CAIXA-POSTAL



Enquanto escrevo, chega a informação de que Fernandão foi embora para o Al Garrafa, do Catar. Boa notícia para quem pensa no título brasileiro de 2008. Aos temas desta semana: Gustavo escreve: Quando o Luxemburgo era técnico do Real Madrid, o time teve que entrar em campo por 6 minutos para terminar uma partida. E chegou a fazer gol neste período, não? Gostaria de saber: – por qual motivo o jogo recomeçou por apenas 6 minutos? A regra não diz que o jogo é dado como encerrado depois que passa um certo tempo (acho que 80% do jogo ou algo parecido) – quem era o adversário? – qual o placar final? Resposta: Sim, o Real Madrid fez um gol no complemento do jogo (Zidane, cobrando pênalti sofrido por Ronaldo). Suas outras respostas: – Ameaça de bomba, feita por telefone a um jornal basco. – Era uma situação excepcional, a Liga Espanhola decidiu mandar jogar os seis minutos restantes em outro dia. – Real Sociedad. – 2 x 1 para o Real Madrid. ****** Kurt escreve: (sobre Felipão) O que você acha sobre essa grande contratação do time do Chelsea? Resposta: O mesmo que você, uma grande contratação. Minha coluna no Lance! de hoje é sobre isso. Acho que o resultado do encontro entre a capacidade de Felipão e a “generosidade” de Roman Abramovich é certeza de dor de cabeça para os outros técnicos da Inglaterra e vizinhanças. ****** Matheus escreve: Há algumas semanas, quando vc estava cobrindo a final da UEFA Champions League, durante um Bate-Bola (programa da ESPN Brasil), você mostrou a capa de um jornal russo que destacava a vitória da seleção russa no Mundial de hóquei sobre o gelo, com um gol do excepcional Alexander Ovechkin. Nisso, o grande Silvio Lancelotti afirmou que você é fã de hockey, algo tão raro no Brasil! Por isso, queria saber de você: qual é o seu time no hockey? Resposta: Eu sou fã de esportes. O boletim que mandei de Moscou sobre a conquista dos russos foi uma maneira de mostrar que havia outras coisas importantes acontecendo no país, além da final da UCL. Cada esporte tem suas características, e o hóquei pode ser muito legal de ver. Não tenho um time preferido, apesar de ter começado a me interessar pelo hóquei em 1994, quando o New York Rangers ganhou a Stanley Cup depois de muito tempo, com aquele time que tinha o Mark Messier. ****** Antonio escreve: Creio que você esteja acompanhando a Euro 2008. Baseado no resultado do jogo da Espanha contra a Rússia, gostaria de saber sua opinião. Guardadas as devidas proporções, seria a Rússia uma “Bolívia européia”, já que eles apenas se classificam para as grandes competições continentais por terem seus adversários que encarar como 12° jogador o clima em Moscou? Neste caso, Moscou não deveria também fazer parte do estudo da FIFA sobre condições extremas para patica de futebol? Qual sua opinião? Resposta: Acho que são duas situações diferentes. Jogar no frio de Moscou não é tão prejudicial à saúde quanto jogar na altitude da Bolívia. Mesmo porque faz um frio semelhante em outros países europeus, onde os jogadores estão certamente acostumados às baixas temperaturas. Joga-se em Moscou também pela Champions League. ****** Mais uma vez, obrigado pelas mensagens. A Caixa-Postal volta no próximo sábado. (e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página) “Nós todos precisamos de espelhos para lembrar de quem somos. Não sou diferente.” Leonard Shelby, em “Amnésia”.



MaisRecentes

Brasil 5 x 0 Peru



Continue Lendo

Gênese



Continue Lendo

Falta cebola



Continue Lendo