Amoroso se torna embaixador de clube americano no Brasil e quer montar time para disputar a Copinha



Amoroso "desaposentou" para disputar algumas partidas pelo Boca Raton (Divulgação)

Amoroso “desaposentou” para disputar algumas partidas pelo Boca Raton (Divulgação)

No ano passado, durante uma viagem aos Estados Unidos, Amoroso foi convencido a calçar novamente as chuteiras. O convite veio de Douglas Heizer, empreendedor carioca que preside o Boca Raton, time semiprofissional do estado da Flórida que disputa hoje a NPLS, equivalente à 3ª divisão do futebol americano.

Ídolo na Udinese e no Borussia Dortmund e campeão mundial pelo São Paulo, o jogador disputou algumas partidas, mas alçou voos ainda maiores. Agora, ele se tornou embaixador oficial do clube por toda a América do Sul, com o direito de explorar a marca pelos próximos dez anos. E o Brasil, obviamente, é o foco.

“São raros os garotos que têm a chance de jogar na Europa. O objetivo é mostrar os EUA como uma possibilidade de carreira e estudos”, explica Amoroso. A estratégia é aproveitar jovens acima de 17 anos que não são aproveitados por clubes brasileiros para treinarem no Boca Raton, com bolsas de 25% a 100% em universidades americanas, de acordo com a avaliação da qualidade de cada atleta. “Tenho bom relacionamento com clubes de todo o Brasil, então estamos buscando novas parcerias para começar este processo de seleção”.

Amoroso revela ainda o plano de montar um time com jogadores brasileiros e americanos para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior dentro de três anos. A empresa de Amoroso receberá comissões se, futuramente, um destes jovens for contratado por um time da MLS (principal divisão americana) ou da Europa. “Não serei empresário de jogador. A iniciativa tem a meta de expandir a marca do Boca Raton pelo mundo e dar a oportunidade destes garotos jogarem num país que preza pela união entre esporte e estudos”, explica.

Local onde serão realizados os camps com crianças de 7 a 13 anos (Foto: Divulgação)

Local onde será realizado atividades e treinamentos com crianças (Foto: Divulgação)

Outra frente aberta será a realização de camps com crianças de 7 a 13 anos, um programa de 3 dias com atividades e treinamentos com base em metodologias de academias internacionais. O primeiro acontecerá no dia 21 de abril no Bourbon Atibaia Convention & Spa Resort, em Atibaia (SP), com a presença de Amoroso e outros ex-jogadores. “O Aloísio [seu companheiro nos tempos de São Paulo] já tá confirmado e vamos trazer mais dois nomes com passagem pela seleção brasileira”, adianta. Os garotos que se destacarem serão monitorados nos anos seguintes, até ter a idade necessária para se transferirem ao Boca.

Após encerrar a carreira como profissional, Amoroso recusou convites de clubes brasileiros e italianos para atuar em categorias de base ou em programas de estágio. “No Brasil a instabilidade é sempre maior, a pressão é toda por resultados em curto prazo. Topei agora este desafio pela tranquilidade da cidade, onde tenho planos de morar com a minha família em breve”, justifica. Dentro ou fora dos gramados, a aposentadoria parece definitivamente ter ficado para trás.



MaisRecentes

Renato Portaluppi: deus ou dono do Grêmio?



Continue Lendo

A Ponte Preta tem uma nova chance de fazer o futebol sorrir



Continue Lendo