CACO, O CARA



Caco Barcellos, ídolo de todos os repórteres, foi entrevistado ontem no programa de Marília Gabriela, no canal GNT. Eu estava quase dormindo quando a entrevista começou e, obviamente, fiquei acordado. Tive a oportunidade de conversar com Caco duas ou três vezes na vida e, em todas, não pude evitar o pensamento de estar diante de um cara que é um exemplo para quem escolheu essa profissão. Seria imbecilidade da minha parte ficar aqui falando da excelência do trabalho de reportagem que ele realiza, ano após ano. Mas duas coisas me impressionam. Uma é a contínua inspiração que Caco busca do lado de fora da redação, mesmo aos 58 anos. São inúmeras as histórias de repórteres (de todas as áreas) que “se cansam das ruas”. Caco Barcellos, também nisso, é exceção. Infelizmente, pois deveria haver mais gente como ele. A outra é a generosidade de um profissional que não se contenta em “fazer o dele”. Assistir ao exemplar “Profissão Repórter”, na TV Globo, é ver um professor em ação. Ainda que ele negue o “título” e prefira ser visto como colega, como disse na entrevista. Ao final do programa, Marília Gabriela perguntou se Caco ainda tinha esperança na solução do problema da violência nas cidades brasileiras. Caco respondeu que sim, acrescentando que essa é uma solução que só virá com o tempo e com o envolvimento de toda a sociedade. E terminou dizendo que acreditava no poder da informação. Já perdi horas de sono, em incontáveis noites, por causa daquela tradicional girada nos canais para ver se tem algo interessante. Muitas vezes, me arrependi. Ontem fui dormir satisfeito.



MaisRecentes

Pendurado



Continue Lendo

Porte



Continue Lendo

Segunda vez



Continue Lendo