A Copa do Mundo 2018 de A a Z



A

Alemanha

Diz uma piada fartamente repetida que o futebol é um jogo com 11 atletas em cada time, uma bola e que, ao fim de 90 minutos, vence a Alemanha. Não à toa: é a seleção mais regular da história dos Mundiais. Ainda que tenha quatro títulos, um a menos que o Brasil, chegou às semifinais 13 vezes, contra 11 dos brasileiros (fora o 7 a 1). É mais uma vez uma das favoritas e tenta pela primeira vez levantar a taça duas vezes seguidas.

B

Brasil

Quem diria, depois do 7 a 1 e de um início terrível de Eliminatórias, que a seleção brasileira chegaria à Copa do Mundo de 2018 como uma das principais favoritas? Méritos para Tite, que pegou a bomba das mãos de Dunga e transformou o que se dizia ser uma geração ruim em um time extremamente competitivo. O Brasil passeou nas Eliminatórias, fez ótimos amistosos e tem a chance de amenizar a tragédia de quatro anos atrás.

C

Canarinho Pistola

Ele ainda é jovem, surgiu nas Eliminatórias e não demorou a se tornar quase uma unanimidade entre os torcedores. O Canarinho Pistola não está lá para fazer amigos, ele está lá para trazer o caneco para casa. Com seu jeito irreverente, faz graça por onde passa, virou o 12º jogador da seleção de Tite e protagonista de um punhado de memes. Difícil acreditar que saiu da CBF uma ideia tão boa e que deu tão certo.

Canarinho Pistola ao lado de estátua dos Beatles, em Liverpool

Canarinho Pistola ao lado dos Beatles, em Liverpool: imparável (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

D

Doping

Quatro anos depois da revelação de um engenhoso esquema de dopagem na Rússia com participação, inclusive, de autoridades do governo do país, a Fifa garante que não os russos estarão fora do controle de doping durante a Copa. Todos os exames realizados durante o Mundial serão enviados diretamente ao laboratório de Lausanne, na Suíça, onde as análises serão analisadas.

E

Essam El Hadary

Se entrar em campo, o goleiro egípcio de 45 anos se tornará o mais velho atleta a disputar uma partida de Copa do Mundo. Jogador do Al Taawon, da Arábia Saudita, disputará a competição pela primeira vez, já que o Egito não se classificava desde 1990. El Hadary havia se aposentado da seleção em 2011, voltou cinco anos depois e foi campeão da Copa Africana de Nações. É teoricamente o terceiro goleiro, mas nunca se sabe…

F

Figurinhas

Esperamos o álbum de figurinhas da mesma forma que esperamos a Copa. Este ano, porém, a coisa deu uma desandada. Primeiro com o sumiço das figurinhas cromadas (ou douradas, sei lá), que de tão difíceis de achar fizeram surgir um comércio paralelo em várias cidades. Além disso, as bolas fora: ao todo, 92 jogadores que estão no álbum não vão jogar a Copa, oito (!) deles da Coreia do Sul e seis da França.

Troca de figurinhas da Copa

Troca de figurinhas da Copa: 92 ‘erros’ (Foto: Eitan Abramovich/AFP)

G

Guerrero

De um ano para seis meses. O Tribunal de Apelação da Fifa aceitou a defesa e reduziu a pena de Paolo Guerrero, flagrado no exame antidoping com o metabólico da cocaína, em outubro de 2017. O atacante está livre para disputar a Copa pelo Peru, que há 36 anos não figurava no torneio. Com 35 gols pela seleção, Guerrero é a grande arma do Peru para beliscar uma das vagas no grupo em que a França é favorita.

H

H – o grupo sem título

Dos oito grupos da Copa do Mundo, o H é o único que não tem sequer uma seleção campeã. Historicamente, o melhor resultado é da Polônia, terceira colocada em 1974 e 1982. Senegal e Colômbia nunca passaram das quartas de final e o Japão chegou no máximo nas oitavas. Se sair alguma coisa de bom nesta chave, só por milagre ou por um mês iluminado de São Robert Lewandowski, o craque polonês do Bayern de Munique.

I

Islândia

Em 2016, o primeiro feito: eliminar a Inglaterra nas oitavas de final da Eurocopa. Dois anos depois, a Islândia chega pela primeira vez – após 16 tentativas – a uma Copa do Mundo. Uma das cenas esperadas para o Mundial é o ritual entre jogadores e torcida, que costumam comemorar numa mistura de palmas e gritos vikings, orquestrada pelo carismático capitão Aron Gunnarsson.

J

Julen Lopetegui

Uma bomba estourou nos bastidores da Fúria na véspera da Copa do Mundo. Um dia após ser anunciado como novo técnico do Real Madrid para o lugar de Zidane, a Federação Espanhola demitiu o técnico Julen Lopetegui, alegando desrespeito e falta de transparência na negociação. O treinador já se despediu dos atletas e será substituído pelo ex-zagueiro Fernando Hierro.

K

Kvass (tradicional bebida russa)

Bebida fermentada à base de pão preto de centeio torrado, o kvass é muito tradicional tanto na Rússia quanto em outros países do leste europeu. Embora lembre um pouco uma cerveja mais adocicada, seu teor alcoólico é mais baixo e até crianças consomem a bebida, que no verão é servida até em pequenos caminhões-pipa nas ruas de Moscou. Pode ser reproduzida em casa, há diversas receitas pela internet.

L

Luzhniki 

O antigo Estádio Central Lênin, símbolo do socialismo soviético na década de 50, foi reformado para se tornou o principal palco da Copa do Mundo. Localizado em Moscou e com capacidade para 80 mil pessoas, o Luzhniki  receberá sete jogos: a abertura entre Rússia e Arábia Saudita, três da primeira fase, uma partida de oitavas de final, uma semifinal e a final. Segundos a imprensa russa, o custo total das 12 arenas da Copa na Rússia foi de R$ 19 bilhões – mais que o dobro do Brasil.

M

Messi

Lionel Messi é o melhor jogador de sua geração. “Ah, mas…”. Sim, tem o “mas”. Mas a estrela argentina do Barcelona jamais conquistou uma Copa do Mundo. E, para muita gente, isso depõe contra sua biografia, ainda que outros craques gigantes também tenham se aposentado sem a taça. Eleito pela Fifa o melhor jogador do Mundial 2014, tem uma nova chance, mas com a Argentina fora do grupo das favoritas.

Painel com foto de Messi nas ruas de Moscou

Painel com foto de Messi nas ruas de Moscou (Foto: Mladen Antonov/AFP)

N

Neymar

Não é segredo que a ambição de Neymar é ser reconhecido como melhor do mundo, quem sabe o melhor pós-Messi. Nesta Copa, o craque do PSG tem a chance de ser campeão mundial pela primeira vez, depois de ter sido decisivo para acabar com o tabu o-Brasil-nunca-foi-campeão-olímpico-no-futebol. Com a seleção bem acertada, se fizer um grande Mundial e levar o Brasil ao topo, pode até ganhar o prêmio da Fifa.

O

OEA

Incluímos aqui este verbete apenas pra termos o direito incontestável de lembrar da maior vinheta já produzida para um evento esportivo desde a criação do mundo até o fim dos tempos. E assumimos o compromisso aqui de pelo menos a cada quatro anos celebrarmos a sagrada alegria de cantarolar “ooeeeaaaaa”. Inclusive clique para assistir ao vídeo abaixo e vamos chorar juntos de saudade.

P

Putin

Se depender dos bastidores políticos, Vladimir Putin, começa a Copa do Mundo em alta. Durante o Congresso da Fifa dias antes do início do Mundial, o presidente da Rússia foi aplaudido de pé pelos dirigentes esportivos presentes. Em seu discurso, Putin afirmou que a Copa ajudará a mudar a imagem do país aos olhos do mundo, bastante arranhada nos últimos anos por conta da invasão da Crimeia e de denúncias de envolvimento na eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Q

Qatar

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, afirmou que, até o momento, está descartada a possibilidade de ter 48 seleções disputando a Copa no Qatar. Porém, uma mudança já é certa: a próxima Copa do Mundo será realizada entre 21 de novembro e 18 de dezembro, algo inédito na história. A decisão se deu por conta do forte calor no país árabe no meio do ano. O Qatar também convive com uma crise diplomática que pode trazer impactos para 2002: Arábia Saudita, Barein, Emirados Árabes Unidos e Egito cortaram os laços diplomáticos e comerciais, acusando o país de financiar células terroristas.

R

Ronaldo

Estamos falando de Cristiano, que se reveza com Messi no “cargo” de melhor do mundo desde 2008. Se o argentino jamais conquistou nada com a Argentina, o atacante já levou Portugal ao título da Eurocopa, numa final jogada contra a França e em Paris (embora Cristiano tenha saído de campo prematuramente, lesionado). Um título de Portugal é improvável, mas não se deve duvidar de um time que tem um jogador como ele.

S

Salah

Ele foi a grande surpresa da última temporada do futebol europeu: Mohammed Salah era um jogador discreto em seu início de carreira, inclusive nas duas temporadas na Roma. Até virar um fenômeno no ataque do Liverpool a ponto de ser cogitado como melhor da temporada. É a grande esperança para que o Egito chegue ao menos às oitavas de final.

T

Tite

Tite chega à Rússia coberto de poder e reconhecimento. Após assumir a seleção em um momento delicado nas Eliminatórias, o treinador emendou uma sequência de vitórias que garantiu a seleção brasileira como a primeira classificada para a Copa do Mundo (além do país sede, claro). Com um futebol convincente, Tite recolocou o Brasil ao posto de favorito à conquista do título e se tornou um dos nomes mais concorridos nas campanhas publicitárias. Com uma derrota apenas no comando (um amistoso contra a Argentina), o treinador busca agora o passo mais alto de sua carreira, o que pode lhe abrir portas no mercado europeu.

U

Último trem para a Rússia 

Um olhar completo sobre a cultura, hábitos, história e esporte nas cidades-sedes da Copa do Mundo. É isto que entrega a série  “Último Trem para a Rússia”, exibida pela ESPN Brasil. De São Petersburgo à Sibéria, o jornalista espanhol Martin Ainstein e a tradutora russa Alice Nikiforova percorreram 10 mil quilômetros através dos trens da ferrovia Transiberiana. Uma jornada que mergulha dos pratos típicos e as clássicas matrioskas até os estádios que receberão as 32 seleções durante o Mundial.

v

VAR

Pela primeira vez na história, o árbitro de vídeo será usado numa Copa do Mundo. O VAR (sigla para Video Assistant Referee) já foi testado em duas competições oficiais da Fifa: o Mundial de Clubes (2016 e 207) e a Copa das Confederações (2017). Na Rússia, o VAR ficará em uma central de transmissão fora do estádio. Lances capitais, como pênaltis, agressões e impedimentos, devem ser revistos quando o juiz de campo pedir auxílio ou o próprio VAR identifique uma irregularidade. Apesar de dividir opiniões, as estatísticas favorecem a adoção da tecnologia. Na última temporada do futebol italiano, o percentual de erros com o VAR foi de 0,89%, contra 5,78% em partidas sem sua utilização.

W

Will Smith (cantor da música oficial)

“Live it Up” é o nome da música oficial da Copa, que tem como intérprete principal o ator e rapper Will Smith. A canção foi lançada apenas no fim de maio e Smith divide os vocais com o cantor americano de origem latina Nicky Jam e a cantora Era Istrefi, de Kosovo. A canção, que em tradução livre significa viver intensamente, será interpretada pelo trio nesta quinta-feira, na abertura do Mundial.

X

Xenofobia

O futebol na Rússia convive constantemente com casos de xenofobia, racismo e homofobia. E esta é uma enorme preocupação da Fifa para a Copa. Segundo levantamento da rede antidiscriminação Fare, nas últimas duas temporadas, os torcedores russos estiveram envolvidos em 190 incidentes de racismo nos estádios do país, em alguns casos envolvendo jogadores brasileiros que atuam por lá. Em entrevista à Reuters, Piara Powar, diretor-executivo da Fare, classificou a Rússia como um “ambiente difícil” e recomendou cuidado aos turistas. Em março, durante amistoso contra a Rússia em São Petersburgo, os franceses Pogba, Kanté e Dembélé ouviram imitações de macaco cada vez que encostavam na bola.

Y

Yashin

Não há dúvidas sobre o maior ídolo da história do futebol russo. Antes do sorteio dos grupos da Copa do Mundo, a Fifa lançou o pôster oficial da competição com a imagem do Lev Yashin. O Aranha Negra  disputou quatro Copas pela União Soviética (1958, 1962, 1966 e 1970) e foi o único goleiro da história a ganhar uma Bola de Ouro (1963). Há poucas semanas, o Banco Central da Rússia lançou ainda uma nota de 100 rublos (cerca de R$ 6) em alusão ao Mundial também com a imagem de Yashin estampada.

Z

Zabivaka – mascote

O lobo cujo nome significa algo como “pequeno goleador” foi escolhido mascote da Copa do Mundo em votação popular que teve participação de mais de 1 milhão de pessoas. Zabivaka teve 53% dos votos, contra 27% de um tigre e 20% de um gato. É bastante comum na fauna da gelada da Rússia e será o 14° mascote de Copa do Mundo, uma tradição que foi iniciada há 52 anos, no Mundial de 1966, na Inglaterra.