COMO COMEMORAR A SUBIDA?



Se vencer o Ceará, amanhã no Pacaembu, o Corinthians estará de volta à Série A do Campeonato Brasileiro em 2009. Segurem seus comentários me corrigindo, pois eu obviamente sei que há outros resultados envolvidos. Mas mesmo que Vila Nova (em casa contra a Ponte Preta, logo mais às 20h30) e Barueri (em casa contra o Paraná Clube, amanhã às 16h) vençam seus jogos, o que é mais provável, o Corinthians subirá neste sábado. Pois precisará de apenas um ponto, em seis rodadas, para se garantir matematicamente. E se os adversários pelas vagas não vencerem todos os seus jogos, o Corinthians conseguirá o acesso mesmo sem esse ponto. De um jeito mais fácil: se vencer o Ceará, o Corinthians só continuará na Série B se perder todos os jogos que restam, e seus adversários ganharem todos. A chance desse cenário acontecer só existe por causa de casas decimais à direita da vírgula, mas não entrará em campo. Tudo isso para dizer que o blog tem recebido e-mails com variações da mesma pergunta: você acha que o Corinthians deve comemorar a volta à Primeira Divisão e o (também inevitável) título da Série B? Sim e não. A maioria dos jogadores do time atual não tem nada a ver com o rebaixamento. A comissão técnica atual não tem nada a ver com o rebaixamento. Ao contrário, eles são parte da solução. Mano Menezes, William, Chicão, Herrera, Douglas (e muitos outros)… não podem celebrar um objetivo atingido? Claro que podem. E devem. E aqueles que passaram o que passaram em 2 de dezembro de 2007 no Estádio Olímpico, e ficaram para recuperar o que perderam lá, também podem. E também devem. O Corinthians é diferente na grandeza, no orçamento, na qualidade. É o que a tabela mostra. Fez o que se esperava dele, sem dúvida. Mas não há nenhum motivo para não comemorar. A questão é como. Não me refiro ao comportamento dentro do campo, após os jogos que confirmarem acesso e título. Seria ridículo querer padronizar o sentimento das pessoas. Se a torcida quiser gritar “é campeão!!”, que grite. Se o time quiser dar a volta olímpica, que dê. Estou falando sobre a “comemoração institucional”. Não sei o que está programado (se é que há algo), mas se a decisão fosse minha, o clube ofereceria um jantar para elenco e familiares. Um evento discreto e simpático, algo com mais clima de “missão cumprida” do que de “vamos para a Paulista”. O troféu deveria ir, sim, para o Memorial do Parque São Jorge. Mas estrela na camisa, como se falou aqui e ali, não pode ser sério. Não há vergonha na alegria, mas há limites para tudo. ATUALIZAÇÃO, sábado 25/10, 12h44 – Não posso deixar de indicar o post escrito ontem pelo meu camarada Mauro Beting, sobre o assunto. Na verdade, é a coluna que ele escreveu no Lance!. O link para o blog dele está aí do lado direito. Por motivos óbvios, quanto mais gente como o Mauro, pensando e escrevendo sobre futebol nós tivermos, melhor viveremos essa paixão.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo