OURO PARA QUEM MERECE



Minha coluna no Lance! de hoje é sobre uma conversa que tive quatro anos atrás. Na cafeteria da ESPN Brasil, enquanto aguardávamos o início de uma entrevista, José Roberto Guimarães e eu conversávamos sobre o que tinha acontecido duas semanas antes. A inexplicável derrota da seleção brasileira de vôlei feminino para a Rússia, na semifinal da Olimpíada de Atenas. Zé Roberto estava devastado pela eliminação. Quando perguntei se ele pretendia continuar como técnico do time, ele respondeu que não sabia. “Se continuar, terá que ser com um time comprometido com um único objetivo, que é ganhar o ouro em Pequim”, ele concluiu. A bola pingou e eu quis saber se o time que foi a Atenas não tinha esse compromisso. Zé Roberto balançou a cabeça. Falou, sem citar nomes, sobre a turminha que reclamava de fazer musculação, “porque o namorado não gosta de braço musculoso”. Ouvi, um tempo depois, uma história sobre uma jogadora que discursava no vestiário, após o jogo, berrando que “não podemos deixar a Mari ficar como a culpada”, falando da novata (à época) que errou bolas decisivas contra as russas. Mari, obviamente, não tinha culpa nenhuma. Ela só apareceu naquelas situações porque outras jogadoras sumiram. E é lógico que quem discursava era uma das desaparecidas. Aposto que ela também fazia parte da turma que se preocupava mais com estética do que com títulos. Teve também o caso dos DVD´s dos adversários, que eram analisados por outro treinador. Normal, até, desde que Zé Roberto soubesse. Mas ele não sabia. Avance quatro anos no tempo, e saiba que a impecável campanha que terminou hoje com a vitória (3 x 1 – 25/15, 18/25, 25/13, 25/21) sobre os Estados Unidos não aconteceu com este grupo por acaso. Há um motivo para a primeira medalha de ouro olímpica do Brasil, num esporte coletivo feminino, ter sido conquistada pelas atuais jogadoras. Esse motivo é o fato delas formarem um time só. A vitória deste sábado (dia em que Mari completou 25 anos) não muda nada a respeito daquela terrível noite em Atenas. Apenas a coloca em seu devido lugar. E acerta os ponteiros com quem merece viver a alegria de um título olímpico. ATUALIZAÇÃO, 24/08, 11h27 em Pequim – Tecnicamente, como lembraram alguns comentários, o ouro no vôlei não foi o primeiro do Brasil em esportes coletivos femininos. Jaqueline e Sandra ganharam o vôlei de praia, em Atlanta 96. Quanto ao tamanho de cada conquista, é uma questão de opinião.



  • Anísio FC

    Leila? Fernanda Venturini? Virna? Deve ter sido uma dessas, hoje não tem importância, o ZRG mostrou que é o melhor técnico de vôlei do mundo, quando não tirou a Mari quando estava mal na recepção disse claramente da confiança que tinha na jogadora! Num lance parecido com o que encerrou o jogo, poderíamos ter livrado 3 pontos no 4° set, a Sheila enfiou o mão bola e a jogou pra fora, Mari num lance parecido passou para o outro lado, daí veio o erro das americanas e o ouro!!!

  • Paula

    Não sabia dessas coisas. Alias, nem imagino quem sejam as ditas cujas. O fato é que em Atenas, Fernanda Venturini tremeu nas bases e tentou chamar a “bola de segurança” com Mari (21 anos) em todos os lances. A guria marcada tentou cravar, bloque, tentou explorar o bloqueio fora! E mesmo assim jogava para ela. Ai, depois dessa virada, não a ânimo que resista! Parabens a todos e ao Ze… parece que ele superou muito mais do que uma “amarela” ou um time “sem força mental” (palhaçada de GAlvão…

  • Rubens

    … E acerta os ponteiros com quem merece viver a alegria de um título olímpico. Essa é daquelas frases que queriamos fossem nossas, por serem tao precisas na descrição de algo que simplesmente se encerram por si só. Brilhante! Sobre Atenas, qdo o jogo terminou eu estava bravissimo e falava pra minha irma que a Mari tinha jogado muito e que a culpa da derrota era pq ela jogou sozinha. Minha irma me lembrou disso hj.. E ela jogou sozinha justamente pelo motivo que vc comentou, as outras sumiram. Sorte nossa, e da Mari, que elas sumiram da seleçao tb. sorte da Mari, e de todos nos, que as 11 que estavam em quadra com ela hj sao verdadeiras atletas.

  • Maori

    A panelinha por sinal era formada por jogadoras vindas do rio. Nesse time ficou só uma como titular (Fabi) e outras duas no banco. O Zé ainda teve considerações com a jogadora Jaqueline, que vivia dando seus pitis perante o grupo.

  • juliana fritzen

    VC ASSINA COMO ADO NO BLOG DA FERNANDA VENTURINI? SE É VC MESMO, MEUS PARABÉNS, ACABA DE GANHAR UMA FÃ. PORQUE SEMPRE ACHEI QUE VC TIVESSE ATITUDE, MAS NÃO PENSEI QUE FOSSE TÃO HONESTO, DENTRO DE UMA IMPRENSA QUE MUITAS VEZES NÃO PODE DECLARAR TUDO O QUE SABE… UM ABRAÇO! AK: Não sabia que a Fernanda tinha um blog. Se soubesse, e o visitasse, assinaria meu próprio nome. Um abraço.

  • Anna Barros

    André,Jose Roberto merece demais! Sempre torci muito por ele e imagino o que ele e as meninas sofreram nesses 4 anos. Elas amadureceram,mudaram suas mentalidades e deixaram a vaidade de lado. E em especial Fofao que teve paciencia e soube esperar a sua hora. Ela e uma levantadora fantastica e foi o ponto de equilibrio e ebulicao desse time. Eu fiquei muito feliz com essa conquista.Agora espero o jogo dos homens. Que eles tb consigam. As mulheres brasileiras fazendo historia em Pequim. Nao sao de Atenas,sao mulheres de Pequim! Abraco,Anna

  • afbf

    Andre, por que nao citar o nome da jogadora que discursou no vestiàrio? Abs.

  • sergio lima

    Andre, quem estava no grupo da Grecia e hj nao esta mais? Nao gostei da atitude da Mari de mandar calar a boca. Entendi mas nao gostei.

  • Tatiana

    Realmente, assistindo aos jogos fica nítido que elas, mais a comissão e – não pode ser esquecida – até a psicóloga formam uma EQUIPE. Que hoje é a melhor do mundo no vôlei feminino. O sábado foi mais feliz hoje aqui no Brasil. Espero que a madrugada também seja!

  • Vanessa

    André, MAravilhoso texto! Foi corajoso e disse o que a torcida já desconfiava fazia tempo. Se essa seleção pendurou a medalha dourada no pescoço e outras gerações não… Não foi por acaso. Tanto é verdade que jogou uma bola que não foi capaz de encontrar adversários à altura! PArabéns, meninas! Agora vcs não precisarão mais carregar os resultados de ourtas gerações nas costas. Beij0ssssssss

  • Teobaldo

    Admiro e, sempre que posso, participo deste blog, por considerá-lo de um profissional sério e ético, mas nunca vou concordar com esta postura de se descrever os fatos e se omitir os participantes. Saudações.

  • marcelo

    Olá, André. poderia dar os nomes da turminha da musculação? E quem é esse outro técnico? Abraço

  • marcelo

    em tempo: e quem era a jogadora do vestiario?

  • Ismael

    Primeira medalha de ouro feminino num esporte coletivo foi em 1996 com Sandra e Jacqueline.

  • Luiz Alberto Derze

    Estive sem Pc por uns dias. Esse ouro veio com atraso de 4 anos e veio para provar muitas coisas que se pensavam de ruim das moças do nosso volei. Ter perdido a partida pra russia foi algo inacreditável, mas não poderiam mulheres que tanto lutaram, se superaram terem sido taxadas de amarelonas. Agora elas vieram e provaram que o imprevisivel pode acontecer um dia ou outro e pode marcar uma geração. Mas agora amarela é a medalha que elas tem no peito e 2004 serviu de lição. Agora é o BI! Abraços!

  • David

    O vôlei de praia não é considerado um esporte coletivo? Não sei quais são os critérios, mas pra mim, se não é individual, é coletivo.

  • cesar augusto

    Zé Roberto é o melhor técnico do esporte brasileiro, não só do volei. É sério, é competente… Torço por ele, sempre. Acabei de assistirà final, com um certo delay porque a NBC não passou ao vivo. Acredito que ele tenha se esforçado fisicamente como qualquer jogadora. Não parou um segundo. Sou fan desse cara. Ele merece ser o primeiro e único técnico com o ouro no masculino e feminino.

  • Patrícia

    Adorei seu comentario vc disse tudo,a mari foi injustiçada em atenas e agora que a seleção esta realmente unida e com jogadoras que se dedicam de verdade a medalha veio e todo o prestigio tbm ,Parabens a essas meninas maravilhosas e principalmente pra mari pela superação e comprovação e pelo seu aniversário bjss

  • Fred

    Teve também o caso dos DVD´s dos adversários. Que caso? Tem como explicar-nos?

  • Joao Aliano

    Obrigado Andre por colocar os pingos nos i´s. Tá dando show de bola em Pequim pela TV, como sempre. Valeu, cara!

  • Felipe

    Sobre os DVds a resposta eh facil: quem eh casada com um tecnico de volei???? Fernanda Venturini, que amerelou em 2004 e indiretamente quase queimou a Mari.

  • Eduardo Netto

    Oi André; importante e polêmica nota. As duas perguntas são: porquê só agora você a publica ? se o faz e dá a fonte por quê não dá nome aos bois? E mais uma: se o Brasil tivesse perdido para os EUA, você daria a informação. Abs. Eduardo. AK: Como está escrito no post, a coluna saiu no Lance! deste sábado. Portanto, foi escrita ANTES do jogo. Ganhando ou perdendo, não faria diferença. Só escrevi isso agora porque só agora fez sentido escrever. Um abraço.

  • Rita

    Como torci pra essa Seleção. Gritei e comemorei muito essa medalha. O Zé Roberto é incrível, tomou decisões difíceis, como não aceitar Fernanda de volta, fechou o grupo, e junto com a Fofão merecem demais esse título. Sheilla e Paula Pequeno jogaram muuuiiito. Seu penúltimo parágrafo é perfeito.

  • Paulo Considera

    O tamanho da conquista se define assim pro blogueiro: ele é amigo do Zé Roberto, mas não é amigo na Jackeline/Sandra. Infelizmente o Brasil é infestado de jornalistas bairristas, corporativistas, “coleguistas”. Estamos esperando agora as críticas do André para o Bernardinho, afinal ele é do Rio e não é amiguinho. AK: O Brasil é infestado por ignorantes que não suportam opiniões diferentes. Pergunte ao Zé Roberto se ele se considera meu amigo. E algumas pessoas exageram tanto na ignorância, como você, que enxergam críticas ao Bernardinho onde elas não existem. Sua visita a este blog é uma perda de tempo. Mas você deve ter tempo de sobra. Um abraço.

  • Patrícia

    André, Pra bom entendedor… Pra começar, o título do seu artigo é sensacional. De resto, eu te amo profudamente nesse momento por ter coragem de dizer o que alguns tem medo de… Gente blindada é outra coisa… Se é que você me entende… Nudge, nudge… Say no more!

  • João Carlos

    Alguém tem que mostrar ao tal Daniel Batistela esse texo URGENTEMENTE,e o Juca retirar as baboseiras que esse cara escreveu no blog.

  • Ram

    Andre, Me desculpe, mas bater em cachorro morto e deselegante, e demonstra pobreza de espirito. Ganhar uma medalha de bronze e uma conquista. Tudo bem que foi um desapontamento por uma selecao que poderia ter ido para o ouro… Mas mesmo assim. Ficar agora tripudiando em cima desta ou aquela atleta, quando todos se dedicaram tanto em 2004 como em 2008, e bobeira. A medalha de ouro e combinacao de preparacao e sorte. Se em 2004 faltou sorte ou preparacao, passou. Em 2008 tiveram isso. E se tivessem perdido esta ano? Ai voce iria dizer o que? Que faltou batom?? Este tipo de mentalidade amadoristica e que dirige o jornalismo esportivo no Brasil… Uma especie de paixao maluca, sem pausa para reflexao. Ate mesmo o Phelps disse que foi a derrota para o Thorpe em 2004, que o estimulou a chegar a perfeicao agora. Um bronze em 2004, pode ter levado ao ouro hoje. Ate mesmo se as mesmissimas atletas tivessem chegado la… Ganhar nao absolve ninguem. Perder nao condena ninguem. Ganhar nem significa necessariamente que tudo que voce decidiu fazer esta certo (ou sera que o Corinthians campeao brasileiro fez tudo de bom?). Ganhar e otimo, e importante. Mas devemos fazer isso, sem tripudiar os derrotados. AK: Lamento que você tenha interpretado o que escrevi dessa forma. Um abraço.

  • Felipe Lim

    André, a conquista do ouro é apenas resultado de um trabalho, que vem desde Ana Paula, Ana Moser, Ana Flávia, Márcia Fu, entre outras, há muitos anos. Tentar justificar a conquista por eventuais erros de comportamento corrigidos é tentar tapar o sol com a peneira, pois esse grupo, mesmo campeão, também deve ter seus vícios.

  • andre

    Andre, por que nao dar nome aos bois?? Quem eh, ou sao, as jogadoras que ficaram de fricote nas olimpiadas passadas??

  • Vinicius Nóbrega

    Temos muita curiosidade pelo o que acontece em bastidores. No entanto é melhor preservar as jogadoras mesmo. Compromisso com a vitória existe até no par ou ímpar, e aquela seleção tinha esse compromisso sim, elas queriam vencer. Talvez elas não conseguissem entender que precisavam seguir a filosofia do treinador. Mas o que vale é que tudo foi superado. E aquela derrota em Atenas serviu para calejar o time. O discurso de Mari antes do ouro foi sábio. “Temos que olhar pra frente.” Essa medalha de ouro foi a mais valiosa e honrosa que já vi.

  • davi

    tecnicamente nao foi o primeiro ouro… – se não é não é, ué! tem q ser o primeiro para ser bom? “Quanto ao tamanho de cada conquista, é uma questão de opinião” – completemento obvio, desnecessário e indelicado…

  • formigão

    parabens as meninas que se superaram dos traumas e dos coveiros e mostraram que são as melhores do mundo . parabens ao zé roberto pr ter sido um grande estategista , agora é manter a humildade e o trabalho que outras conquistas virão , vem ai o mundial em 2010 parabens garotas de ouro.

  • Roney

    ridiculo sua atitude de não postar comentários meus…Sinto mt AK: Seu comentário foi postado. Não sei qual é o problema. Um abraço.

  • luis rodolfo matarazzo

    André me incomoda muito que mesmo um jornalista gabaritado como você não coloque os nomes das pessoas embora obviamente saibamos os nomes dos protagonistas(Fernanda e Bernardinho), preferindo o mesmo caminho de algum de seus colegas. Quanto ao Bernardinho creio que um monstro foi criado;apesar da reconhecida competência, com as vitörias passamos a aceitar qualquer comportamento dele como se fosse um Luxemburgo do volei, ele estä sempre certo, ele pode convocar o filho ou ele pode analisar os jogos do feminino sem problema.Acho que o Brasil comecou a ganhar a medalha de ouro quando o Zé Roberto ( um tecnico vitorioso que aguentou as pancadas com muita ética) aguentou a pressão de não convocar a Fernada. Sobre o Bernardinho vc não acha que um tecnico top como ele teria que ter resolvido a situacao do Ricardinho, não te parece um caso parecido com o Romário de 94, se o Parreira não chama ele não ganharíamos a copa em 94. Abraco Rodolfo AK: Era mesmo necessário colocar os nomes? Será que quem acompanha o esporte não sabe? Essa história do DVD foi amplamente divulgada, ficou no noticiário por muito tempo. Também por muito tempo, o Zé Roberto foi acusado de tê-la inventado. Até que, quando iniciou a campanha para jogar em Pequim, Fernanda assumiu (na frente do Zé Roberto e de outra pessoa) o que tinha acontecido em Atenas. De novo, acho que esse tipo de comportamento (como impedir que marido e mulher, técnico e jogadora de vôlei, conversem sobre o assunto?) seria normal, desde que o treinador dela soubesse. O que fiz foi uma referência a um episódio antigo, nada mais. Não é notícia faz muito tempo. Um abraço.

  • Alexandre

    Andre, hoje muitos se arvoram contra Fernanda, Leila, Virna. Passei pelo Blog da Fernada e quanta falta de educação, de visão, de intelectualidade. As pessoas não precisam ser amigas para juntos trabalharem. Bastam que tenham os mesmos objetivos. O que aconteceu em Atenas foi a multiplicação dos objetivos. Conquistar o namorado, derrubar o técnico, ser campeão. Objetivos inconciliáveis. O que não retira o brilho de uma Fernada, Leila, Virna, Mari, Fofão… A Fernanda é um um exemplo para o Volei, seguido por muitos jovens. Assim como será Mari, Sheila, Fabi, Thaisa. Esperamos que essas meninas continuem firmes em suas carreiras e seus propósitos vencedores.

  • Paulo Considera

    Obrigado pela resposta e, através dela, confirmar o que falei sobre vc. Faltou também ser um bom leitor, e perceber que as suas críticas ao Bernardinho ainda estariam por vir, não haviam sido feitas ainda. E pra fechar: ver que a maioria das pessoas que opinaram aqui (e no blog do seu papai também) criticam tanto o Bernardinho, só prova o seu nível. Diga-me com quem andas, que te direi quem és… AK: Eu acho que você não sabe ler. Onde estão as críticas ao Bernardinho?

  • Iossi

    Oi André, acompanho seu trablho, e comento por aqui as vezes. Mais um belo texto, o estranho é que os comentaristas estão meio bravos…o que não é costume entre os que visitam seu blog. Sobre os nomes, quando vc não os coloca, e demora meio segundo pra quem não sabe, saber de quem vc está falando, instintivamente nos vemos escrevendo nos comentários os nomes, com uma certa raiva da presunção de um casal que é indiscutivelmente bem suscedido, com o pretexto de estarmos democratizando a infromãção. Assim que é o ser humano. Pelo menos muitos de nós. Entenda o próximo e seja mais feliz:) AK: Obrigado pelo comentário. Eu só não gosto quando as pessoas lêem o que eu não escrevi. Um abraço.

  • edson gomes de lima

    Até que enfim alguém toca no assunto do amarelão da seleção de 2004 do volei,deixando a situação um pouco mais clara.Você não deixa claro,mas ficou evidente e não sei porque ninguém cita os nomes,que quem amarelou foi a prepotente da levantadora(que deve ser muito forte nos bastidores da imprensa)e a tal da Virna que se escondeu.E digo mais:só ganhamos essa olimpíada porque tínhamos uma levantadora de verdade,que foi injustiçada muitas vezes. é isso aí.Parabéns pelo seu trabalho.Me arrisco a dizer,que junto com o Flávio Gomes,você é o

  • Edson Luiz Gomes de Lima

    Ficou incompleto meu comentário.Mas o que eu dizia é que você e o Flávio Gomes são os melhores jornalistas que conheço.São muito bem informados sobre todos os esportes e tem tiradas interessantes sobre todos os assuntos.Não tô puxando saco da ESPN,porque,embora ela tenha os melhores jornalistas sua programação é fraca.

  • Anderson Viana

    Da mesma forma que Bernardinho que mudou e deixou a seleção feminina competitiva em meados da década de 90, merecia a medalha de ouro em Atlanta, José Roberto com certeza merece a medalha de ouro de Pequim. Todos os grupos tem seus erros e grandes acertos. Desmerecer quem não serve mais, seja em post ou comentários significa pobreza de espirito. Talvez desse grupo não convocaria a Jaqueline pois reiteradas vezes reclamou da reserva em um grupo que se adequou (sic) ao volei atual para um beneficio comum…

  • bruno

    Numa época em que existem certas ex-jogadoras, que no passado foram exemplos de falta de coragem, ficam querendo agourar as meninas de ouro do vôlei, sua coluna merece os parabéns. A seleção do tempo da Fernanda Venturini era muito boa (e eu digo mais, tecnicamente BEM melhor do que as cubanas), mas nunca teve a capacidade para crescer nos momentos decisivos, com raríssimas exceções (Ana Moser, por exemplo). Aliás, quem assistia os jogos com atenção, já sabia que a Fofão jogava melhor do que a Fernanda Venturini, desde, no mínimo, 1994. Mas, por alguma razão nunca teve chance de ser titular. Uma vez que o tempo delas passou (tudo passa, não é?), deveriam ter saído de cena, mas….. Al

  • bruno

    Em 2002, as jogadoras da atual geração apareceram para o mundo. Mostraram talento mas esbarraram na falta de experiência e maturidade. Infelizmente, isso abriu espaço para que dona Fernanda Venturini, Virna, entre outras, reivindicassem um lugar na seleção mesmo sem estarem no melhor da sua forma. Zé Roberto jamais deveria ter aceitado isso, mas talvez não tenha resistido ao lobby (do qual inclusive Bernardinho fez parte, como bem se sabe). O argumento estava pronto: nossa grande geração de jovens jogadoras precisava de companheiras experientes para completar a fórmula do título. Eu teria achado isso natural se as veteranas que entraram fossem exemplos de liderança e estivessem em forma, mas….(continua)

  • bruno

    ……Na hora da verdade – a famosa semifinal com a Rússia – as veteranas, que deveriam assumir a responsabilidade na hora da decisão (a principal razão para elas serem convocadas foi essa), se omitiram totalmente. Pior, uma massa de……… ficou culpando injustamente a Mari pelo que aconteceu. Imaginem a Mari, ainda uma menina, que fez uma brilhante primeira olimpíada, levando uma culpa que não era dela. Pior: não vi NENHUMA veterana levantando a voz para assumir a responsabilidade pela derrota ou, no mínimo, defenderem a Mari!!! Agora, em 2008, uma daquelas malfadadas, fica dedicando um blog a ficar agourando o time atual. Pior: queria de novo voltar pra seleção mesmo tendo encerrado a carreira. É brincadeira!!!

  • Alex

    Fantástico o seu comentário. Ajuda a destruir a versão oficial dando o real merecimento a Mari. Obrigado

  • bruno

    Em resumo, estava tentando dizer o seguinte: a) A história contada pelo André só comprova tudo que estava claro pra quem sabia prestar atenção; b) A história do vôlei brasileiro é feita por todas as pessoas que ajudaram a construí-lo. Mas as campeãs olímpicas são apenas as atuais jogadoras, não as antigas. Muito menos as invejosas e agourentas.

  • Paula

    Desmerecer a Fernanda como jogadora é esquecer os vários títulos de melhor levantadora da mesma! A mulher era uma monstra – no auge! Fofao era muito boa e evoluiu, mas ficou sempre a sombra da Fernanda até pela estatura.

  • Jaime

    Não precisava deste comentário maldoso diminuindo o ouro da praia!!! Mas parabéns pela cobertura dos jogos. Encontrei textos fantásticos aqui!!! AK: Não há maldade nenhuma no comentário. Apenas acho uma conquista mais representativa do que a outra. Obrigado e um abraço.

  • time campeão

    muita gente não viu ou não lembra de uma entrevista da Fernanda Venturini ao retornar de athenas, prevendo que o brasil não chegaria ao pódio olímpico nos próximos anos porque ela não via nenhuma levantadora em condições de assumir o lugar que fora seu por tantos anos. Eu te pergunto: e a fofão? Fernanda Venturini se achava insubstituível. Provavelmente teve uma epifanía no domingo!

  • GAbriel da Zona Leste

    valeu andré por esse post, vale lembrar que esse grupo de pequim não será o mesmo em Londres, provavelmente,: Sassá, Fofão, walewska, valeskinha e carol alb. deverão dar adeus a seleção, como substitutas podem vir atletas como regiane, ana tiemi ou fabiola, adenizia ou gataz, natalia e dani lins, mas eu espero que após essa conquista . não saia nada debaixo do pano, como o caso ricardinho e bernadinho, venturini e zé roberto e etc. é aguardar para ver, eu amo o volei

  • acho injusto tacharam uma jovem atleta como culpada pelo fiasco de atenas. todos tem culpa nessa derrota e tem que admitir, ao invés de deixar uma jogadora assumir toda culpa.
    parabêns meninas do vôlei, voces mereceram esse título por demostrar garra e luta.

MaisRecentes

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo

Incoerente



Continue Lendo