GP da China: aonde Daniel Ricciardo será capaz de chegar?



Ricciardo comemora vitória no pódio

Nem ele mesmo esperava: Ricciardo venceu na China (Foto: Johannes Eisele/AFP)

Meses atrás, em uma conversa com amigos, falei que Daniel Ricciardo tinha alguma similaridade com históricos segundos pilotos, como Riccardo Patrese, Gerhard Berger e Rubens Barrichello. E não há nada de errado em ser ou ter sido um segundo piloto. Os três citados eram muito bons, venceram corridas, fizeram carreiras importantes na Fórmula 1. Apenas não conseguiram chegar ao título.

A cada grande momento do australiano, porém, coloco em dúvida se não estou sendo excessivamente pessimista quanto às possibilidades do piloto da Red Bull. Ricciardo fará 29 anos em julho, tem 132 corridas disputadas, venceu seis vezes e largou na pole em uma prova. Embora tenha demonstrado menos talento que o jovem companheiro Max Verstappen, mostra-se muito mais eficiente, como na inesperada vitória no GP da China. A seu favor pesa o fato de que nunca perdeu um título para um companheiro de equipe, o que mostra que nunca teve um carro campeão nas mãos.

Max tem 20 anos e provavelmente ainda vai evoluir e amadurecer muito. Como escrevi aqui no 2 Pontos depois do GP da China do ano passado, pra mim não é questão de “se” ele será campeão, mas “quando”. Ricciardo já é bem maduro e não tem muito tempo para conseguir um carro capaz de lhe levar ao título (a Red Bull deste ano claramente não é). Se encerrar a carreira mais ou menos com o que conquistou até hoje, terá confirmado minha teoria de que foi um grande coadjuvante. Mas eu adoraria queimar a língua.

Ricciardo no pódio do GP da China

O australiano sempre bebe champanhe em uma das sapatilhas (Foto: Johannes Eisele/AFP)