CAIXA-POSTAL



Aos assuntos da semana:

Márcio escreve: A questão marketing da contratação do Ronaldo foi perfeita. Porém na questão financeira, em relação ao lucro para o Corinthians, os números parecem que deixam a desejar. Como um time precisando desesperadamente de dinheiro, fecha um contrato com um jogador dando 80% dos valores contratuais ao jogador, e ficando com apenas 20%? O que você achou da contratação do Ronaldo em relação à questão financeira do negócio?

Resposta: Impossível criticar. Veja: a partilha das receitas geradas pela chegada do Ronaldo foi a forma que o Corinthians encontrou para tornar a contratação possível. Mesmo assim, esse foi um ponto em que a negociação emperrou por um tempo. Os agentes de Ronaldo queriam mais, e o Corinthians teve de dizer não. Mas esses 20% que ficarão para o clube simplesmente não existiam antes de Ronaldo. Tradução: lucro. Se o projeto todo der certo, ou seja, se Ronaldo voltar a jogar futebol competitivamente, o Corinthians ganhará dinheiro com ele. (Nota: chegaram alguns e-mails perguntando sobre e/ou criticando o momento da contratação de Ronaldo pelo Corinthians, que teria como principal objetivo ofuscar o título do São Paulo. Por favor… menos álcool. É simplesmente impraticável que o Corinthians tenha determinado o dia, ou mesmo a semana, em que a negociação foi concretizada. Aliás, o café-da-manhã de terça-feira passada, em que Ronaldo disse “sim”, começou sem que alguém pudesse imaginar que um acordo verbal seria selado. A coincidência de momentos foi, como toda coincidência, casual).

******

Marcelo escreve: Ano passado muito se falou sobre a polêmica da taça de bolinhas, entre São Paulo e Flamengo. Esse ano todos pregam o São Paulo como único Hexacampeão do Brasil, mas ninguém levanta debates sobre a válidade dos campeonatos anteriores a 1971. Antes disso os campeonatos eram disputados pelos melhores times do Brasil em moldes parecidos com os campeonatos pós-1971 (inclusive com direito a vaga na Libertadores) apenas com nomes diferentes. Então por que não considerar os campeões dos campeonatos pré-1971 como campeões brasileiros? Se formos seguir a linha de raciocínio de hoje ao pé da letra, não deveriamos considerar o Vasco como campeão brasileiro de 2000. Qual sua opinião?

Resposta: Que devemos respeitar a nomenclatura das competições. É um assunto polêmico em que há argumentos válidos para todos as linhas de pensamento. A minha é que não se pode chamar um time de campeão brasileiro, se ele ganhou um campeonato que não tinha esse nome. Mesmo porque, depois, o Campeonato Brasileiro foi criado. Isso não tem nada a ver com a importância da conquista. Os “campeonatos nacionais” que o Santos ganhou, antes do CB existir, eram (e devem continuar sendo) considerados como os mais importantes do futebol brasileiro, em sua época. Mas não acho que o Santos deva ter mais do que dois títulos do Brasileirão. O mesmo vale para os “mundiais” do São Paulo. São duas Copas Intercontinentais e um Mundial de Clubes. O valor dos títulos é o mesmo? Sim. Mas os nomes são diferentes. Campeão Brasileiro de 1987? Mesma coisa. É o Sport. Mas quem ganhou o campeonato mais importante de futebol no Brasil naquele ano foi o Flamengo. Finalmente, sobre a Copa João Havelange: o torneio foi oficializado pela CBF como o Campeonato Brasileiro daquele ano.

******

Jorge Luis escreve: O que você achou da contratação de Dorival Júnior pelo Vasco?

Resposta: Ótima. Júnior é um técnico de muita capacidade, e muita personalidade. O fato de encarar o momento atual do Vasco mostra também que não lhe falta coragem. Que ele tenha o respaldo dos que estão acima, na montagem de um time que possa devolver o Vasco à Série A.

******

Fábio escreve: Com ligeira vantagem, Pacino “venceu” De Niro em “Righteous Kill”, na sua opinião. Sem pestanejar, qual dos dois, diante de duas carreiras brilhantes, é o melhor?

Resposta: Vou pestanejar. Não dá para responder essa. Nesse último filme, nenhum dos dois teve uma atuação tão boa, mas achei o personagem de Pacino mais interessante. No conjunto das obras, eles são tão bons que é difícil escolher um. Eu passo.

******

Obrigado pelas mensagens, até o próximo sábado.

(e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página, abaixo da foto)

“Eu sou motivado pelo meu dever.”

James Bond, em “Quantum of Solace”.



  • Leonardo

    André, deixa eu dar o meu pitaco aqui. Primeiro, na questão Ronaldo (que para mim não é e nunca foi metade do que dizem ter ele sido) não há lucro tão evidente como o apontado por vc. Os 20% que ficarão para o Corinthians não são líquidos. E o salário fixo que o jogador terá que receber? Quem o pagará e com que receita?
    Relativamente ao CB, vc quer dizer então que basta a CBF oficializar um tal campeonato com Brasileiro que o clube passa automaticamente a ser considerado Campeão Brasileiro? E quem garantirá a idoneidade dessa “reclassificação” do campeonato? Basta a CBF dizer que a Copa João Havelange foi o CB que é assim que se tornará? Qual num passe de mágica? Estão faltando, então, no seu blog citações do Harry Potter…

    AK: O salário do Ronaldo consta do orçamento do Corinthians, o dinheiro não faz parte das receitas que serão geradas pela parceria entre clube e jogador. Líquidos ou não, os percentuais que caberão ao clube na partilha são lucro.

    Sobre a CBF: não é uma questão de idoneidade, e sim de critério. Se você quer levá-lo em conta, leve. Se não quer, não leve. Eu apenas acho que uma decisão da entidade que comanda o futebol num país (o mesmo vale para a Fifa, em relação aos mundiais e os torneios da década de 50), goste-se ou não dela, deve ser considerada para efeito de nomenclatura. Se não, vira bagunça. Como há quem goste de bagunça – e de Harry Potter – cada um pensa como quiser. Um abraço.

  • Clayton

    Mauro César Pereira, prefere o Washington ao Ronaldo, nas atuais circunstâncias. Li no seu blog. O que pensa a respeito, AK?

    AK: Nas atuais circunstâncias, os dois não podem ser comparados. Um está jogando, o outro não. Um abraço.

  • mauro alvim

    Caro André, O Renato Mauricio Prado tem rasão. “Pobre menino rico” que não pôde ou não teve coragem de escolher com o coração. Muitos estão a dizer: foi uma escolha profissional, como se este encaminhamento fosse o único possível. O Renato perguntou:” quanto vale um sonho?”Sua coluna abre uma outra possibilidade.Ela revela que este caso é exemplar,nele estão expostas,como em um manual, as condições necessárias para que uma escolha PASSIONAL tenha possibilidade de ser melhor sucedida que uma profissional.
    Talvez o Ronaldo ainda não saiba que o ônus desta escolha vai recair somente sobre ele. Na melhor das hipóteses ele vai ter a torcida do time do seu coração contra si. Mesmo que ele nunca mais volte ao Maracaã, a vaia que se anuncia, vai ecoar para sempre. Caso ele não consiga se recuperar as consequencias serão avassaladoras. Ele continuará tendo contra si a maior tocida do mundo, talvez a segunda, a frustração de não jogar, um dinheirinho a mais na conta bancária, e só.

    AK: Ele deve ter os motivos dele para não jogar no time pelo qual torce. Um abraço.

  • Márcio Lopes

    Obrigado.
    Mas é que pela forma que ficou parece que o jogador tem mais valor que o clube. É fato que p jogador tem mais dinheiro em caixa que o clube, mas fica a impressão que nessas horas o clube se “apequena”, e se deixa levar por qq exigência ou solicitação do jogador.

    A propósito: quem foi o cmpeão brasileiro de 2008 ?

    Abraço

  • Fabio N

    Sobre Ronaldo no Corinthians. Todos falam que foi um golaço do marketing alvi-negro. Tá certo que o Corinthians vai aparecer mais na mídia. Mas em R$, quanto é a estimativa de ganho com a contratação? E esse 20% que o clube leva, é 20% sobre o que exatamente? A Folha-SP falou de quase R$ 5 milhoes só em salários. Você está dizendo que o Ronaldo não vai receber salários, somente esses 80%?

    AK: O Ronaldo vai receber um salário fixo e mais 80% do que ele e o Corinthians gerarem juntos. Um abraço.

  • Rogerio J

    Esclarecendo…o que o Mauro Cezar Pereira disse foi: “Hoje, no cenário que temos, se você fosse um dirigente, tendo como prioridade o time, não o marketing, pensando na relação custo-benefício, inclusive, iria atrás de quem? Eu tentaria o Coração Valente tricolor.”
    Com o que eu concordo com ele, até porque se ambos se machucarem gravemente no início e não atuarem a maior parte da temporada, o prejuízo maior será de quem contratou Ronaldo. Ou alguém imagina Ronaldo, de muletas, “vendendo” tanto quanto jogando futebol? Atenção: jogando futebol, apenas. Nem acho que é preciso jogar grande futebol para “vender” bem. Óbvio que se ele jogar um bom futebol, aí o lucro multiplica por dez.
    Abraço!

  • Fabio N

    Até que enfim um jornalista brasileiro que concorda comigo. SP ganhou apenas e somente um Mundial. Santos, Flamengo, e Gremio nunca, jamais, ganharam um Mundial de Clubes. O Corinthians é o primeiro Campeão Mundial Interclubes da História. Os primeiros campeões do Rio-SP não foram campeões brasileiros. O primeiro campeão da FA Cup não foi campeão Mundial. O Uruguai não é tetra. Um time campeão da NBA não é campeão Mundial. Nem Sampras nem Federer nunca foram campeões Mundiais. E para aqueles apaixonados que acham que seus clubes ganharam um Mundial Interclubes ao vencer a Copa Intercontinental ou Copa Européia-Sulamericana, recomendo que vejam um atlas mundial pela primeira vez.

  • Anna

    André,eu gosto do Harry Potter… rs 😉 Muito bom o Dorival Junior ter ido pro Vasco. Que ele consiga arrumar um time decente. Bom domingo,Abba

  • Anna

    André,retificando a outra msg. Problemas no teclado!Eu gosto do Harry Potter. 😉 Muito bom o Dorival Junior ter ido pro Vasco. Que ele consiga arrumar um time decente.Bom domingo,Anna

  • Felipe dos Santos Souza

    André, tudo certo? Há um tempo não apareço aqui… mas decidi aparecer hoje, sábado, dia normalmente mais aberto à área cultural aqui no blog, para recomendar fortemente a você um DVD recém-lançado. É de uma banda muito boa, talvez você já tenha ouvido falar, faz relativo sucesso pelo mundo, chamada U2… (risos). Lançaram um DVD de um show que também ficou conhecido, realizado em 1983, num lugar chamado Red Rocks, dizem que o show é dos momentos lendários do rock, mas eu não sei se é verdade (risos). Brincadeiras à parte, eu recomendo porque, para alguém como você, que disse ter sido o show do Morumbi, em 2006, histórico, acredito que será satisfação garantida. “October”, emendada a “New Year’s Day”, ficou admirável. Abraços!

    AK: Será certamente adquirido. Talvez já neste domingo. Obrigado e um abraço.

  • Marcel Souza

    Oi André, com base na citação de hoje, uma pergunta que eu estava curioso pra saber: já assistiu o QoS? Qual sua opinião? Eu gostei do filme, mas o Bond tá cada vez mais parecido com o Bourne… 1 abraço!

    AK: Não vi, ainda. Mas o Bond é obrigatório. Um abraço.

  • Sylvio Andrade

    Caro André, Acho que o Corinthians fez uma boa jogada, ao trazer o Ronaldo. Concordo contigo que não foi planejado o ofuscamento do Hexa-sãopaulino. Mas que ofuscou, ofuscou. Sobre os títulos nacionais, não gosto de decretos. Acho que o Campeonato Brasileiro teve tantos nomes, tantas versões e formatos, que o fez igual as outras disputas anteriores ao ano de 1971. Esse ano é um marco, uma tentativa de se estabelecer um novo pacote – aliás, bem ao estilo militar -, logo após a conquista do tri em 1970. É apenas um decreto, que se tornou uma medida provisória. Você acharia correto, então, determinar que título brasileiro, só a partir de 2003 em diante, com o estabelecimento dos pontos corridos?
    Sobre os títulos mundiais, outro decreto: sempre falou-se em títulos mundiais do Santos, Flamengo, Milan, Boca, etc. Depois que a Fifa criou o atual mundial, passou-se a desconsiderar os tantos outros títulos, que ainda são mais tradicionais do que esse torneio da Fifa, simplesmente pelo tempo que persistiram, o suficiente para se criar uma história. aliás, vieram antes da Fifa – a Fifa é que se apropriou da disputa. Você não acha um crime tirar dois mundiais do Pelé?

    AK: Não, porque a importância daquelas conquistas é indiscutível. E as pessoas vão continuar falando nos títulos “mundiais”. Só que o nome do torneio é outro. Um abraço.

  • BASILIO77

    Concordo com a classificação dos campeonatos pela sua importância, no contexto da época e da cultura futebolística em que foi disputada. Só mudam os nomes, a importância e relevância são indiscutíveis.

    Só acho que esse critério deve valer para TODOS os casos. Um campeonato paulista, por exemplo, já “valeu” mais do que atualmente. Portanto os mais títulos estaduais, quanto mais antigos, mais valeriam…Houveram vários “Rio-SP”…uns mais fortes do que outros.
    Quem foi campeão paulista de 2002??? Ituano…mas qual campeonato “tomou” o lugar do paulista em importancia, naquele ano??”Rio-SP”.

    Infelizmente nosso futebol passou por tantas alterações que essas discussões serão infindáveis…pelas proprias mudanças e pela paixão de cada um e suas rivalidades, claro.

    Abraço.

  • mauro alvim

    André, ele diz :”ainda preciso levar o pão para casa” . Tudo indica que o motivo é financeiro. Ele tem todo direito de fazer suas escolhas. Não dar ao Flamengo a chance de fazer uma proposta é que soa estranho.
    O contrato vitalício com a Nice pode ter pesado ? O Flamengo está em litígio com a Nice? Não seria loucura acreditar que este seria o motivo central de sua escolha. Só acho que ele pode ser questionável. Não por mim, mas por ele. Os riscos deste contrato são enormes para ele. Existe uma grande chance de ele não render dentro de campo. Ele já tem a torcida do Flamengo contra, imagina se a fiel também ficar? Cada um sabe de si. Aqui vou opinar: Ele é um “Escravo ” vitalício. Mesmo sendo milhonário.

  • mauro alvim

    Oi André, só para ficar claro, Sou flamengo, Tenho uma nega chamada Teresa, e queria o Ronaldo no Mengão. Um abraço.

  • Leonardo

    André, só pegando carona no post. Vc recebeu há um tempo resposta minha ao mail q vc me enviou contendo o texto sobre o “apito eletrônico”?
    AK: Recebi. E te respondi agradecendo pelo interesse no assunto. Não chegou? Um abraço.

  • Paula

    Concordo em parte com a questão. Aceito sim que esses diversos times se considerem campeões brasileiros e assim se auto-proclamem, o que é diferente de campeões do campeonato brasileiro.
    No caso da tal taça acho que não resta dúvida, o primeiro time que ganhasse 3 seguidos ou 5 alternados campeonatos brasileiros da CBF.

    No caso do mundial há controvérsias porque não sei como era o nome divulgado. Ora dizem que era chamado por todos (Brasil e exterior) de mundial interclubes ora dizem que não. Eu não sei o que dizer. Então sigo a sua lógica, que a torcida chame :o)…. ou não porque torce pensa da forma que lhe dê “mais vantagem”. Talvez inclusive eu… 🙂

  • Julio

    André BOm Dia!!
    Ainda sobre a Questão do Ronaldo !
    Sabese que o Ronaldo ganhará 140 Mil mês pouco se comparado com muitos perna de Pau que ganham mais .
    Tambem foi informado que Ganhará 80% dos patrocineos de Manga da Camisa e Calcao que hoje sao Inexistentes no Corinthians alem de que o Espaço principal da camisa sera vendido por um valor elevado sem as mangas.
    Agora queria saber se voce sabe algo sobre Quem serao os patrocinadores da camisa e o do calção ??
    E tambem se o Ronaldo vai levar algum Dinheiro em cima da venda das camisa??
    Desde já agradeço .
    Abracos .

  • kratos

    CARO AK, QUANTAS VEZES VC ACHA QUE O FENÔMENO VAI JOGAR?
    EU ACHO QUE NAUM CHEGA NEM A 10 JOGOS…
    ABRAÇOS…

  • kratos

    =)

  • Ricardo Medeiros

    Sugestão de filme: Você assistiu o filme Match Point do Woody Allen? Se não, assista. Muito bom…

MaisRecentes

Legionário



Continue Lendo

Paraíso



Continue Lendo

Daquele jeito



Continue Lendo