4 momentos em que o técnico do Panamá foi o homem mais sincero da Copa



Hernán Darío Gómez, 62 anos, é dos personagens mais divertidos desta Copa. O técnico colombiano, que dirige o Panamá em sua primeira aventura em um Mundial, foi autor de algumas das melhores entrevistas na Rússia. Abaixo, quatro destes momentos protagonizados por Bolillo, como é conhecido o treinador que também comandou as seleções da Colômbia (inclusive na Copa de 1998), do Equador e da Guatemala.

Hernán Darío Gomez, técnico do Panamá na Copa de 2018

Hernán Darío Gomez se aquece – não, ele não jogou (Foto: Johannes Eisele/AFP)

Duas doses

Bem, não são duas doses exatamente. Antes do Panamá entrar em campo, Bolillo prometeu que beberia duas garrafas de vodca sozinho se a seleção conseguisse chegar às oitavas de final. Mostra o tamanho da confiança que tinha. Infelizmente não deu.

“Só” três

Veio a estreia e um passeio da Bélgica, que derrotou o Panamá sem dificuldades, por 3 a 0. O treinador colombiano, então, se disse chateado com o resultado, mas falou que poderia ser pior. “A diferença entre as duas equipes é maior do que três gols”.

Só um detalhe

Antes do confronto contra a Inglaterra, pela segunda rodada, revelou um problema importante dos panamenhos nesta Copa do Mundo. “Temos dificuldade em marcar gols”, revelou Bolillo. Bem, não foi difícil perceber isso , convenhamos.

Virou passeio

Apanhando de 5 a 0 para a Inglaterra depois dos primeiros 45 minutos, o colombiano contou o que disse aos jogadores no vestiário, no intervalo. “Apenas pedi a eles que não a derrota não fosse por dez gols”. Deu certo: o Panamá foi derrotado por “apenas” 6 a 1.

* Eliminado, o Panamá se despede da Copa do Mundo às 15h de quinta-feira, contra a Tunísia.