CAIXA-POSTAL



Enquanto escrevo, chega a informação de que Fernandão foi embora para o Al Garrafa, do Catar. Boa notícia para quem pensa no título brasileiro de 2008. Aos temas desta semana: Gustavo escreve: Quando o Luxemburgo era técnico do Real Madrid, o time teve que entrar em campo por 6 minutos para terminar uma partida. E chegou a fazer gol neste período, não? Gostaria de saber: – por qual motivo o jogo recomeçou por apenas 6 minutos? A regra não diz que o jogo é dado como encerrado depois que passa um certo tempo (acho que 80% do jogo ou algo parecido) – quem era o adversário? – qual o placar final? Resposta: Sim, o Real Madrid fez um gol no complemento do jogo (Zidane, cobrando pênalti sofrido por Ronaldo). Suas outras respostas: – Ameaça de bomba, feita por telefone a um jornal basco. – Era uma situação excepcional, a Liga Espanhola decidiu mandar jogar os seis minutos restantes em outro dia. – Real Sociedad. – 2 x 1 para o Real Madrid. ****** Kurt escreve: (sobre Felipão) O que você acha sobre essa grande contratação do time do Chelsea? Resposta: O mesmo que você, uma grande contratação. Minha coluna no Lance! de hoje é sobre isso. Acho que o resultado do encontro entre a capacidade de Felipão e a “generosidade” de Roman Abramovich é certeza de dor de cabeça para os outros técnicos da Inglaterra e vizinhanças. ****** Matheus escreve: Há algumas semanas, quando vc estava cobrindo a final da UEFA Champions League, durante um Bate-Bola (programa da ESPN Brasil), você mostrou a capa de um jornal russo que destacava a vitória da seleção russa no Mundial de hóquei sobre o gelo, com um gol do excepcional Alexander Ovechkin. Nisso, o grande Silvio Lancelotti afirmou que você é fã de hockey, algo tão raro no Brasil! Por isso, queria saber de você: qual é o seu time no hockey? Resposta: Eu sou fã de esportes. O boletim que mandei de Moscou sobre a conquista dos russos foi uma maneira de mostrar que havia outras coisas importantes acontecendo no país, além da final da UCL. Cada esporte tem suas características, e o hóquei pode ser muito legal de ver. Não tenho um time preferido, apesar de ter começado a me interessar pelo hóquei em 1994, quando o New York Rangers ganhou a Stanley Cup depois de muito tempo, com aquele time que tinha o Mark Messier. ****** Antonio escreve: Creio que você esteja acompanhando a Euro 2008. Baseado no resultado do jogo da Espanha contra a Rússia, gostaria de saber sua opinião. Guardadas as devidas proporções, seria a Rússia uma “Bolívia européia”, já que eles apenas se classificam para as grandes competições continentais por terem seus adversários que encarar como 12° jogador o clima em Moscou? Neste caso, Moscou não deveria também fazer parte do estudo da FIFA sobre condições extremas para patica de futebol? Qual sua opinião? Resposta: Acho que são duas situações diferentes. Jogar no frio de Moscou não é tão prejudicial à saúde quanto jogar na altitude da Bolívia. Mesmo porque faz um frio semelhante em outros países europeus, onde os jogadores estão certamente acostumados às baixas temperaturas. Joga-se em Moscou também pela Champions League. ****** Mais uma vez, obrigado pelas mensagens. A Caixa-Postal volta no próximo sábado. (e-mails para a Caixa-Postal do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link do lado direito da página) “Nós todos precisamos de espelhos para lembrar de quem somos. Não sou diferente.” Leonard Shelby, em “Amnésia”.



MaisRecentes

Desconforto



Continue Lendo

Irmãos



Continue Lendo

Na mesa



Continue Lendo