CAIXA-POSTAL



Aos temas da semana: Afrânio escreve: No clássico do final de semana contra o Palmeiras, os jogadores do São Paulo se postaram à frente da bola para impedir o reinício do jogo, e deu aquela confusão toda, com dois expulsos. Eu pergunto: para que o jogo seja iniciado ou (reiniciado), não é necessário que todos os jogadores de cada time estejam postados em seu próprio campo? Então por que, simplesmente, os jogadores do São Paulo não permanecem no campo do adversário até que seu goleiro-artilheiro volte ao próprio gol? Resposta: Como diz o Arnaldo, a regra (número 8) é clara nesse ponto. E você está absolutamente certo. Nunca perguntei isso aos jogadores do São Paulo, e o farei na primeira oportunidade. Minha impressão é que eles não querem correr o risco do árbitro desrespeitar a regra e permitir o reinício do jogo. Voltarei ao assunto com a resposta deles. ****** Jefferson escreve: A atual crise financeira, com sinais de recessão global, ao seu modo de ver, como vai atingir os times de futebol europeu? E os reflexos no futebol brasileiro? Outra, a crise financeira e seus reflexos nos esportes americanos, como NBA e NFL. Resposta: Na Europa já se fala em reestruturação de contratos e redução de salários. O futebol é um mercado como os outros, e terá de se adequar ao que acontece na economia mundial. Nos Estados Unidos, a preocupação maior é com o público consumidor, que sofrerá os efeitos da recessão e certamente olhará para o esporte de outra maneira. David Stern, manda-chuva da NBA, disse nessa semana que a liga prevê impacto nas bilheterias na temporada que está para começar. ****** Rogério escreve: Li que você acha o Beckham mediano, que bate bem na bola e que é mais marketing. O ex-lateral paraguaio Arce também tinha como característica a forma como batia na bola, sempre muito preciso nos cruzamentos, só que não vivia de marketing pessoal. Muito pelo contrário: era tímido demais. Pergunta: o Beckham seria mais ou menos um Arce boa pinta? Resposta: São jogadores diferentes, né? O Arce sabia bater na bola com maestria, mas era especialista em cruzamentos. O DB é mais percebido como um batedor de faltas. Esteticamente, não tenho condições de avaliá-los. Mas você está certo no seu comentário sobre a diferença de personalidade. Sobre o Becks: Ancelotti disse que ele substituirá Pirlo, que está machucado. Gattuso, DB, Kaká, Ronaldinho… encaixa? Será interessante, e o Milan vai vender bilhões de camisas. ****** Alejjandro escreve: André, você que é jornalista, escritor, e também adora cinema, nunca pensou em escrever um roteiro? Resposta: Permita-me uma correção: não sou escritor. Apenas ajudei o Fernando a escrever um livro. Talvez um dia, e já há conversas interessantes, mas ainda estou no jardim da infância nessa área. Realmente adoro cinema, mas até hoje não pensei em roteiros. Não sei se tenho qualificação para isso. ****** Obrigado pelas mensagens. Até o sábado que vem. (e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página) “Quem, em sã consciência, pode negar que o século XX foi inteiramente meu?” John Milton, em “O Advogado do Diabo”.



  • Rogerio J

    André, Ronaldinho Gaúcho já foi melhor do mundo, ganhou Copa do Mundo e Champions League. Com tudo isso, não consigo lembrar de tantos momentos como protagonista nessas grandes conquistas. Talvez aquele jogo pelo Barça contra o Chelsea, em 2006, na UCL (1 a 1), com um golaço que garantiu o time catalão nas quartas-de-final daquela competição. Aliás, o time venceu a UCL 2006. Mesmo assim, o Barça dele na final teve como heróis outros caras: Eto´o (autor do gol de empate com o Arsenal) e Belletti (que fez o gol do título). Na Copa de 2002, era coadjuvante de Rivaldo e Ronaldo. No máximo, deu sorte no gol sem querer contra a Inglaterra. No Grêmio, não levou o time à conquista de Libertadores; no PSG, nada também; e no Campeonato Espanhol, fez muita firula e até alguns bons jogos, mas ele era parte de um elenco formidável, e não o cara. Em resumo, eu te pergunto: Ronaldinho Gaúcho, que tem talento (isso não discuto), é mais fama/marketing que bola? Abraço!

  • Lula_Dodói

    caramba, o Beckham vai jogar de volante? se não me engano o real começou a afundar quando trocou o makelele pelo inglês…

  • Mário Sérgio

    A única vez que o SPFC tomou um gol após Rogério se arriscar na frente foi contra o Fluminense, no morumbi. Quando Roger chutou para o gol logo após a saída de bola, vários jogadores ainda não haviam voltado ou permaneciam no grande círculo, e mesmo assim o juiz validou o gol. Tendo em vista a qualidade de nossas arbitragens, acho que o time prefere não contar “apenas” com a clareza da regra.

  • Teobaldo

    Em resposta ao Afrânio, você matou a charada. O nível dos árbitros é tão sofrível que vale correr o risco. Eles, simplesmente, não conhecem as nuances das regras. E o Milan venderá bilhões de camisas… não sei se teremos tecido para tanto. Saudações.

  • Lula_Dodói

    é verdade Mario Sergio, e aquele gol foi muito mole do time do são paulo…o rogerio tava com a torcia ainda…hehehe…mas o que eu morro de rir atualmente e os caras se estapeando pra pegar a bola no fundo do gol quando estão com preça. pô, atualmente não tem um monte de bola? t+

  • Bruno

    Eu acho que, quanto à questão do marketing, o Gaúcho dá de 10 a 0 porque é excepcionalmente habilidoso com a bola. Isso gera ótimos comerciais. Mas, num jogo de futebol, raramente o vejo como o cérebro de uma equipe, e isso resume o maior mal do jogador brasileiro: muito habilidosos e muito burros. Por isso que naquela época do Barça ele se destacou: existiam jogadores que pensavam para ele a fim de que pudesse usar toda a sua habilidade e decidir o jogo lá na frente. Isso na época em que ele realmente queria jogar…

  • Douglas

    No gol que Roger fez do meio campo no São Paulo, enquanto Rogério voltava ao gol, haviam no mínimo 4 jogadores do São Paulo ou no campo do Fluminense, ou no grande círculo (o que também impossibilita o reinício), e provavelmente mais alguns fora do campo, comemorando com a torcida. E o juiz permitiu a saída mesmo assim.

  • Wander Paulus

    André,sou seu fã! E de seu pai também!] Queria saber se você acredita na possibilidade de título ou de classificação para a Libertadores para o Flamengo, principalmente após a vitória consistente sobre o Coritiba! Um grande abraço e o estenda ao velho garoto Juca

  • W#agner Trombim

    Caro André, no caso do reinício da partida, acredito que os jogadores devem estar todos em seu campo, mas não nescessariamente em sua posição de origem.Forte abraço AK: Mas o que isso tem a ver com a questão? Um abraço.

  • Pauls

    Interesse a questão do reinicio de jogo. Eu tb acho… Mas o Diego podia ter reiniciado jogando a bola para tras. Ai o juiz pararia o lance e advertiria somente o jogador sao paulino. Simples. Jogador que é burro mesmo.

  • fabio

    André, sobre a primeira pergunta… no jogo São Paulo x Fluminense, não lembro o ano, que o Rogério fez gol e logo no reinício do jogo o Roger fez um golaço do meio campo, se lembra? Pois é, os jogadores ainda estavam no campo do Fluminense, o juíz apitou e pronto, a vitória durou 10 segundos. Até hoje eu me lembro que todo mundo reclamou mas eu fiquei com a leve sensação que foi uma espécie de castigo do juíz, dava pra ver no rosto dele “bem feito, goleiro não pode fazer gol”… a partir daí o time adota essa medida. E eu acho que tá certo, se todo juíz fizesse o seu dever ao pé da letra não precisaria.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo