CAIXA-POSTAL



Aos temas da semana: André escreve: Na minha opinião, as saídas do Marcos ao ataque no jogo contra o Grêmio estarão entre os momentos mais marcantes do BR-08. Eu estava no estádio e me marcou muito esse momento, não entro no mérito de certo ou errado, mas nunca me senti tão representado em campo. Sobre esse momento, eu pergunto: se você pudesse escolher uma trilha sonora para essa atitude do Marcos, qual ou quais músicas você escolheria? Resposta: Interessante seu comentário sobre se sentir representado em campo. É uma visão importante do que aconteceu, porque não depende de opinião ou julgamento. É um sentimento que precisa ser levado em conta. Mas sua pergunta é difícil demais. Eu escolheria alguma coisa dramática, dessas que são usadas em filmes épicos como “Gladiador” ou “O Patriota”. Mas não saberia dizer exatamente qual. Independentemente disso, esse episódio mostrou que há situações em que é possível errar e acertar ao mesmo tempo. ****** Saulo escreve: Por que você não participa de algumas transmissões da NFL ou da MLB, na ESPN ? Seria enriquecedor ter a sua participação. Resposta: Por favor, envie sua solicitação aos meus chefes na ESPN. Brincadeira…, eu já participei, como “comentarista-convidado”, de uma parte da transmissão de um jogo entre Yankees e Red Sox, no ano passado. Foi ótimo e me diverti muito. Nós, na ESPN, já conversamos sobre fazer isso de novo, mas até agora não aconteceu. Eu tenho minha atividade como repórter do canal, e nem sempre é possível. Além disso, não quero me intrometer no trabalho que o Everaldo Marques e o Paulo Antunes fazem tão bem. Mas, quem sabe, um dia eu apareço de novo. ****** Guilherme escreve: É o seguinte: quando eu era criança (vejo acontecer também hoje em dia), era comum, durante as peladas, o time que havia acabado de tomar um gol gritar “Bangu!” para o adversário e sair jogando já de seu campo de defesa, como se fosse um código para anunciar que não vai recomeçar o jogo do meio de campo. Sempre tive curiosidade de saber de onde vem essa expressão. Algo a ver com o time? Resposta: Que tal uma perguntinha mais fácil? Cara, não consegui encontrar sua resposta. E ela entrou na CP de hoje justamente por isso. Alguém aí fora precisa nos ajudar. ****** Gustavo escreve: Você acha que o implacável tratamento da imprensa em geral antes da conquista do penta é um dos motivos pelo quais Felipão não cogita voltar ao futebol brasileiro antes da aposentadoria? Resposta: Não. Ele saberia como lidar com isso, como fez da outra vez. E creio que quando ele diz que não volta ao futebol brasileiro (em entrevista – muito boa – ao jornalista Cosme Rímoli, na última edição da revista Trivela) antes de se aposentar, Felipão esteja se referindo a ser técnico de clube. A Seleção Brasileira é outra conversa. Na mesma entrevista, ele disse que não quer ser sombra para o trabalho de Dunga, e não planeja estar na Copa de 2010. Mas o contrato dele com o Chelsea é de dois anos, com opção de mais um. Não é possível garantir, hoje, que Felipão estará morando em Londres em 2010. Mas se eu fosse ele, nunca mais sairia de lá. ****** Obrigado pelas mensagens e até o próximo sábado. (e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página) “Coisas incríveis acontecem nos meandros do sistema.” Prof. Micky Rosa, em “Quebrando a Banca”.



MaisRecentes

Irmãos



Continue Lendo

Na mesa



Continue Lendo

Mudanças



Continue Lendo