O Zé Roberto se tivesse dado certo continuava na Alemanha. As lourinhas o devem ter enlouquecido. Mesmo comportado, o futebol dele é inconstante. Não acredito.

    Quanto ao Keirrison, é a grande prova de fogo. Quero ver quando a torcida começar a virar o nariz. Para mim ele é somente um artilheiro veloz, mas se não fizer gols dança até sem música. O Nilmar com toda a categoria e juventude andou de lá pra cá e foi vaiado. Hoje não mais se abate.

    E o Edmilson, por que voltou? Sinto algo no ar. Você pode nos dizer?

  • Rodrigo

    Oi Andre,
    Ha alguns posts atras vc, corretamente, dizia que Palmeiras e Fluminense eram casos raros de times que estavam andando para tras. Vejo agora meu verdao fazendo boas contratacoes e especulando outras melhores ainda. Pelo visto, vamos sair de um time desconfiado para um elenco bem competitivo.
    Grande abraco!

    AK: Naquele momento, o Palmeiras tinha trazido Cleiton Xavier e Marquinhos, perdido Alex Mineiro, Leandro e Kléber, e não contava com o K-9 antes de abril. Agora as coisas estão mais equilibradas. Um abraço.

  • Bruno Guedes

    Vou descordar do Jovanelli, a parceiria do Palmeiras com a Traffic é bem explicita, e o jogador só é vendido se ambas as partes concordarem, usam como exemplo para uma venda rapida o Henrique, vi uma entrevista do Belluzo em que ele diz que a Traffic não queria vender ainda o jogador, mas foi o Palmeiras quem achou melhor, então não tem o porque ficar colocando culpa na Traffic por isso, acho a parceiria valida, já que não existe dinheiro em caixa para contratações, e ainda por ser feito de forma clara e transparente(pelo menos é o que parece)
    Em relação as contratações em si, crieo que o Internacional esse ano vai estar muito mais perigoso com o Alecssandro e mantendo Nilmar, Alex e D’Alessandro se não emplacar agora nunca mais, acho que nenhum time brasileiro pode se orgulahr tanto do seu ataque quanto o Internacional.
    O Keirrisson espero que jogue tudo que jogou com a camisa do Coritiba, se continuar em evolução tem tudo para ser um excelente jogador(se é que ele já não é).
    E André, quando tu vai para Tampa?
    Abraços e inveja de ti que vai ver o Super Bowl ao vivo! Boa sorte lá!

    AK: Viajamos na terça-feira. Obrigado e um abraço.

  • thiago

    poderia comentar a contratação do zagueiro anderson pelo cruzeiro!!!

    AK: Ainda não estava fechada, na hora em que escrevi o post. O Anderson é um bom zagueiro. Um abraço.

  • Roberto

    Faltou a contratação do Léo pelo Santos. O retorno do guerreiro da Vila. Será o mesmo (ou ao menos perto disso)?

    AK: Verdade, falha minha. Vou atualizar. Obrigado e um abraço.

  • Gerald Stackson

    Ok André:

    Muito boas suas observações sobre o Zé Roberto e o Edmilson. Mas o Keirrison não irá sentir a responsabilidade de ser a grande estrela da temporada?

  • Cesar Reis

    Caro André:

    Com essas mexidas todas, você acha que agora podemos dizer que os times do Rio e São Paulo já se equivalem?

  • Ricardo

    Times do Rio cada vez mais fracos. Todos medianos. Vasco medíocre.

    Grêmio competitivo, Internacional melhor elenco do Brasil hoje.

    Corinthians marketeiro, São Paulo sempre competitivo e Palmeiras renovado e mais rápido. Santos mediano.

    Cruzeiro competitivo e Galo mediano

  • Alexandre

    Hey que férias boas hein….. vai voltar em definitivo mais não rsrsrrss.

  • Dino

    Faltou o goleiro Denis pelo SP

  • Então André, esses contratados que estão voltando só vão enriquecer o nosso futebol. O que me deixa triste é que poucos deles vem pra enriquecer os clubes, porque os brasileiros revelam, vendem a preço de banana, as vezes sai até de graça pros times de fora e depois ainda tem que reembolsar uma boa grana pra ter o jogador emprestado por seis meses, no máximo um ano, isso é muito triste. Infelizmente o resultado imediato ainda é dominante no futebol brasileiro, os times que trabalham um pouco diferente disso se dão melhor ( Internacional e São Paulo).
    Abraço

  • Mauro Domingos

    Sobre NFL…
    AK, tem como vc tirar e, posteriormente postar aqui no blog, fotos do Super Bowl ( da partida, do público, do evento em si ) com a sua máquina pessoal? Justifico o meu pedido baseado nos comentários citando a ‘inveja’ de poder estar em Tampa ( sou mais um )… A ditas fotos tiradas com a sua maquina pessoal seria uma visão, digamos, não comercial das imagens, diferentes das imagens divulgadas pela imprensa…
    Boa viagem e bom trabalho a todos da equipe.

    AK: Farei o melhor que puder. Obrigado e um abraço.

  • rodrigo

    André, oque voce acha desse time
    Fabio Costa,Luizinho ,Fabiano Eller,Adailton,Léo,Roberto Brum,Rodrigo Souto,Madson,Lucio Flavio,Bolãnos e K.Pereira

  • Leonardo atleticano

    André, acho que esse ano o meu Galo mineiro entra para ficar entre os oito, e se o Leão fizer um trabalho fantástico, quem sabe entre os quatro primeiros. Acho que a tristeza de lutar apenas para não cair esse ano não vai se repetir, o elenco é jovem, e valores que no ano passado já tiveram uma subida de produção esse ano vão se firmar, vieram algumas peças interessantes também. Com frieza, está entre os 10 melhores plantéis, com a força da torcida fica entre os 08, com meu otimismo de torcedor vai para libertadores, otimismo e força nas arquibancadas não vai faltar, como nunca faltou, mesmo em momentos complicados.

  • Willian Ifanger

    Esse começo de temporada terá as “Notinhas Pós-Rodada”?

    AK: É o plano. Mas não com toooooooodos os jogos. Um abraço.

  • RG

    Thiago Neves de volta para o Fluminense. Isso muda a análise sobre o time?

    Abraço.

    AK: Melhor aguardar, não? A mãe do Thiago diz que ele está voltando, mas o Fluminense nega. De qualquer forma, seria só até o meio do ano. Confirmada a notícia, o Flu fica mais forte no Estadual e na Copa do Brasil. Um abraço.

  • Bruno

    22/01/2009 – 20:48 – ATUALIZADO EM 23/01/2009 – 20:07

    O dia em que o São Paulo foi rebaixado

    O fim da polêmica sobre a queda no Campeonato Paulista de 1990: o clube do Morumbi caiu, sim

    ANDRÉ FONTENELLE

    A discussão sobre a queda do São Paulo em 1990 apaixona torcedores
    O São Paulo caiu, sim, para a segunda divisão no Campeonato Paulista de 1990.

    A polêmica é antiga, atiçada pelo clubismo cego e pela falta de memória do brasileiro. Foi reavivada por uma matéria da Folha de S. Paulo (para assinantes) da quarta-feira, 21 de janeiro de 2009, que questionava uma frase do guia oficial do Campeonato Paulista, publicado esta semana pela Federação Paulista de Futebol (FPF). “O São Paulo cumpriu uma campanha ruim, não se classificou nem na repescagem e foi rebaixado para a segunda divisão.”

    “FPF rebaixa o clube e ‘suja’ título de 91”, escreveu a Folha. Diante da indignação dos são-paulinos, a FPF recuou e divulgou nota oficial dizendo que o texto de seu próprio guia “não procede”. Culpou pelas informações o historiador Rodolfo Kussarev, que por sua vez culpou o livro A História do Campeonato Paulista (Publifolha, 1997), escrito pelo autor destas linhas e por Valmir Storti, à época repórteres da própria Folha de S. Paulo.

    Procurado pelo autor da matéria, o repórter da Folha e comentarista da ESPN Brasil Rodrigo Bueno, às 18h daquele mesmo dia 21, consultei meu colega Valmir, hoje repórter freelance, e enviamos à Folha a seguinte declaração em comum.

    “O livro foi escrito com base nas informações publicadas nos jornais da época, entre eles a própria Folha, onde os dois autores trabalhavam como repórteres em 1997, ano do lançamento do livro. Para esclarecer de vez a polêmica do rebaixamento ou não do São Paulo, sugerimos que a Folha reproduza o que ela mesma publicou em sua edição de 20 de junho de 1990.”

    Infelizmente a Folha só publicou a primeira parte de nossa declaração. Não acatou nossa sugestão: reproduzir o que ela mesma publicou em sua edição de 20 de junho de 1990.

    Se o tivesse feito, seria obrigada a reconhecer: o guia da Federação Paulista estava certo. O São Paulo caiu, sim. De forma insofismável.

    Como a Folha não o fez, o fazemos a seguir. Não houve meio-termo nem subjetividade nessa queda, como será provado abaixo com o texto do próprio jornal, publicado naquela ocasião.

    (Reprodução da capa do jornal Folha de S. Paulo do dia 21 de junho de 1990: “Goleada não evita queda são-paulina”)

    Por mais que desagrade os são-paulinos, a verdade é a que segue:

    Em 1990, o Campeonato Paulista foi disputado por 24 times. Havia a percepção de que eram times demais. Convencionou-se, então, que apenas 14 times disputariam o campeonato de 1991 – os 14 primeiros do certame de 1990. De alguma forma, o São Paulo “conseguiu” ficar em 15º, depois de ser eliminado na primeira fase (que classificou 12 times) e novamente eliminado numa repescagem (que classificou outros dois, completando 14). Para não melindrar susceptibilidades, o regulamento de 1990 dizia que “não haveria descenso”. Era só uma fórmula de cortesia: os times que não entrassem entre os 14 disputariam o que, na prática, equivaleria a uma segunda divisão.
    Saiba mais
     »Marta se emociona e chora ao receber o prêmio.
     »Cristiano Ronaldo e Marta são eleitos os melhores do ano da Fifa
     »Um tributo à Fiel
     »Flamengo e Vasco é a maior rivalidade do Brasil, dizem internautas
    Esse regulamento não foi cumprido. Diante do rebaixamento do São Paulo, houve uma virada de mesa. Os times rebaixados em 1990 (não só o São Paulo, mas outros importantes, como a Ponte Preta) ganharam o direito de lutar por duas vagas nas finais. Foi assim que o São Paulo conseguiu a façanha, inédita no futebol mundial, de ser rebaixado em um ano e campeão no ano seguinte!

    O argumento dos são-paulinos, portanto – de que o acesso no mesmo ano “já estava previsto” – é falso e errôneo.

    Para não prolongar a explicação, reproduzo o texto da Folha de S. Paulo de 21 de junho de 1990 – dia seguinte ao dia em que o São Paulo caiu.

    “SÃO PAULO VAI DISPUTAR A SEGUNDA DIVISÃO EM 91

    Fernando Santos
    Da Reportagem Local

    O São Paulo foi eliminado pelo Botafogo na repescagem do Campeonato Paulista deste ano e vai disputar a Segunda Divisão em 91. O São Paulo goleou ontem o Noroeste por 6 a 1 no Morumbi, mas ainda dependia da derrota do Botafogo para se classificar. O time de Ribeirão Preto empatou em 0 a 0 com a Internacional em Limeira.

    No próximo ano, o São Paulo vai disputar a série B do Campeonato Paulista, sem direito a lutar pelo título. É uma nova fórmula aprovada pelo conselho arbitral de clubes em janeiro. Farão parte dessa série os 10 clubes eliminados do campeonato deste ano mais quatro que vão subir da Divisão Especial.

    (…) Resta ao São Paulo a chance de subir para a série A em 92. Apenas o campeão da série B sobe (…) Esta fórmula foi aprovada por unanimidade por todos os 24 clubes que iniciaram o campeonato este ano, segundo o presidente em exercício da Federação Paulista de Futebol, Antoine Gebran.

    ‘Vamos cumprir a lei. Lei é lei’, disse o diretor-adjunto do São Paulo, Herman Koester (…) Segundo ele, o São Paulo vai mesmo disputar a Série B, uma Segunda Divisão que só não recebe essa denominação por uma questão de nomenclatura jurídica. (…) Já o diretor de futebol Fernando Casal de Rey, 47, ainda não se deu por vencido. Ele disse que vai acionar o departamento jurídico do clube para saber se a aprovação da fórmula do campeonato de 91 é legal. Casal de Rey disse, sem ter certeza, que não existe um documento assinado pelos clubes sobre o assunto. Assim, ele poderia recorrer à Justiça Desportiva para mudar a fórmula. Ou seja, apelar para o tapetão. ‘Estamos vivendo um pesadelo’, disse Casal de Rey.”

    O resto é história conhecida. Houve a virada de mesa e, embora o São Paulo tenha disputado o equivalente à segunda divisão em 91, classificou-se para as finais, eliminando o Palmeiras, que vinha do grupo mais forte.

    A Folha também ouviu, naquela ocasião, são-paulinos ilustres, como José Victor Oliva, o vocalista do Ultraje a Rigor, Roger, e o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Almir Pazzianotto. Todos reconheciam o rebaixamento, repudiavam a virada de mesa e reafirmavam que o São Paulo voltaria à primeira divisão na bola.

    Estes são os fatos.
    P.S.: Como o clubismo costuma influenciar a opinião até dos jornalistas que discutem polêmicas futebolísticas, cumpre informar o time de coração do autor deste texto. Ele é vascaíno. E promete que daqui a 20 anos não dirá que o clube dele não caiu.

    P.S. 2: Vários comentários de são-paulinos, abaixo, usam cinco argumentos básicos para sustentar que o São Paulo não foi rebaixado. São eles os seguintes:

    1 – Um item do regulamento de 1990 dizia que não haveria descenso.
    É verdade, mas esse item tem sido mal interpretado pelos defensores do “não caiu”. Um famoso vídeo que circula na internet mostra o comentarista Paulo Vinicius Coelho, da ESPN Brasil e da Folha de S. Paulo, exibindo no programa de TV “Loucos por Futebol” esse item do regulamento como suposta prova do não-rebaixamento.

    PVC é um jornalista extraordinário. Primus inter pares, é o melhor repórter esportivo do país. Sei disso porque tive a honra de ser chefe dele em duas redações, do Lance e da Placar. Mas nesse caso, data vênia, ele está equivocado. O famigerado item do regulamento que ele cita, na verdade, se referia ao acesso e descenso entre a Divisão Especial (a primeira divisão, dividida em 1990 entre uma Série A, mais forte, e uma Série B, mais fraca) e o que era chamado de “Primeira Divisão” (na verdade a segunda divisão). Tratava-se de uma chicana jurídica. A CBF só permitia clubes de Primeira Divisão no Campeonato Brasileiro. O artifício encontrado para contornar o risco de, por acidente, eliminar um grande clube paulista do Brasileiro, foi batizar a primeira e a segunda divisões como “primeira divisão”. Por muito tempo no Campeonato Paulista as séries A-1, A-2 e A-3 foram chamadas oficialmente de “primeira divisão”, embora todos soubessem tratar-se da primeira, da segunda e da terceira divisões. Portanto, o “não haverá descenso” era só um truque, uma formalidade.

    Porém, o regulamento de 1990 NÃO PREVIA (isso é fundamental) cruzamento entre o Grupo II e o Grupo I em 1991 para determinar o campeão paulista. Pelo contrário, o conselho arbitral decidira que apenas os 14 primeiros colocados de 1990 disputariam o título de 1991. A alteração foi feita DEPOIS, para dar uma chance ao São Paulo.

    2 – Seria impossível “um torneio com um número tão grande de rebaixados”.
    Por quê? Onde está escrito que um torneio não pode ter dez rebaixados? Na Bíblia? Se a Federação Paulista queria reduzir o número de clubes de 24 para 14, em um único ano, não haveria outra maneira a não ser rebaixando dez clubes. Foi o que ocorreu – até a virada de mesa. No fim das contas, o campeonato de 1991 acabou tendo 28 clubes, os 14 do Grupo Verde (dos quais 6 passavam às finais) e os 14 do Grupo Amarelo (dos quais 2 passavam às finais).

    3 – Isso não passa de uma tentativa de denegrir o São Paulo.
    O São Paulo é um clube glorioso. Hoje é sem dúvida o mais poderoso do Brasil. Ninguém, por mais que quisesse, conseguiria manchar sua imagem e sua história. Isso não dá a ninguém o direito de reescrever a história. Não há nenhuma vergonha em ter caído. Os próprios são-paulinos de 1990 o reconheceram dignamente. Não há mal nenhum em que os são-paulinos de 2009 também o façam, não?

    4 – A reportagem da Folha de 1990 está errada.
    Como poderia estar errada, se naquele dia os próprios dirigentes do São Paulo reconheciam que o time tinha sido rebaixado?

    5 – O autor da matéria é incompetente, não checa suas informações, deve ser um gambá enrustido ou, pior, vascaíno recalcado.
    Reconheço meus defeitos, sobretudo o de ser vascaíno, mas é preciso que os são-paulinos julguem os fatos pelo que são. A competência do autor sempre pode ser discutida. Os fatos que a matéria descreve, não.

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI24813-15260,00-O+DIA+EM+QUE+O+SAO+PAULO+FOI+REBAIXADO.html

  • Estevan

    André, se você tivesse partcipado do Bola da Vez com o Lula qual pergunta que você faria ?

  • Thiago Neto

    Passei por aqui para ver o que estava sendo comentado sobre o DESCASO com os ginastas brasileiros. O que o Flamengo está fazendo com os representantes do Brasil na ginástica artística é uma PALHAÇADA. Tipicamente brasileira por sinal. Afinal de contas, é sempre lindo, a cada 4 anos, ficar na frente da TV torcendo muito para conseguirmos uma medalha de ouro em uma olimpíada. Como são nomes fortes, Diego e cia. sempre sofrem enorme pressão. Mas ninguem se lembra que, antes, ao longo dos 3 anos de preparação, NADA, ABSOLUTAMENTE NADA, foi feito em seu favor pelo COB, que há tempos é comandado por algo parecido com a máfia ou algo que o valha (obs: parabéns pela reeleição Sr. Nuzman! exemplo de democracia! rs). Quando, como é o normal dados os fatos, a medalha não vem, fica aquele sentimento de “poxa, mas o Diego não é o cara ?” , quando na verdade, apesar de ’ser’ o cara, sem estrutura e incentivo, nada funciona. Raça pode ganhar jogo, mas não ganha campeonato.

    Na minha humilde opiniao, TODOS os atletas brasileiros dveriam simplesmente boicotar a próxima olimpíada, reinvidicando MUITO mais apoio aos esportes olímpicos brasileiros. Provavelmente ninguem se lembra, mas aposto que a situação do lutador de Tae Kwon Do, Diogo Silva, primeiro medalhista daquela palhaçada que foi o Pan, continua a mesma. Seria muito interessante ver qual seria a posição do COB diante de um boiote geral dos atletas aos próximos jogos. Acho que se a mídia como um todo SENTISSE na carteira a falta que o Brasil faria em meio a uma olimpiada, talvez as coisas pudessem começar a mudar.

    Parabéns Flamengo ! Parabéns COB ! Viva o Brasil ! rsrs.

  • Luiz Filho

    Vou mudar um pouco do assunto!

    É uma pena que tantas notícias negativas saiam do Flamengo!
    Mais um baque no novo modelo de gestão do clube. Com um anti-marketing desse…

    Hoje em dia tudo é culpa da crise. Acho que o Marcio Braga fez o que tinha vontade de fazer há muito tempo (não é novidade nos corredores da Gávea) acabar com os esportes olímpicos e permanecer apenas com os estatutários (Basquete e Remo).

    Crises são boas para a executar projetos onde normalmente não se teria apoio. E foi isso que fez MB esquecendo-se da história do clube que é POLIESPORTIVA e da formação dos atletas de alto rendimento.
    Fala-se muito da ginastica, mas Judô e Natação também serão prejudicados.

    Em 1988 o flamengo tinha no mínimo (se não me equivoco) 30% dos atletas brasileiros. Em 2000 Flamengo e Vasco eram a base da delegação.
    No Rio de Janeiro temos uma grande tradição poliesportiva que está sendo jogada no lixo!

    Como iniciei meu texto, uma pena é o knowhow carioca de administração de clubes! Ache particularmente que falta oxigenação e projetos inovadores dentro do Fla, sem projetos nada acontece. Infelizmente ocorreu o pior!

    Boa sorte a Jade, Diego, Daniele e aos outros atletas que com brilhantismo honraram a camisa deste centenário clube.

    A torcida sabe de seus esforços!

  • Douglas Gonçalves Siqueira

    André,

    Você não comentou a chegado do Bolaños no Santos F.C.

  • Jovaneli

    André, você fez o seguinte comentário: “A mãe do Thiago diz que ele está voltando, mas o Fluminense nega”.
    Na boa, de olhos fechados, fico com a mamãe dele. A diretoria do Fluminense é um tanto quanto folclórica. Renê Simões é um sobrevivente, um forte, convivendo no meio do caos, da incopetência. Mais ou menos como Mano Menezes no Corinthians.
    André, desejo que tenha uma ótima viajem e uma boa cobertura do Superbowl. Pode ter ser certeza que estarei ligado no trabalho de vocês. Abração!
    AK: É que eu estou esperando o presidente Horcades se pronunciar. Se ele disser que o TN não vem, é porque está contratado. Obrigado e um abraço.

  • thiago

    Botafogaço ganhou hoje, com dois gols do maicossuel tb… e teve um gol anulado pela ARBITRAGEM ELETRÔNICA.

  • Jovaneli

    Gostei. Boaaa André, é bem por aí…
    Abraço.

  • marcos de luca rothen

    E de craque mesmo ninguém!

  • Boa viagem,André.Ótima cobertura do Superbowl 43! Anna

    AK: Obrigado e um abraço.

MaisRecentes

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo