Marcelo Chamusca, o rei do acesso do Campeonato Brasileiro, é um dos trunfos do Ceará no retorno à elite



Assim que o Ceará garantiu o acesso à Série A no final de 2017, um nome passou a ser olhado com mais atenção. Marcelo Chamusca, treinador do “Vozão”, é o primeiro técnico a conseguir o acesso em todas as divisões do Campeonato Brasileiro. Chamusca (irmão de Péricles, que ganhou notoriedade ao conquistar a Copa do Brasil pelo Santo André, em 2004), só se tornou treinador profissional em 2012, ao assumir o Vitória da Conquista-BA. Cinco anos depois, se tornou um ídolo da torcida cearense, intensificado recentemente pela conquista estadual contra o Fortaleza, seu maior rival, por onde também passou e conquistou o estadual em 2015.

Um ano após debutar na profissão, Chamusca garantia o acesso do Salgueiro para a Série C. Em 2016, levou o Guarani para a Segundona e, no passado, foi a vez do Ceará, terceiro colocado na Série B, atrás apenas de América-MG e Internacional. Na final do Campeonato Cearense, uma cena curiosa: Chamusca sofreu com a pressão baixa no jogo decisivo contra o Fortaleza e foi atendido no vestiário no intervalo, sem conseguir voltar para o segundo tempo. O time segurou a bronca, venceu o time de Rogério Ceni por 2 a 1 (mesmo placar do jogo de ida) e levantou o caneco pelo segundo ano consecutivo.

'O acesso com o Ceará foi o maior feito da minha carreira", destaca Marcelo Chamusca (Foto: Divulgação Ceará)

‘O acesso com o Ceará foi o maior feito da minha carreira”, destaca Marcelo Chamusca (Foto: Divulgação Ceará)

Chamusca ganhou a confiança do grupo em decisões complexas durante a campanha na última Série B. Uma delas foi tirar o ídolo Magno Alves do time titular, o que mais para frente abriu espaço também para o surgimento de Arthur, que, um ano depois despontaria como uma das principais revelações do futebol brasileiro. O jovem atacante, artilheiro do Brasil na temporada com 16 gols, renovou contrato com o Ceará nesta quinta-feira, informação dada com exclusividade pelo jornalista Fernando Graziani, do O Povo (link). Arthur já era sondado por Cruzeiro, Atlético-MG, Palmeiras e Grêmio e agora se mantém como peça fundamental do esquema de Chamusca no retorno à elite.

No sistema 4-2-3-1, as laterais também são outra força do time. Pio pela direita e Ernandes e Romário se alternando pela esquerda equilibram muito bem as ações ofensivas e de marcação. Pelas pontas, Wescley pelo lado direito e Felipe Azevedo na esquerda tornam o time ainda mais perigoso no ataque.

Chamusca sempre reitera que o acesso com o Ceará foi o maior feito de sua carreira. Agora, tem a missão de evitar o efeito gangorra que atinge diversos times do Nordeste que conseguem garimpar um espaço até a Série A. Apoio da torcida tem de sobra, a questão agora é conseguir manter o nível de competitividade que fez o Ceará enfim subir de patamar.