Brasil 2 x 0 Croácia: chamem o Neymar!



Ótimo para o Brasil ir até Liverpool para enfrentar uma seleção como a Croácia. Adversário que estará na Rússia, com jogadores expressivos no cenário europeu. Teste de verdade, e não confraternização. É justamente o que o time de Tite precisa a 11 dias do início da Copa do Mundo na Rússia.

E foi justamente a Croácia que começou melhor o amistoso, pressionando a saída confusa de bola do Brasil e ameaçando a meta de Alisson numa cabeçada de Lovren. Willian era o jogador que mais se esforçava para levar a bola ao ataque, mas a seleção brasileira abusava nos passes errados e no toque para o lado. O meio de campo com Casemiro, Fernandinho, Paulinho e Coutinho mais centralizado parecia engessado, e Gabriel Jesus recuava cada vez mais para buscar a bola. Os laterais pouco avançavam, apesar da proteção de uma escalação repleta de volantes.

Com o fim do primeiro tempo, todos os olhos se voltavam ao banco de reservas, onde Neymar já se alongava. Péssimo sinal para uma seleção que desde 2014 tenta se livrar da síndrome de dependência excessiva em relação ao camisa 10. Na TV, uma sequência de propagandas buscando resgatar a dignidade do torcedor brasileiro, quase todas com Tite no papel de guru espiritual.

3 meses depois, Neymar volta aos gramados e se recoloca como protagonista da seleção de Tite (Foto: Oli SCARFF / AFP)

3 meses depois, Neymar volta aos gramados e se recoloca como protagonista da seleção de Tite (Foto: Oli SCARFF / AFP)

Três meses depois da lesão, Neymar estava de volta, no lugar de Fernandinho. Com Fred também em campo, a seleção melhorou a saída de bola e enfim começou a criar jogadas ofensivas. Gabriel Jesus deu lugar a Firmino, elevando o tom de animação nas arquibancadas de Anfield Road, casa do Liverpool.

E em uma jogada puxada por Willian e aprofundada por Coutinho, a bola chegou a Neymar. E aí o roteiro já é um velho conhecido. Velocidade, corte seco, domínio completo e chute fatal. Brasil 1 a 0 e um abraço longo em Rodrigo Lasmar, médico que operou o pé direito de Neymar e acompanhou toda a evolução física do jogador. Com 54 gols, o camisa 10 avançou mais uma casa na lista dos maiores artilheiros da história da seleção, que tem Pelé (77), Ronaldo (62) e Romário (55) no pódio. No último lance do jogo, Firmino se posicionou com perfeição para receber ótimo lançamento de Casemiro e aumentar o placar com um toque por cobertura.

Domingo que vem, amistoso contra a Áustria, em Viena, antes do embarque a Sochi. Os 90 minutos contra a Croácia não podem ser conclusivos, mas há sinais cada vez mais evidentes. Willian no time titular e Coutinho mais próximo da área para abastecer Neymar formam o esquema ideal para a estreia na Copa. Danilo no lugar de Daniel Alves parece certo, enquanto Gabriel Jesus chega à Copa como titular pelo histórico, mas com Firmino roendo seu calcanhar.