CACO, O CARA



Caco Barcellos, ídolo de todos os repórteres, foi entrevistado ontem no programa de Marília Gabriela, no canal GNT. Eu estava quase dormindo quando a entrevista começou e, obviamente, fiquei acordado. Tive a oportunidade de conversar com Caco duas ou três vezes na vida e, em todas, não pude evitar o pensamento de estar diante de um cara que é um exemplo para quem escolheu essa profissão. Seria imbecilidade da minha parte ficar aqui falando da excelência do trabalho de reportagem que ele realiza, ano após ano. Mas duas coisas me impressionam. Uma é a contínua inspiração que Caco busca do lado de fora da redação, mesmo aos 58 anos. São inúmeras as histórias de repórteres (de todas as áreas) que “se cansam das ruas”. Caco Barcellos, também nisso, é exceção. Infelizmente, pois deveria haver mais gente como ele. A outra é a generosidade de um profissional que não se contenta em “fazer o dele”. Assistir ao exemplar “Profissão Repórter”, na TV Globo, é ver um professor em ação. Ainda que ele negue o “título” e prefira ser visto como colega, como disse na entrevista. Ao final do programa, Marília Gabriela perguntou se Caco ainda tinha esperança na solução do problema da violência nas cidades brasileiras. Caco respondeu que sim, acrescentando que essa é uma solução que só virá com o tempo e com o envolvimento de toda a sociedade. E terminou dizendo que acreditava no poder da informação. Já perdi horas de sono, em incontáveis noites, por causa daquela tradicional girada nos canais para ver se tem algo interessante. Muitas vezes, me arrependi. Ontem fui dormir satisfeito.



  • Felipe Augusto

    Já li o livro dele, Abusado. Excelente! Sem mais.

  • Rodolfo II

    O Caco Barcellos é realmente um exemplo a ser seguido para todos os jornalistas. Você já leu o “Abusado”, livro dele? Sensacional, um dos melhores livros que já li…. Abraços

  • leonardoatleticano

    Também acho um fora de série, bom demais, vai fundo na ferida mas sem causar polêmica, é apenas o condutor da matéria, nunca quer ser o dono da verdade, muito bem colocado André.

  • Iran Né

    Caro Kfouri, para quem admira à profissão de jornalista e repórter. Como eu que sou estudante de jornalismo. Realmente é um prazer imenso ver as matérias produzidas ou apresentadas por ele, são verdadeiras aulas de bom jornalismo. É um exemplo que deve ser seguido pêlos que atuam nesta área. Um grande abraço !

  • Henrique

    Também vi a entrevista. Também estava quase dormindo. Cada vez que entro no seu blog, e leio comentários como esse, fico com a impressão que vc, é aquele amigo que falamos de assuntos diversos, tomando uma cervejinha. Continue a nos brindar com seus comentários.

  • Felicio

    Legal, André. Não via a entrevista, mas já li e vi um bocado a respeito dele para aprender a admirar e respeitar o profissional e o ser humano. Bela homenagem a uma referência do jornalismo no Brasil.

  • Leonardo

    André, compartilho da opinião do Henrique. Realmente, parece que estamos naquele botequim de sempre, com os amigos de sempre, bebendo a cervejinha de sempre (apesar de nem saber se vc bebe…) O livro do Caco, Abusado, realmente é excelente. PS: Creio que o mais adequado na redação desse post seria “assisitir AO exemplar Profissão Repórter (…)”. Abç.

  • Ricardo Macedo

    André, realmente a entrevista com o Caco Barcellos foi sensacional…..não jornalista, porém um cara como esse serve de referência para qualquer profissional…

  • Rogerio J

    André, não vi o programa, mas quero ver a reprise. Em julho, acho, saiu uma baita entrevista dele para a revista Trip. Não sei se leu. É longa, e ótima. Tentarei te mandar por e-mail. Abraço AK: Eu li. Ótima. Obrigado e um abraço.

  • Mário Sérgio

    Abusado eu ainda não li, mas Rota 66 é imperdível.

  • Daniel Levis

    Outra coisa que me impressionou foi saber que ele já tem 58 anos. Tá bem o cara 🙂

  • Pedro Brodbeck

    André, vi a mesma entrevista e isso me deu um alento enorme. Sou formando de Jornalismo e não sei muito bem o que quero da vida. Em algumas experiências que tive, me decepcionei. A entrevista me encoraja, pois vejo que o exemplo de jornalista ideal pode ser seguido com sucesso. Além de ser exemplar, pareceu ser humilde ao extremo. AK: Aí está a importância de ouvir um jornalista como o Caco Barcellos. Um abraço.

  • Anna Barros

    André,vou procurar a reprise.Adoro ele e o Profissao Repórter! Abraço,Anna

  • jorge

    Há uma frase histórica do Caco Barcellos que é mais ou menos assism: uma das pessoas mais importantes da minha vida foi Leonel Brizola, que colocou um lápis e um caderno em minha mão.

  • Leonardo Luiz Corrêa

    Barcellos faz parte daquela trupe que considera criminosos de nossa sociedade “vítimas” da elite. Aquele discurso bem chinfrim-esquerdista mesmo. A entrevista que ele deu para a VIP há um tempo atrás mostra o quanto esse sujeito, defensor dos bandidos e inimigo da polícia, é medíocre. Pode ser um bom repórter, mas para mim é impossível separar uma coisa da outra.

  • JEFFERSON FERNANDO DA SILVA

    Um dos grandes jornalistas do país, o pai de um colega seu (Mauro) o Joelmir Beting começou no jornalismo esportivo e emigrou para a parte de economica e politica. Pelo seu talento, sendo filho de quem é, pelo seu time e “feling” de jornalista, pelas nuances sociais que vc faz aqui no seu blog, eu pergunto, até quando vamos tê-lo por aqui ainda se dedicando ao esporte. Eu sempre digo ao meu filho, você não tem o direito de desperdiçar o seu talento e o dom que Deus lhe deu. AK: Obrigado pelo elogio, gentileza sua. Citando James Bond: nunca diga nunca… mas acho que estarei por aqui até o fim. Claro que tenho outros interesses e preocupações, mas isto aqui é o que me faz acordar todas as manhãs. UM abraço.

  • Anderson Silvano

    Parabens André… É dificil vermos na midia a valorização do bom, do profissional, do etico… E voce fez isso em seu post… Foi uma grata surpresa… parabens por fugir das mesmices das tragédias cotidianas.

  • Teobaldo

    Caco, o sapo… da Vila Sésamo. Eu era feliz e não sabia… saudações.

  • emerson marques da silva

    Caco e exeplo de vida, depois que ele escreveu livro ROTA66 A HISTORIA DA POLICA QUE MATA, poucos deve saber mais Cacco ficou anos no EUA devia as ameaças de morte devido a escritura desse livro.Hoje ele esta de volta e ensinando muita molecada nova o poder da informação

  • Leonardo

    André, já que vc falou aqui do Caco, não seria oportuno tb citar o agora saudoso Fausto Wolff. Exemplo de ética, integridade e honradez? Jornalista que sempre pautou sua conduta pela liberdade e independência dos poderes constituídos…

  • Wellington

    Alguém avise aí pro Teobaldo que o Caco era sapo, sim, mas dos Muppets.

  • Wellington

    Li o comentário do Leonardo Luiz Corrêa ali embaixo e fiquei estarrecido, pois também vi a entrevista do Barcellos pra VIP e não vi nada de defesa de bandido e contra polícia. O que ele chama de defesa de bandido é a simples constatação que quanto mais pobre uma sociedade mais bandidos surgirão; ninguém nasce bandido, torna-se. E, pra finalizar, coitado do brasileiro que crê piamente na polícia de m***a que tem, muitos são até piores que os próprios bandidos. Discursos fascistas me enojam!

MaisRecentes

Indecifrado



Continue Lendo

Equação



Continue Lendo

A opção pelo erro 



Continue Lendo