CAIXA-POSTAL



Aos assuntos da semana: Márcio escreve: Você acompanhou o Mundial de Futsal? O que acha da quantidade de brasileiros disputando o campeonato por outros países? Ultimamente isso vem acontecendo com frequência nos campos de futebol também, com brasileiros espalhados pelas seleções de vários outros países. Você não acha que a FIFA deveria intervir nisso e talvez limitar a quantidade naturalizados? Resposta: Tenho tentado acompanhar o futsal, sem muito sucesso. Claro que o caso que chama mais a atenção é o da Itália. São tantos “ex-brasileiros”, que fica até meio constrangedor. Evidentemente não se pode chamar o time de seleção italiana. Eu acho que é legítimo o direito de um jogador (em qualquer esporte) se naturalizar e poder iniciar uma carreira na seleção de outro país, mas há muito exagero. Talvez a limitação do número de naturalizados por seleção seja uma boa idéia. ****** Felipe escreve: André, o que você achou da provocação enviada pela torcida palmeirense ao São Paulo? (enviar flores ao CT) Sou são-paulino, mas achei muito engraçada. Pareceu humor britânico… Resposta: Achei inofensivo, sem ignorância e/ou violência. Claro que teve gente que não gostou. Mas se todas as “provocações” fossem assim, estaríamos vivendo num mundo melhor. ****** Haroldo escreve: A música que os torcedores do Liverpool cantam é “You will never walk alone”. Belíssima por sinal… Esta frase está no escudo do Liverpool. Ok… Só que outro dia (e realmente não me lembro nem onde, nem quem falou, nem nada…) ouvi que essa música foi tocada pela primeira vez na Broadway lá pela década de 20, ou 30. Como o Liverpool é de 1800 e guaraná com rolha, bem antes da música, esse casamento foi uma feliz e incrível coincidência ou o autor da música era fá do Liverpool? Ou tem alguma outra explicação? Resposta: A canção é de um musical da década de 40. Nos anos 60, fez tamanho sucesso na Inglaterra que passou a ser cantada em estádios de futebol. Foi quando a torcida do Liverpool (fundado em 1892) a adotou. O título está no distintivo do clube e também num dos portões do estádio de Anfield. ****** Rodney escreve: Qual a sua opinião acerca dessa proliferação de mensagens enviadas a transmissões e programas esportivos de rádio e TV assinadas por nomes obscenos? Resposta: O resultado do encontro entre muito tempo livre e poucos neurônios. ****** Obrigado pelas mensagens. Até o próximo sábado. (e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página) “Até um relógio quebrado está certo duas vezes ao dia.” Ted Crawford, em “Um Crime de Mestre”.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo