O Hamburgo está a uma semana de seu primeiro rebaixamento



​O futebol alemão está a uma semana da possibilidade de viver um momento histórico. São grandes as chances de que o Hamburgo seja rebaixado para a segunda divisão. E por que este é um momento histórico?

O time azul do norte da Alemanha, uma das mais tradicionais equipes do país (foi derrotado pelo Grêmio no Mundial de Clubes em 1983), é o único que disputou todas As edições da Bundesliga. Além dele, apenas o Bayern de Munique nunca foi rebaixado na liga. Mas quando ela estreou, na temporada de 1963, o Bayern estava na segunda divisão.

Não é de hoje que o Hamburgo flerta com a queda. Na Alemanha, os dois últimos colocados são automaticamente rebaixados e o 16° disputa um mata-mata contra a equipe que ficar em terceiro na segunda divisão (que deve ser o Kiel). O time já fez milagre neste confronto contra a queda. Em 2015, marcou o gol de empate contra o Karlsruher aos 45 do segundo tempo, quando a derrota o derrubaria. Virou na prorrogação e no minuto final do tempo extra o goleiro René Adler ainda defendeu um pênalti. Em 2017, um gol salvador contra o Wolfsburg evitou que de novo jogasse o playoff da morte.

O zagueiro Kyriakos Papadopoulos caído no chão

O zagueiro Kyriakos Papadopoulos desaba durante a derrota deste sábado (Foto: Daniel Roland/AFP)

A importância de nunca ter sido rebaixado e de ser o único a ter disputado todas as edições da Bundesliga é simbolizada por um relógio dentro do estádio, o Volksparkstadion. Ele marca o tempo da façanha do time, que já passa de cinco décadas e vem sendo mantido intacto com muita dificuldade.

Neste sábado (5), derrotado por 3 a 0 pelo Eintracht Frankfurt, o Hamburgo permaneceu em penúltimo lugar, a dois pontos do Wolfsburg, que hoje disputaria o mata-mata pela sobrevivência contra o Kiel. Na rodada decisiva, no próximo sábado, o Hamburgo recebe o Borussia Monchengladbach, e o Wolfsburg visita o lanterna e já rebaixado Colônia e evitará o rebaixamento com um empate, já que tem saldo de gols maior (-15 x -24).

Para que o relógio fique inalterado no Volksparkstadion, só mesmo com um milagre.