18 HOMENS E UM PROBLEMA



GOLEIROS Renan (Internacional) Diego Alves (Almería) ZAGUEIROS E LATERAIS Thiago Silva (Fluminense) Alex Silva (São Paulo) Breno (Bayern de Munique) Ilsinho (Shakhtar Donetsk) Rafinha (Schalke 04) Marcelo (Real Madrid) VOLANTES E MEIAS Lucas (Liverpool) Anderson (Manchester United) Hernanes (São Paulo) Thiago Neves (Fluminense) Diego (Werder Bremen) Ronaldinho (Barcelona) ATACANTES Robinho (Real Madrid) Alexandre Pato (Milan) Rafael Sobis (Betis) Jô (Manchester City) Esta é a Seleção Brasileira olímpica, convocada ontem por Dunga (exceção feita ao último nome do meio-de-campo), como você deve saber. Como Kaká não está na lista porque o Milan não deixou, é difícil, muito difícil, convocar um grupo melhor do que esse. Os nomes estão certos, mas o problema é outro. Sabe o que Renan, Diego Alves, Breno e Thiago Silva têm em comum? Jamais jogaram pela seleção principal. E o que Rafinha, Ilsinho, Hernanes, Thiago Neves e Jô têm em comum? Só jogaram uma vez. Falta experiência à metade dos convocados para a Olimpíada. É por isso que (perdoe-me se você está cansado dessa conversa), desde fevereiro, este blog insiste que 2008 deveria ser o ano da seleção olímpica. Que a seleção olímpica deveria ser, por oito meses, a seleção principal. Se o grupo chamado ontem tivesse sido formado no início do ano, os nove jogadores praticamente estreantes com a camisa do Brasil, teriam em seu currículo quatro amistosos internacionais (Irlanda, Suécia, Canadá e Venezuela), e mais dois jogos de Eliminatórias Sul-Americanas (Paraguai e Argentina). Sobre os dois últimos, uma perguntinha: você acha um time com (só uma suposição, e sem os mais velhos) Diego Alves, Ilsinho, Breno, Alex Silva e Marcelo; Hernanes, Lucas, Diego e Thiago Neves, Rafael Sóbis e Alexandre Pato, bem treinado e cheio de vontade, só faria um ponto contra Paraguai e Argentina? Eu acho que não. E se não fizesse nenhum, qual seria a diferença? Portanto, a questão não é qual time tentará conquistar a medalha de ouro olímpica em Pequim. É como este time chegará lá. A CBF descobriu os Jogos Olímpicos na madrugada do dia 19 de junho, logo após o emocionante empate com os argentinos, em BH. Se tivesse levado a sério o planejamento do título que falta à Seleção Brasileira, teríamos um time pronto (que poderia, até, enfrentar Chile e Bolívia pelas Eliminatórias, em setembro). Não temos.



MaisRecentes

Segunda vez



Continue Lendo

Paralelos



Continue Lendo

Uma questão



Continue Lendo