Eliminatórias: 7 coisas que vi no baile do Brasil contra a Bolívia



Neymar e Coutinho comemoram na goleada contra a Bolívia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Neymar e Coutinho comemoram na goleada contra a Bolívia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

1. Neymar mais uma vez comeu a bola. Chegou aos 300 gols na carreira e ao 49º pela seleção. E ainda presenteou seus companheiros com assistências. Sobrou no jogo. Entretanto, mais uma vez mostrou desequilíbrio emocional. Ainda que tenha provocado o cartão amarelo para não correr o risco de ficar de fora na partida contra a Argentina, muitas vezes preferiu briga ao respiro fundo. E Tite terá a missão de cobrar este amadurecimento do jogador.

2. Neymar e Gabriel Jesus abusam da genialidade para acelerar o entrosamento. Como bem frisou o jornalista José Edgar de Matos, eles têm potencial para ser a dupla de atacantes da década na seleção brasileira. Rápidos, verticais, se procuram o tempo todo, invertem de posição. Os zagueiros e volantes não conseguem nem disfarçar o desnorteio.

3. “Olê, olê olê, olê, Tite, Tite”. Em três jogos, o novo treinador conseguiu que as pessoas ao menos sintam prazer em assistir a um jogo da seleção. Após três vitórias, a torcida, já trata Tite como os corintianos: ídolo. A diferença em relação a Dunga é tão grande que até a empolgação precoce deve ser relevada.

4. As três vitórias da seleção sob comando de Tite não podem ser conclusivas, mas enterram a ideia de que o Brasil tinha em mãos uma geração fraca. O que faltava era conjunto, ideias, treinos e capacidade de se reinventar. Não estamos falando de um conjunto de craques fora de série, mas é nítido que há bastante qualidade entre titulares e reservas.

5. Festa, goleada, grande atuação. E a torcida de Natal também apelou para o grito de “bicha” no tiro de meta do goleiro da Bolívia, mesmo após a CBF ser multada por conta disso após a vitória contra a Colômbia, em Manaus. Pobreza de espírito, o pior cacoete que surgiu nas arquibancadas nos últimos anos.

6. Que senhor jogador é Philippe Coutinho. Soube aproveitar a titularidade e chamou a bola o tempo todo. Willian também é um ótimo jogador, mas não tem o mesmo perfil decisivo. Tite parece ter acertado mais uma.

7. Canarinho, o novo mascote da seleção, tem o cabelo de Neymar e a sobrancelha de Gabriel Jesus. Cara de malvado, de quem parece querer se vingar após ter perdido tanto prestígio.

'5 x 0, putada. Vai encarar?' (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

‘5 x 0, putada. Vai encarar?’ (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)



  • Antônio Guerra

    Os gritos eram de zika

MaisRecentes

Com a Copa do Mundo na esquina, é hora de mirar os europeus



Continue Lendo

Brasil x Paraguai: o que a torcida disse no Twitter durante mais uma vitória



Continue Lendo

GP da Austrália foi prenúncio de uma temporada insuportável na Fórmula 1



Continue Lendo