Do Youtube à coxinha, Botafogo e Felipe Neto buscam um novo caminho



O Botafogo anunciou hoje um patrocínio pontual para a partida contra o Palmeiras, que acontece na próxima segunda-feira, no Allianz Parque, válida pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Na camisa do Glorioso estará estampada a marca Neto´s, uma franquia de coxinhas criada pelos irmãos Felipe e Lucas Neto, dois dos mais influentes youtubers da atualidade.

“Trata-se de uma parceria comercial, que começaremos na partida contra o Palmeiras e temos certeza de que vai seguir por mais tempo. O Botafogo tem demonstrado que é um clube de grande retorno de mídia aos seus patrocinadores”, disse o vice-Presidente de Marketing Marcio Padilha. Como sempre acontece com tudo que envolve influenciadores digitais de expressão, o anúncio causou reações diversas.

Botafogo e Felipe Neto  fecham patrocínio pontual para a partida contra o Palmeiras (Foto: Divulgação)

Botafogo e Felipe Neto fecham patrocínio pontual para a partida contra o Palmeiras (Foto: Divulgação)

E logo surgiram as críticas. Alguns torcedores usaram as redes sociais para criticar o Botafogo pela parceria. O motivo? A relação entre o clube e o conteúdo produzido por Felipe Neto,  dono de um canal no Youtube com mais de 16 milhões de inscritos. Um exagero infundado. Goste-se ou não da linha adotada por Felipe Neto, não se pode simplesmente ignorar uma oportunidade de acrescentar mais uma fonte de receita aos cofres do clube. Felipe ainda é fanático pelo Botafogo, o que os aproxima ainda mais nesta ação.

“É o sonho de qualquer torcedor poder um dia colaborar com o clube do coração”, apontou Neto, que hoje é muito mais do que um youtuber de sucesso. Ele é o fundador da Paramaker, uma rede que administra mais de 5 mil canais no Youtube, vendida em 2015 a Webedia, multinacional francesa de conteúdo. Faz diversos eventos pelo país, incluindo shows de humor e lançamentos de livros. Descontente com a política de remuneração do Youtube, recentemente criou um aplicativo próprio para ofereceu ao seu público um material exclusivo, com controle absoluto das métricas e publicidade negociada.

No cenário atual do futebol brasileiro, em que diversos clubes acumulam dívidas e têm dificuldade em fechar patrocínios máster para suas camisas, é hora de ampliar o leque de ações de marketing. Afinal, é mais digno um influenciador digital patrocinando o Botafogo do que o clube atrasando salários por falta de novas receitas. Do Youtube para os gramados, a bola e a coxinha podem rolar em paralelo.



MaisRecentes

Nevasca na NFL: veja (ou ao menos tente) como foi o jogo entre Bills e Colts



Continue Lendo

Sucesso de Raí como diretor será uma vitória do futebol brasileiro



Continue Lendo

Sombra: ‘O Estádio 97 transformou a forma de debater futebol no rádio’



Continue Lendo