Da busca por Fangio à McLaren-Renault: a Fórmula 1 em 2018



Em busca de Fangio

Lewis Hamilton e Sebastian Vettel têm quatro títulos cada um. Começam a próxima temporada como favoritos e disputam a honra de igualar o argentino Juan Manuel Fangio, pentacampeão mundial. Qual destes dois craques das pistas conseguirá antes tornar-se o terceiro piloto a conquistar cinco campeonatos na F-1?

Hamilton e Vettel no pódio em Abu Dhabi

Hamilton e Vettel no pódio: um deles alcançará Fangio em 2018? (Foto: Andrej Isakovic/AFP)

A afirmação de Verstappen

Há pouca dúvida a respeito do talento de Max Verstappen. E 2018 pode ser o ano em que o jovem holandês, 19 anos, se mostratá capaz de disputar um título mundial. A resposta só saberemos se a Red Bull for capaz de criar um carro que brigue constantemente por vitórias, não apenas eventualmente, como na temporada que terminou neste domingo.

Ricciardo deixará de ser coadjuvante?

O australiano é muito bom piloto e terminou à frente do fenomenal Verstappen. Mas hoje as fichas da F-1 estão mais sobre o jovem Max do que sobre o eficiente e risonho Daniel Ricciardo. Está na hora de mostrar que é mais do que apenas um bom piloto: está na hora de mostrar que pode ser campeão.

O fim de Bottas e Raikkonen

Há jovens e bons pilotos esperando uma vaga na Ferrari e, principalmente, na Mercedes. Para que não sejam dispensados no fim da próxima temporada, os dois finlandeses terão de mostrar mais serviço do que em 2017. Ambos não incomodam seus companheiros, mas obviamente não são o futuro de suas equipes.

A McLaren grande outra vez

O fim da desastrosa parceria com a Honda e o início do trabalho com a Renault vão colocar a McLaren de novo na briga pelas primeiras posicões? A equipe já teve este ano um dos melhores chassis do grid e o que faltou foi apenas um motor decente. Além disso, o genial Fernando Alonso está com sede para voltar a vencer.

Alonso guiando em Abu Dhabi em 2017

Alonso comandará o projeto da McLaren-Renault em 2018 (Foto: Andrej Isakovic/AFP)

Brasileiro gosta de Fórmula 1?

Pela primeira vez desde 1970 uma temporada da F-1 vai começar sem um piloto brasileiro no grid. Saberemos, então, o quanto o brasileiro se interessa de fato pela categoria ou o quanto só assiste às provas quando existe verde e amarelo no grid. Porque a ausência brasileira não tem data certa pra acabar, haja vista as poucas opções na base.

A volta do polonês

Foram cinco anos longe da F-1 depois de quase perder o braço direito numa prova de rali. De forma inesperada, Robert Kubica retornará à categoria aos 32 anos para substituir Felipe Massa na Williams, segundo informação do Diário Motorsport. Tem talento, mas conseguirá mostrar o mesmo brilho de potencial campeão que tinha antes do acidente?



MaisRecentes

Nevasca na NFL: veja (ou ao menos tente) como foi o jogo entre Bills e Colts



Continue Lendo

Sucesso de Raí como diretor será uma vitória do futebol brasileiro



Continue Lendo

Sombra: ‘O Estádio 97 transformou a forma de debater futebol no rádio’



Continue Lendo