Retrospectiva: 7 times que fracassaram em 2017



Arsenal

Wenger ficou, para desespero de boa parte da torcida do Arsenal (Foto: Ben STANSALL / AFP)

Wenger ficou, para desespero de boa parte da torcida (Foto: Ben Stansall/AFP)

Sem conquistar a Premier League desde a mágica temporada 2003/2004, o Arsenal ficou para trás. Mas a presença na Champions League sempre foi uma muleta para a torcida e, claro, para a dinastia Arsène Wenger. Não é mais: pela primeira vez em 20 anos, o clube londrino ficou de fora da maior competição de clubes do mundo, criando um clima de revolta nas arquibancadas do Emirates Stadium. Reformulação total? Nada disso: Wenger, dono do seu próprio destino, cravou sua permanência por mais uma temporada, e o time se reforçou de forma discreta no mercado e ainda sofre com a perspectiva perder (de graça) Alexis Sánchez, a estrela do time atual, nos próximos meses. Se a liga inglesa terminasse hoje, o Arsenal, em sexto lugar, estaria fora até da próxima edição da Liga Europa.

Atlético-MG

Quando ano começou, poucos analistas e torcedores exitavam ao apontar Atlético, Flamengo e Palmeiras como os três melhores elencos do país. Como se sabe, nenhum deles teve um desempenho à altura dos jogadores que tinha e, no caso do Galo, houve até um perigoso flerte com o rebaixamento no meio do Campeonato Brasileiro. Com os caríssimos veteranos Fred e Robinho no ataque, o time não engrenou em nenhum momento depois de conquistar o título estadual. Terminou a Série A sem sufoco, mas em nono lugar e sem conseguir a sonhada vaga na Libertadores.

Flamengo

Dono de um dos melhores elencos do país em 2017, talvez até o melhor, o Flamengo foi um desastre. Quando o Rubro-Negro conquistou o título estadual, dia 7 de maio, mal sabia a torcida que aquela seria a única alegria do ano. Dez dias depois de erguer o troféu, o Flamengo caiu na Libertadores ainda na fase de grupos. O ano, marcado por falhas incríveis do goleiro Muralha, ainda teve derrotas na final da Copa do Brasil, para o Cruzeiro, e da Copa Sul-Americana, para o Independiente, quando pra fechar o desastre a violência da torcida foi a principal notícia da noite da decisão.

Milan

O “novo Milan” estava prestes a nascer assim que Berlusconi assinou a venda do clube para o consórcio chinês Sino-Europe Sports. No mercado europeu, uma farra: o Milan trouxe 11 jogadores novos, como o zagueiro Leonardo Bonucci, que saiu da Juventus por 40 milhões de euros, e o atacante André Silva, vendido pelo Porto por 38 milhões de euros. Em campo, o mesmo fiasco que marcou o Milan nos últimos anos. Ocupa a 11ª posição na Serie A, com Gattuso como técnico-tampão e ainda viu ruir a relação da torcida com o jovem goleiro Donnarumma, para muitos o sucessor de Buffon na seleção italiana e que protagonizou uma novela lamentável até assinar a renovação do contrato.

Palmeiras

Felipe Melo, em jogo contra o Jorge Wilstermann, válido pela Copa Libertadores (Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras)

Felipe Melo, em jogo contra o Jorge Wilstermann, válido pela Copa Libertadores (Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras)

Obsessão foi o mote que o Palmeiras levou a campo em 2017, empolgado pela conquista do título brasileiro no ano anterior e com mais uma enxurrada de contratações. A meta era bem clara: Libertadores. Mas o Palmeiras não chegou nem perto de conquista-la. Apostou em Eduardo Baptista para, em poucos meses, tirar Cuca do período sabático. A ‘liga’ não era mais a mesa e o clima azedou de vez, com Felipe Melo liderando a raia da discórdia. O interino Valentim ganhou uma nova chance, mas seus conceitos não trouxeram ao time a condição de brigar pelo bicampeonato nacional. Uma eliminação atrás da outra, enterrando de vez as altas expectativas da torcida alviverde.

Náutico e Santa Cruz

Dois dos três grandes do futebol pernambucano protagonizaram um fiasco na Série B do Campeonato Brasileiro: ambos foram rebaixados para a terceira divisão. Na verdade, foi apenas o encerramento de um ano tenebroso para a dupla, que não chegou sequer à final do campeonato estadual, vencido pelo rival Sport em final contra o Salgueiro. Na ingrata disputa pra saber quem foi o pior da dupla, o Náutico se superou ao encerrar a Série B na lanterna, com 32 pontos e apenas 29 gols marcados nos 38 jogos disputados. Assim como o alvirrubro, o Santa Cruz também chegou à rodada final já rebaixado.