A SUL-AMERICANA TEM JEITO?



Vanderlei Luxemburgo fez críticas à Copa Sul-Americana, hoje de manhã. Ele não é o primeiro. O técnico do Palmeiras concorda com a opinião geral de que o torneio está mal colocado no nosso calendário. Atrapalha os times que lutam por Libertadores e/ou título no Campeonato Brasileiro, e vira plano B para quem ficou para trás (vide Botafogo, que já era, e Internacional, que joga logo mais). Parece claro que, no primeiro semestre, simultânea à Copa Libertadores (com jogos em dias diferentes, é lógico), seria muito melhor. Isso nós já sabemos. Outro problema da Copa Sul-Americana é ser pretensiosa. Os clubes não podem inscrever mais do que 25 jogadores, instrumento dos organizadores para garantir que as escalações sejam, no mínimo, “balanceadas”. É por isso que há jogos em que os times levam apenas três ou quatro jogadores para o banco, como foi o caso do Palmeiras na Argentina. Luxemburgo acha que com mais liberdade de inscrição, os técnicos poderão formar um time para disputar a Sul-Americana, que seria sempre reforçado por jogadores do “time A” que estejam suspensos em outra competição (ex: Kléber), ou precisando de ritmo de jogo (ex2: Martinez). Ainda segundo o técnico, dar ao campeão uma vaga na Libertadores do ano seguinte não seria má idéia. Não mesmo. Mas o grande problema, para o Brasil, é o período em que a Copa Sul-Americana acontece. Na Argentina, não se pensa assim. Os clubes preferem Libertadores e Sul-Americana em momentos distintos, para poderem disputar os dois torneios a cada ano. E sem o ok dos argentinos, nada mudará.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo