O dia em que a má geração belga goleou o Brasil



No dia 24 de abril de 1963, Brasil e Bélgica entraram em campo em Bruxelas para o primeiro jogo da história entre as duas seleções. De um lado, uma equipe que conquistara seu segundo título mundial dez meses antes. Do outro, um time que havia disputado quatro Copas do Mundo, a última em 1954, sem jamais ter passado da primeira fase. O resultado era óbvio? Não. A má geração belga goleou por 5 a 1, diante de 47 mil torcedores, em sua única vitória nos quatro confrontos contra os brasileiros.

Era o segundo jogo de uma desastrada excursão à Europa, com passagem pelo atual Egito. O giro começou com uma derrota por 1 a 0 para Portugal do fenomenal Eusébio, que brilharia no Mundial de 1966. Em nove partidas disputadas em menos de um mês, o Brasil venceu a França (3 a 2), Alemanha Ocidental (2 a 1), República Árabe Unida (1 a 0 em jogo disputado sob 40 graus no Cairo) e Israel (5 a 0). Além de Portugal e Bélgica, perdeu para Holanda (1 a 0) e Itália (3 a 0) e empatou com a Inglaterra (1 a 1).

No confronto contra os belgas, no primero tempo o Brasil já perdia por 4 a 0. Diminuiu com Quarentinha, aos 36 do segundo tempo, mas Altair ainda deu mais um gol, contra, para a Bélgica, que estava longe de ter uma “ótima geração”, como a atual.

Pelé não esteve em campo. Três dias antes, no confronto contra Portugal, sofrera uma lesão provocada pelo seu marcador, Vicente. Um aperitivo do que o Rei voltaria a sofrer dali a três anos, contra a mesma seleção portuguesa, na Copa do Mundo de 1966.

O desempenho na excursão, com 13 gols marcados e 14 sofridos, pegou tão mal no Brasil, que na Rádio Bandeirantes, de São Paulo, uma mesa redonda especial foi levada ao ar para discutir os nove jogos do Brasil. Apresentado por Braga Junior, o programa teve como comentaristas Mauro Pinheiro, Pedro Luiz, Darcy Reis e João Saldanha. Na abertura, Braga Junior classificou o desempenho como “fracasso espetacular”. “Que este programa possa servir para a completa recuperação do prestígio do futebol nacional”, disse. Fracasso maior ainda, porém, seria a eliminação na primeira fase da Copa de 1966.

A seleção brasileira teria sua vingança contra a Bélgica em 1965, em um amistoso disputado no Maracanã. Devolveu com goleada ainda maior, 5 a 0. Nos dois confrontos seguintes, foram mais duas vitórias do Brasil, por 2 a 1 em um amistoso em 1988, na Antuérpia, e 2 a 0 na Copa de 2002 (quando os belgas tiveram um gol mal anulado).

Tite durante entrevista coletiva antes do jogo contra a Bélgica

Tite põe o Brasil em campo nesta sexta-feira contra uma ótima geração belga. Sem o fantasma de 1963 (Foto: Benjamin Cremel/AFP)