Santos precisa desistir de vez de Robinho



Em novembro de 2017, Robinho foi condenado em primeira instância a nove anos de prisão, acusado de violência sexual durante sua passagem pelo Milan. O caráter provisório da decisão da justiça italiana não diminui a gravidade da situação: o jogador é réu, mesmo respondendo ao processo em liberdade.

Após ter sua saída confirmada do Atlético-MG, o nome de Robinho voltou a circular nos corredores do Santos para euforia de alguns torcedores e desânimo de outra parcela. O que uma eventual quarta passagem do jogador pelo clube traria de benefício? Dentro de campo, a dúvida é enorme. Após um bom 2016 pelo Galo, Robinho despencou e se tornou um medalhão indigesto dentro do elenco. O alto salário seria mais um entrave em um Santos que ainda busca se reequilibrar financeiramente, mesmo com a venda de atletas importantes, como Lucas Limas e Ricardo Oliveira.

Mas é fora dos gramados que o caldo tende a engrossar. Apostar novamente em Robinho é assumir um efeito colateral grave, ou seja, ter que administrar os bastidores dependendo da decisão da justiça no futuro. Segundo reporta o UOL Esporte, na proposta pelo jogador seria incluída uma cláusula capaz de rescindir o vínculo do atacante em caso de condenação. A medida contempla a possibilidade de um acordo de extradição da Itália com países do Mercosul (excluindo o Brasil), o que colocaria Robinho e Santos em risco durante a disputa da Copa Libertadores da América.

Assim que deixou o Galo, o nome de Robinho voltou a circular nos corredores do Santos (Foto Bruno Cantini / Atlético-MG)

Assim que deixou o Galo, o nome de Robinho voltou a circular nos corredores do Santos (Foto Bruno Cantini / Atlético-MG)

A rejeição das arquibancadas também precisa ser levada em conta. Após o caso explodir no final do ano passado, torcedoras do Atlético-MG levaram faixas para protestar. Em uma delas, o recado era bastante claro: “Um condenado por estupro jogando no Galo é uma violência contra todas as mulheres!”. Nas redes sociais, torcedoras do Santos também já começam a se manifestar contra a vinda do atacante.

Robinho tem uma importância absurda na história do Santos. Foi um dos responsáveis por tirar o clube do ostracismo em 2002 e recolocá-lo no patamar dos clubes brasileiros que entravam de fato para disputar títulos. Entretanto, das pedaladas na final do Brasileiro contra o Corinthians até hoje, prestes a completar 34 anos, o que sobrou basicamente é nostalgia, e não uma perspectiva concreta de utilidade. Comprar uma briga que é só de Robinho parece um capricho de um Santos sedento por dar uma resposta ao torcedor após uma temporada apagada.