PROVA DE AMOR



Para completar a terça-feira, mais uma contribuição de um leitor. Esse é antigo, e valioso, colaborador. O blog o chama de “vascaíno”. Segura aí: “Quarta feira, 30/10/2008, em um apartamento em São Paulo. Ele: Preciso ir ao Rio neste fim de semana. Ela: Mas porque, amor? Já vamos na semana que vem para um aniversário. Ele: Preciso ir ao Rio, preciso ver o jogo. Ela: Precisa mesmo? Ele: Sim, você se importa? Ela: Se você precisa, então vai lá. Ele: Preciso. Preciso estar lá para ajudar o Vasco a ganhar. Se não ganhar, preciso estar lá para cair junto com ele e lhe dar a mão para começar a levantar. Preciso muito ir a esse jogo. É uma prova de esperança, uma prova de amor. Eu preciso estar lá. Você se importa? Ela: Não, pode ir. Segunda feira, 3/11/2008 A maior prova de amor (embora ele não precise de mais nenhuma) veio na segunda feira de manhã cedo, ao chegar em casa, vindo da rodoviária, depois da madrugada na Dutra. Ela: Bom dia! Ele: Oi… Ela: Cansado? Ele: Sim. Ela: Feliz? Ele: Muito. Ela: Então valeu a pena, né? Um sorriso, um silêncio, um abraço, a compreensão, e a lágrima escapando pelo canto do olho. Sou mesmo um cara de muita sorte.” ****** Viva o futebol. Viva o torcedor comum.



MaisRecentes

Manda quem pode



Continue Lendo

Alerta



Continue Lendo

Escolhidos



Continue Lendo