MAGIC E A AIDS



Dois radialistas de Minneapolis jogaram fermento numa das mais famosas lendas urbanas do esporte nos Estados Unidos. Disseram, no ar, que Magic Johnson nunca teve AIDS. Durante conversa com um ouvinte do talk-show que apresentam, Chris Baker e Langdon Perry afirmaram acreditar que o ex-jogador de basquete fingiu ter a doença. Johnson ficou indignado e a rádio KTLK se desculpou pelos “comentários infelizes”, prometendo divulgar boletins informativos sobre AIDS e o vírus HIV. É evidente que, para afirmar algo dessa natureza, um jornalista precisa saber do que está falando. O que parece é que a dupla acredita no que corre nos bastidores desde que Magic anunciou, em 1997, que os coquetéis de medicamentos que ele tomou reduziram o HIV em seu organismo a níveis indetectáveis. Quantos casos como esse são conhecidos? (veja atualização abaixo) Magic foi diagnosticado com HIV em 1991, parou de jogar basquete, depois voltou e disputou a Olimpíada de Barcelona. Parou de novo por quatro anos, retornou por alguns jogos em 96, e se aposentou definitivamente. Ele jamais teve sintomas da doença. Tratou-se contra o vírus e um dia, de repente, o vírus não estava mais lá. Por isso há quem jure que ele apenas serviu como garoto-propaganda para uma campanha nacional de estímulo ao sexo seguro. Se você quiser acreditar, haverá de convir que a escolha foi perfeita. Ídolo mundial, símbolo de saúde, aura de super-homem, dá um tremendo susto no público ao anunciar que pegou o HIV em relações sexuais desprotegidas, durante a época em que não era casado e tinha uma (ou mais) namorada em cada cidade da NBA. Como não fazia parte de grupos de risco, não era usuário de drogas injetáveis e nem homossexual, Magic era a pessoa ideal para fazer todo mundo pensar: se aconteceu com ele, pode acontecer comigo também. De quebra, seu tratamento mostrou como o avanço dos medicamentos pode dar qualidade de vida a outros pacientes. Mesmo que casos de “cura” sejam milagres. Essa conversa é antiga, estava dormente, até que dois caras numa rádio de Minneapolis a acordaram. Para mim, é uma grande e criativa bobagem. Afinal, tem gente que diz que o homem nunca pisou na Lua, e que Paul McCartney já morreu. E tem gente que acredita. ATUALIZAÇÃO, sábado 11/10, 13h48 – Gente muito mais qualificada do que eu para falar sobre esse assunto, escreveu para dizer que sim, hoje em dia há muitos casos de pacientes que têm o vírus mas não desenvolvem a doença. Mais um motivo para acreditar em Magic Johnson, e rir da lenda urbana. Obrigado pelo esclarecimento.



MaisRecentes

Porte



Continue Lendo

Segunda vez



Continue Lendo

Paralelos



Continue Lendo