Fórmula 1 2017: os carros mais bonitos (e mais feios) da temporada



10 – Sauber | C36

Marcus Ericsson guia a Sauber de 2017 em Barcelona

Não bastasse ser praticamente certo que será a pior equipe da temporada, a Sauber foi incapaz de caprichar no visual. Desde a fonte (letra) usada na inscrição alusiva aos 25 anos do time, na lateral, até a combinação ridícula de azul com dourado. Pelo menos vai combinar com o autódromo novo-rico de Abu Dhabi, se é que vocês me entendem.

9 – Force India | VJM10

Esteban Ocon guia a Force India de 2017 em Barcelona

No quesito pintura, a Force India sofre historicamente de falta de personalidade. Vijay Malia, o dono da equipe, poderia pedir que assumissem com mais clareza as cores de seu país em vez de continuar usando o prata como cor predominante, o que não marca na memória dos fãs da Fórmula 1 uma identidade da equipe.

8 – Ferrari | SF70H

Kimi Raikkonen guia a Ferrari de 2017 em Barcelona

Ninguém seria louco de querer que a Ferrari mudasse de cor – embora os carros de passeio da montadora existam também em amarelo e em preto, por exemplo. Mas nos últimos anos o acréscimo de partes brancas ou pretas nos seus modelos foram uma novidade interessante que neste ano quase desapareceram. É bonito, mas é o de sempre.

7 – Mercedes | F1 W08 EQ Power+

Lewis Hamilton guia a Mercedes de 2017 em Barcelona

Nada demais. Nada de menos, também. A combinação de prata (marcante como o vermelho da Ferrari) e detalhes em verde (azul?) e preto é elegante, mas a Mercedes é outra que não causa emoção visualmente com seus carros. Ao menos nos últimos anos o time não precisa se preocupar com visual, já que vem deixando todo mundo pra trás.

6 – Red Bull | RB13

Daniel Ricciardo guia a Red Bull de 2017 em Barcelona

Durante anos a Red Bull parecia não mudar absolutamente nada na pintura dos seus carros, que usavam um azul escuro/roxo brilhante de doer os olhos. Feio. Desde o ano passado, adotou uma pintura fosca, bem mais bonita e elegante. O desenho, porém, é praticamente o mesmo, o que não causa grande emoção visual.

5 – Williams | FW40

Felipe Massa guia a Williams de 2017 em Barcelona

O patrocinador, neste caso, ajuda. A Martini é uma marca histórica em sua relação com o automobilismo e seu grafismo aquece o coração de qualquer um que goste de corrida de carros. A Williams só precisa, então, não estragar nada tendo um material bom para um design, que neste ano aproveitou bem as “barbatanas” atrás do santantônio.

4 – Toro Rosso | STR12

Daniil Kvyatt guia a Toro Rosso de 2017 em Barcelona

Durante anos a Toro Rosso foi praticamente um cover da pintura de sua matriz, a Red Bull. Pela primeira vez, a equipe satélite, que um dia já foi a simpática Minardi, se descolou e fez uma pintura completamente diferente. E acertou em cheio, fazendo um carro com mais personalidade que sua prima milionária.

3 – Renault | R.S.17

Nico Hulkenberg guia a Renault de 2017 em Barcelona

Amarelo e preto é uma combinação difícil de dar errado – observe a camisa do Peñarol, do Uruguai. O trabalho para os designers da Renault, então, não foi dos mais complicados. O carro deve ser um dos piores da temporada, mas pelo menos vai agradar visualmente toda vez que um dos carros aparecer nas transmissões.

2 – Haas | VF-17

Haas apresenta seu carro de 2017 em Barcelona

Depois de uma estreia surpreendente no ano passado, a Haas apareceu para seu segundo ano com um dos mais bonitos carros temporada, usando principalmente um cinza não brilhante que é combinado com preto e vermelho. Outra equipe que usou bem a “barbatana” do carro na integração com a pintura.

1 – McLaren | MCL32

Stoffel Vandoorne com o carro da McLaren de 2017 nos boxes em Barcelona

Agora sem o histórico dirigente Ron Dennis, a McLaren atendeu a um pedido antigo de muitos fãs e voltou a usar o laranja que marcou seus primeiros anos e não era usado desde 1971. A cor é combinada com preto e branco, formando na lateral o logo do time, que, no entanto, mais uma vez não deve brigar por vitórias e nem por pódios.



MaisRecentes

Uruguai 1 x 4 Brasil: um favoritismo conquistado com pressa e mérito



Continue Lendo

Owen Wright faz a primeira grande história do esporte em 2017



Continue Lendo